Publicidade

Correio Braziliense SERGIPE

Pequena joia do nordeste, descubra os encantos de Sergipe

Conheça as surpresas e a beleza que existem em Aracaju. Com tantas opções de lazer, quem visita a capital sergipana fica com o desejo de voltar para curtir mais as suas paisagens e culinária


postado em 11/03/2018 10:00 / atualizado em 07/03/2018 18:46

(foto: Agência Sergipe de Notícias/Divulgação)
(foto: Agência Sergipe de Notícias/Divulgação)


Menor estado do Brasil, com 21.910 km2, Sergipe revela aos visitantes surpresas maravilhosas. A capital Aracaju não deixa a desejar em relação aos encantos naturais, como a paradisíaca Croa do Goré, uma pequena ilha de areia branca, no Rio Vaza-Barris, que só é possível desfrutar quando a maré está baixa. Aracaju também cumpre os requisitos da boa gastronomia, excelentes hospedagens, opções de lazer e potencial histórico, como o Museu da Gente Sergipana, que é interativo.

Nosso passeio começa pela simpática orla de Atalaia. Lá, o visitante tem a oportunidade de conhecer o Oceanário do Projeto Tamar, ver diversas espécies marinhas e ficar pertinho dos tubarões e das tartarugas. Outra parada obrigatória é a Passarela do Caranguejo, onde uma réplica gigante foi construída como ponto turístico da cidade. É ideal para tirar fotos com o crustáceo, dar uma esticada até os bares que ficam na orla e saborear as iguarias. Tem caranguejo de todo jeito. Ensopado, grelhado, gratinado, mas o mais tradicional é o que vem com um martelinho e uma tábua para você quebrar. Não há estresse que resista a esse tipo de terapia.

O brilho das luzes na praia de Atalaia, onde estão os arcos da cidade (foto: MTur/Divulgação)
O brilho das luzes na praia de Atalaia, onde estão os arcos da cidade (foto: MTur/Divulgação)

Como o próprio nome diz, o caranguejo é o carro-chefe de Aracaju. Mas os restaurantes oferecem outras boas opções para saborear crustáceos e frutos do mar, a exemplo do peixe ao molho de camarão, no Restaurante Pitu com Pirão da Eliane. O local ganhou destaque do Guia Quatro Rodas, com o título médio luxo entre os cinco melhores de Aracaju. Quem come lá não se arrepende.

É impossível visitar Aracaju sem fazer uma parada para conhecer o artesanato local e comprar lembranças da cidade. Em Atalaia há duas opções. Uma delas é a Passarela do Artesão, que fica atrás da pista de skate. Trata-se de uma simpática feirinha com barraquinhas que vendem os mais variados artesanatos. Os vendedores são atenciosos. A mais frequentada, no entanto, a Feira do Turista. Por estar mais visível e próxima ao Hotel da Orla, os turistas localizam facilmente o centro de compras.

Imagine passar a mão na cabeça de um tubarão lixa e ainda registrar a cena. No oceanário do Projeto Tamar, isso é possível, com a orientação de um monitor, é claro(foto: Jailson Rodrigo Pacheco/Flickr)
Imagine passar a mão na cabeça de um tubarão lixa e ainda registrar a cena. No oceanário do Projeto Tamar, isso é possível, com a orientação de um monitor, é claro (foto: Jailson Rodrigo Pacheco/Flickr)

Além de contar com um atraente calçadão, a capital sergipana oferece ao visitante a oportunidade de passear pelos três lagos espalhados pela orla. É ideal para fazer uma tranquila caminhada, ficar à sombra dos coqueiros, esquecer do tempo sentado em bancos de madeira ou simplesmente contemplar um maravilhoso pôr do sol. Há ainda espaços voltados para, diversão da garotada com equipamentos infantis e lanchonetes com comidas típicas da região.

Outro ponto turístico que merece um pit stop são os arcos da cidade. Eles foram construídos em concreto e revestidos com pastilhas azuis e têm mais de 10 metros de altura. Atualmente são quatro, cada um representando uma fase de construção da orla de Atalaia. O cenário é perfeito para fotografias, pois logo na frente há uma instalação com o nome da cidade em tons coloridos.

 

Croa do Goré: paraíso para todos  

 

Na passarela o caranguejo, uma escultura, gigante do crustáceo virou ponto turístico e cenário para fotos (foto: MTur/Divulgação)
Na passarela o caranguejo, uma escultura, gigante do crustáceo virou ponto turístico e cenário para fotos (foto: MTur/Divulgação)


Se você é daqueles viajantes que não abrem mão de tomar banho em águas calmas e refrescantes e adora o contato com a natureza, não se esqueça de abrir espaço na agenda para conhecer a paradisíaca Croa do Goré, localizada no Rio Vaza-barris. É uma pequena ilha que só aparece com a maré baixa, ideal para quem busca belas paisagens, sossego, tomar bebida gelada e petiscar.

Saindo da orla de Atalaia, em Aracaju, são 15 minutos de carro beirando as belas praias da cidade até chegar à Orla do Pôr do sol, no povoado de Mosqueiro. É o ponto de embarque para um passeio interessante e ao mesmo tempo curioso. Para desfrutar da Croa do Goré, o percurso pode ser feito de catamarã ou lanchas. No caminho, o visitante vai se deparar com belos manguezais de raízes entrelaçadas. Os barcos saem diariamente.

A curiosidade é que praia só fica disponível seis horas por dia, porque, quando a maré sobe, a croa fica submersa. Por isso a ordem é aproveitar cada segundo. É o local ideal para relaxar, provar as iguarias da região e conhecer de perto o famoso habitante da região, o Goré, crustáceo que dá nome ao lugar.

Na Croa, um bar flutuante oferece um cardápio variado. O local conta com palhoças rústicas que fazem sombra para tornar o banco de areia ainda mais agradável e proporcionar um banho relaxante. Quando a maré está subindo, o visitante pode desfrutar do ambiente com a água em seus pés.

A 15 minutos da orla urbana, no rio Vaza-barris, fica a ilha da Croa do Goré, que surge apenas quando a maré está baixa (foto: Agência Sergipe de Notícias/Divulgação)
A 15 minutos da orla urbana, no rio Vaza-barris, fica a ilha da Croa do Goré, que surge apenas quando a maré está baixa (foto: Agência Sergipe de Notícias/Divulgação)

A garotada adora. Por ser calmo e raso, as crianças podem tomar banho no rio sem correr risco. Outra opção de lazer na Croa do Goré é o stand up paddle.

Além da Croa do Goré, o turista pode optar por estender o passeio e conhecer a Ilha dos Namorados e a Ilha do Viral. Na Ilha dos Namorados, o passeio leva cerca de 40 minutos e os visitantes podem tomar um delicioso banho. “A gente deixa o turista bem à vontade. Eles ficam na Croa do Goré se divertindo e desfrutando da tranquilidade do local. Quando desejam retornar, é sé avisar por telefone que o barqueiro vai buscar”, explicou o empresário Genilson Brito dos Santos, conhecido por Prego, dono da Prego Turismo.


Pioneirismo

Prego foi o primeiro barqueiro a fazer a travessia até a Croa do Goré, há 25 anos. Não parou mais. Ele conta que o trajeto era realizado  em um barquinho de alumínio com capacidade para cinco passageiros. Atualmente a Prego Turismo dispõe de lanchas que levam até 16 pessoas de uma só vez, dependendo da embarcação. Outra opção é fazer o roteiro nos dois catamarãs da agência.

A repórter viajou a convite da Abrajet/Sergipe e do NB Hotéis 

 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade