Publicidade

Estado de Minas

Nova Zelândia conserva a cultura dos maoris, primeiros habitantes do país

O modo de vida e a cultura dos maoris são mostrados ao público por meio de apresentações realizadas em Rotorua. Além de ver as danças, experimente o banquete de vegetais e carnes


postado em 01/01/2014 15:05 / atualizado em 01/01/2014 15:22

(foto: Tourism New Zealand/Divulgação)
(foto: Tourism New Zealand/Divulgação)
 

 

Não se sabe bem como os maoris chegaram à Nova Zelândia. No entanto, estudiosos acreditam que os ancestrais desse povo indígena saíram das Ilhas Polinésias até o novo destino, aventurando-se em canoas, por volta do século 9 ao século 13. O país foi o último a receber povos europeus e ser colonizado, sendo os primeiros exploradores Abel Tasman (em 1642) e James Cook (em 1769).

Com a chegada de estrangeiros, a cultura maori, assim como tantas outras mundo afora, foi praticamente sufocada, e muitos nativos perderam a vida, por guerras entre tribos e doenças trazidas pelos europeus.

Nos últimos anos, as tradições, a língua nativa e os rituais de grande importância para esse povo têm sido adaptados à modernidade, mantendo viva a essência maori. Em Rotorua, os turistas podem entrar em contato com essa cultura exótica participando do Te Po, uma apresentação cultural noturna, realizada no Te Puia Maori Arts and Crafts Institute (www.tepuia.com).

A apresentação do powhiri (cerimônia de boas-vindas) e a famosa haka (mantra de guerra maori, que é inclusive o hino do All Blacks, o time nacional de rugby da Nova Zelândia) é bem teatral, “para turista ver”.


A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade