Publicidade

Estado de Minas

Servilha deslumbra turistas com catedral imponente e monumentos históricos

A catedral, com o imponente campanário, é o monumento gótico cristão de maior superfície do mundo, e, desde 1987, é considerada patrimônio da humanidade


postado em 26/11/2014 12:04

Sevilha é uma das cidades mais quentes da Europa. No fim do século 17, à beira do calmo Rio Guadalquivir, menos de 10 metros acima do nível do mar, registrou-se 50ºC. Em 1995, os termômetros subiram para 46,6ºC. A média anual, porém, é agradabilíssima, na faixa dos 18ºC, e o inverno é bem suave, com janeiro chegando, no máximo, aos 5°C. Daí porque João Cabral de Melo Neto (1920-1999) fala dos extremos. E ele conhece bem a região.

Palácio de Alcázar, construído em 913: hoje, a casa dos reis serve para abrigar chefes de Estado em visita à cidade(foto: Renato Ferraz/CB/D.A Press)
Palácio de Alcázar, construído em 913: hoje, a casa dos reis serve para abrigar chefes de Estado em visita à cidade (foto: Renato Ferraz/CB/D.A Press)


O poeta morou na cidade nas décadas 1950 e 1960 — e como diplomata, trabalhou no Senegal, na França (Marselha), Madri, Genebra, Berna... Seguir algumas dicas do pernambucano é importante para conhecer — e gostar — de Sevilha. Não espere, porém, orientações diretas. A belíssima e grandiosa catedral é definida por ele como “um enorme touro em pé”, que desponta “na graça rasa de Sevilha”.

Aliás, nenhum prédio podia ser mais alto do que o monumento religioso até que o poder econômico fez as autoridades capitularem — e, hoje, nasce um feioso edifício imenso que, de certas áreas, cobre a vista da igreja. Uma pena. A catedral, com o imponente campanário, é o monumento gótico cristão de maior superfície do mundo, e, desde 1987, é considerada patrimônio da humanidade. Tem uma história curiosa, mas que reflete a evolução da ocupação regional: entre idas e vindas de mouros e cristãos, sofreu influência renascentista, barroca, ganhou torre, resistiu a terremotos e manteve-se imponente.

Leia mais notícias em Turismo

Duas características remetem ao povo árabe: o Pátio de los Naranjos, onde os fiéis muçulmanos faziam as abluções, e o campanário La Giralda — que ainda tem as formas do minarete do século 12. Enfim, as proporções apequenam os humanos diante do divino e fazem sentir mais perto de Deus.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade