Publicidade

Correio Braziliense CEARÁ

As praias apaixonantes do Ceará


postado em 09/02/2017 10:00

 


As praias apaixonantes do Ceará

O Ceará pode ser o último ou o primeiro ponto da Rota das Emoções. Com 62 quilômetros de litoral, o estado detém o destaque em praias paradisíacas. É impossível não se apaixonar. Passeios de bugre, prática de kaite e wind surfe e a pesca esportiva são atividades disponíveis em terras cearenses. Os frutos do mar também são destaque na culinária do estado. Camarões, peixes, lula e crustáceos são os carros-chefes dos restaurantes da região.

Ao sair do Piauí, Camocim é o portão de entrada da Rota no Ceará. O lugar tem mais de 60 mil habitantes e dispõe de praias deslumbrantes, como Praia do Maceió, de Tatajuba e dos Remédios. A quantidade de barcos pesqueiros é surpreendente no Rio Coreáu. O lugar também recebe campeonatos de pesca esportiva e é um dos cartões-postais da cidade.

Depois de Camocim, os turistas podem seguir para Jericoacoara. No entanto, antes de entrar na vila de areia mais famosa do Brasil, os aventureiros podem parar na The Alchymist Beach Club. Na entrada do lugar, o letreiro “Sejam bem-vindos ao paraíso” recebe os visitantes. Essas palavras são concretizadas quando o Lago do Paraíso fica à vista.


Redes na beira da lagoa, camas ao longo da areia, bares, restaurantes e muita música marcam o cenário da The Alchymist Beach Club. A maioria das pessoas que visitam o lugar estão hospedadas em Jericoacoara. O transporte até lá é realizado de bugre ou veículos 4x4. Não é preciso pagar uma taxa para acessar a lagoa, porém, alguns serviços, como guarda-volumes e as redes, são cobrados. Para ter uma experiência completa no lugar, os visitantes pagam, em média, R$100.

Jericoacoara

Quem já visitou Jericoacoara sabe que o lugar é sinônimo de paraíso. Localizado a 300 quilômetros de Fortaleza, Jeri, como é conhecida, reúne belezas naturais únicas. A praia foi eleita uma das dez mais bonitas do mundo pelo jornal americano The Washinton Post. Para entrar na vila é cobrada uma taxa de R$ 5. Além disso, não existem estradas de acesso e é necessário ir com veículos 4x4.

Em Jeri, o clima sempre é de festa. O comércio funciona a todo vapor e tanto os turistas quanto a população local participam ativamente do cenário da vila. No lugar, são pouco mais de 15 mil habitantes, porém, o número de turistas ultrapassa 600 mil anualmente. A maioria dos moradores trabalham ou em comércios ou em serviços voltados ao turismo. A grande quantidade de bares, restaurantes e lojas faz Jericoacoara se tornar uma cidade grande com aspecto de vila.


A movimentação de pessoas durante o dia não se perde ao anoitecer. Quando a noite cai, a cidade ganha vida novamente. A iluminação natural da lua e das lojas se unem à música ao vivo dos bares. Na beira da praia, festas também animam o público mais jovem. Toda a vila fica em plena animação até 2h, momento em que os comércios param de funcionar e as músicas cessam.

Quem está em Jeri não pode deixar de visitar a Pedra Furada. Da vila, são cerca de 25 minutos de caminhada até o local. Esse cartão-postal do Ceará é considerado um dos mais curiosos. Uma enorme pedra com um buraco no meio atrai a atenção dos turistas que passam por lá.

Dentro da Rota das Emoções, Jeri consegue ser única. O lugar consegue reunir diversos aspectos e dar um leque de atividades para os visitantes. Para quem for realizar a rota, a recomendação é deixar Jericoacoara como a cereja do bolo e reservar ao menos três dias para desfrutar de tantas atividades que a vila oferece. De calmaria à exaltação, Jeri consegue oferecer ambos.


Lixo


Pelo número de turistas, Jericoacoara acaba produzindo 150 toneladas de lixo reciclável por ano. Por isso, uma usina de reciclagem está em fase de instalação no lugar. Mesmo sendo um paraíso natural, o lixo de Jeri ainda vai para um lixão. A ideia da cooperativa é reduzir o descarte irregular desses materiais.

Um projeto para incentivar a coleta seletiva funciona na vila. O morador que for até a cooperativa com o lixo selecionado recebe desconto na conta de luz. O controle funciona através de um cartão, que registra a entrega dos materiais. O objetivo é incentivar a população local a praticar a coleta seletiva e ajudar no descarte do lixo.(WG)


Caranguejo no mangue

No Ceará, a venda do caranguejo uçá é um grande movimentador da economia. Os coletores da região trabalham de acordo com a maré. Eles vão para os mangues entre 5h e 7h e ficam até o meio da tarde, horário em que a maré volta a subir. Para realizar o trabalho, colocam óleo diesel e lama no corpo, além de realizar uma pequena queimada em um recipiente para produzir fumaça. Isso faz com que eles recebam menos picadas de mosquitos.

O caranguejo se reproduz durante três meses no ano: janeiro, fevereiro e março. A fêmea é capaz de copular 30 vezes nesse período. Elas lançam uma substância na água próxima ao mangue, que consegue atrair os machos para fora dos buracos. Nessa época, os coletores relatam que a captura dos bichos se torna mais fácil, porque eles passam mais tempo fora das tocas. No entanto, somente é permitida a comercialização do caranguejo macho, já que a fêmea é responsável pela reprodução. Os coletores, vendedores e até mesmo os compradores da região são ensinados a identificar a fêmea e evitar o comércio dela. (WG)

Serviço

Onde ficar

Jericoacoara

Casa na Praia
(88) 99921-5089

Onde comer

Alchymist Beach Club
(85) 99815-8656

Restaurante Serafim
(88) 99787-6352

Receptivo

Cooper Jeri
(88) 99989-0724

Experimente Jeri
(88) 99985-1213

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade