Publicidade

Correio Braziliense PARADINHA

Conexões até a Copa na Rússia, saiba quais são os possíveis stopovers

Não existem voos diretos para o país que sediará o Mundial de futebol deste ano. Como será obrigatório parar, por que não aproveitar e passear nos intervalos? Saiba o que é possível conhecer a caminho dos jogos


postado em 14/01/2018 10:00 / atualizado em 12/01/2018 12:15

(foto: AiKagou/Flickr)
(foto: AiKagou/Flickr)

A Copa do Mundo na Rússia, entre 14 de junho e 15 de julho, se aproxima e os interessados em acompanhar o campeonato de perto devem se apressar para adquirir passagens. Os fãs de futebol precisam ficar atentos: não existem voos diretos saindo do Brasil para o país de Vladimir Putin. Para chegar lá, é preciso pegar pelo menos uma conexão. Como a viagem será longa, vale a pena se programar, afinal, com antecedência, há chances de conseguir preços mais em conta e opções de itinerário mais confortáveis e interessantes. Para ajudar viajantes, o Correio preparou um guia sobre as conexões existentes,  o que é possível conhecer nesse meio tempo e, é claro, quanto isso vai custar.


Todos os voos rumo à Rússia saindo de São Paulo fazem conexões com cidades europeias. Na hora de comprar a passagem, as opções são muitas, via Lisboa, Porto, Paris, Amsterdã, Istambul e Londres. Onze cidades russas sediarão os jogos e, independentemente de qual seja seu destino final, os pontos de parada até o país serão os mesmos. Já que eles serão inevitáveis, você pode aproveitar a oportunidade para turistar um pouco. A maioria das companhias aéreas oferece o chamado stopover, que é a possibilidade de ficar na cidade de conexão por alguns dias sem custo adicional. Nesse caso, você pode optar por comprar pacotes de viagem em agências ou criar um roteiro por conta própria.


A segunda opção foi a escolha de Gustavo Criscuolo, 32 anos, que visitará a Europa pela primeira vez. Ele planejou o primeiro stopover, com duração de quatro dias, no Marrocos. “Quando comprei a passagem de ida, os preços passando por lá e por Lisboa estavam semelhantes. Preferi conhecer esse país e pegar o fim do ramadã, uma oportunidade única”, diz. Na volta ao Brasil, Gustavo passará por Berlim, Amsterdã, Bruxelas e Paris, permanecendo três dias em cada cidade. Ele ainda não calculou o custo total da viagem — o que pode ser uma desvantagem. “Em passagens, gastei em torno de R$ 2 mil e utilizei milhas para finalizar a compra. Hospedagem, só reservei em Moscou”, relata.

(foto: Arquivo Pessoal/CB/D.A Press)
(foto: Arquivo Pessoal/CB/D.A Press)

A vantagem de fazer stopovers por conta própria é a maior liberdade de escolha em relação a destino, passeios e até local de estadia. Já os benefícios que as agências oferecem são hospedagem, café da manhã, transporte de ida e volta do hotel para o aeroporto e excursões guiadas. O advogado Nauê Bernardo, 28, optou por contratar uma empresa do tipo. “Será minha primeira vez fora do Brasil e a agência me poupou um trabalhão.” O pacote, incluindo passagens e traslado, custou cerca de R$ 4 mil. Nauê passará por Lisboa e Helsinque, ficando um dia em cada cidade; depois, partirá para Moscou.

Preços
O valor dos pacotes varia de acordo com a cidade escolhida, existem combos para duas noites em hotéis três estrelas a partir de 399 Euros por pessoa. As opções mais baratas custam 349 Euros e incluem apenas hospedagem e transporte. Segundo o agente de viagens Marcelo Barone, voos via Portugal são mais baratos. Paris e Amsterdam são possibilidades mais caras por causa da distância entre o aeroporto e as cidades.


Um pacote de duas noites em Portugal com todos os serviços citados custa a partir de 299 Euros por pessoa. Já em Paris, Amsterdam ou Istambul, duas noites saem por 399 Euros. Londres é o stopover mais caro de todos, custando 399 Libras. Marcelo compartilha uma dica valiosa para quem deseja optar pela compra de pacotes: “Geralmente, esses stopovers oferecem tarifas especiais além da tarifa aérea, então, com quanto mais antecedência você comprar a passagem, mais vantagem financeira terá”, alerta.


Diferenças 
Atenção! Conexão não é escala. Nos voos com conexão, o passageiro desembarca em uma determinada cidade e embarca novamente em outro avião rumo ao destino. Voos com escalas são aqueles em que o avião para somente para entrada de novos passageiros.

 

Confira opções de passeios possíveis

 

(foto: Wallace Lopes/Flickr )
(foto: Wallace Lopes/Flickr )

Paris, França
Cheia de pontos turísticos famosos, aqui estão algumas paradas obrigatórias na cidade-luz: Torre Eiffel, Museu do Louvre, Catedral de Notre Dame, margens e pontes do rio Sena e a Avenida Saint-Germain-des-Prés.

 

(foto: Herve BRY/Flickr )
(foto: Herve BRY/Flickr )

Istambul, Turquia
Onde o ocidente e o oriente se encontram, a maior cidade da Turquia abriga pontos turísticos nada óbvios que valem a visita: Hipódromo, Basílica de Santa Sofia, Palácio Topkapi e Mesquita Azul.

 

(foto: StijnNieuwendijk/Flickr)
(foto: StijnNieuwendijk/Flickr)

Lisboa, Portugal
Maior cidade portuguesa, Lisboa abriga diversos pontos turísticos. Selecionamos apenas algumas dicas: Bairro de Alfama, Casa Pastéis de Belém, Torre de Belém, Mosteiro dos Jerónimos, Castelo de São Jorge, Praça do Comércio, Padrão dos Descobrimentos, Panteão Nacional e Elevador de Santa Justa.

 

(foto: Luís Obelleiro Vásquez/Flickr )
(foto: Luís Obelleiro Vásquez/Flickr )

Londres, Inglaterra
A terra da rainha tem todos aqueles cenários que estamos acostumados a ver na televisão, como Palácio de Buckingham, cabines telefônicas vermelhas, Ponte do Milênio e o relógio do Big Ben. Quem procura opções além das tradicionais pode conhecer a casa e o bairro da cantora Amy Winehouse, a famosa rua Abbey Road, capa de um dos discos dos Beatles com o mesmo nome, e a King Cross Station, locação para os filmes da série Harry Potter.

 

(foto: Sylvi/Flickr )
(foto: Sylvi/Flickr )

Amsterdam, Holanda
Conhecida pelos canais, em que é possível passear de barco, e pelo consumo de cannabis em bolo e outros produtos em cafés espalhados pela cidade, a capital holandesa vai muito além disso. Alguns roteiros interessantes são: Museu Van Gogh, Casa de Anne Frank, parque Vondelpark e Museu de Amsterdam.

 

(foto: Bert/Flickr )
(foto: Bert/Flickr )

Porto, Portugal
Cheia de pontos históricos, alguns destinos possíveis são: Ribeira do Porto, Avenidas dos Aliados, a Sé Catedral, Ponte D. Luís I, Muralhas Fernandinas, Torre dos Clérigos, Livraria Lello, Foz do Douro e, por último, mas não menos importante, degustações  nas caves de vinho do Porto.

 

 

 

*Estagiária sob supervisão de Ana Paula Lisboa

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade