Publicidade

Correio Braziliense TAILÂNDIA

O mundo em azul, conheça as fascinantes águas e ilhas tailandesas

A paradisíaca ilha de Koh Tao, de águas mornas e cristalinas, é versátil e atrai vários viajantes e diferentes personalidades, desde aventureiros e mergulhadores profissionais a turistas que só querem um bom descanso


postado em 28/03/2018 20:00 / atualizado em 28/03/2018 15:44

(foto: @mundoparaduas/Divulgação)
(foto: @mundoparaduas/Divulgação)


Água cristalina, areia branca, balanços pendurados em árvores, bares com pufes à beira-mar, iluminados por velas charmosas e tomados por uma atmosfera relaxante. Esse cenário, ideal para férias bem tranquilas, fica em Koh Tao, no Golfo da Tailândia. A pequenina e paradisíaca ilha é cheia de atividades e agrada viajantes de todos os continentes, de todas as idades e de todos os gostos.

Quem curte um agito encontra facilmente pubs com sinuca e festas que varam a madrugada, além do famoso pub crawl, um “passeio” em grupo por vários bares da cidade, guiado geralmente por estrangeiros que se apaixonam pela ilha e resolvem trabalhar por lá um tempo. A parte mais movimentada da ilha é a Sairee Beach, onde se concentra a maior parte dos hotéis, restaurantes, bares e lojas.

Para quem procura descanso, pode se hospedar em resorts ou pousadas na beira da praia e se esquecer do tempo — cuidado para não perder a hora do pôr do sol, um compromisso imperdível em Koh Tao. Os aventureiros também têm várias opções atrativas, como alugar uma moto (cerca de R$ 15 a diária) e conhecer as diversas praias da ilha. Entre as mais bonitas, estão Taa Toh Beach, Freedom Beach, Shark Bay (onde é possível ver espécies de pequenos tubarões) e Chalok Baan Kao Bay. Kayaking e stand-up-paddle podem deixar o passeio ainda mais divertido. Vários quiosques oferecem aluguel de prancha e caiaque nas praias.

(foto: @mundoparaduas/Divulgação)
(foto: @mundoparaduas/Divulgação)

Depois de aproveitar as praias de Koh Tao, vale a pena explorar e se perder pelas charmosas ruelas de paralelepípedo de Sairee Beach, cheias de lojinhas que vendem de tudo — roupas, bolsas, sapatos, mochilas, equipamentos de mergulho, bijuterias, japamalas (o “terço” budista), além de muitos outros produtos. Calças thai, aquelas largas, confortáveis e geralmente bem coloridas, são as campeãs de venda, ao lado das regatas estampadas com elefantes ou então com uma Chang Beer, a mais famosa cerveja tailandesa. Uma dica importante é pechinchar muito. Os vendedores costumam dobrar ou até triplicar o preço quando o interessado na peça é um turista.

Tantos passeios acabam dando fome, não é? Uma boa hora para experimentar a comida de rua, boa e barata. Os thai pancakes (cerca de R$ 4) são uma ótima opção para quem gosta de doces — panquecas com frutas, nutella, chocolate ou leite condensado, fritas na manteiga por simpáticos vendedores). Os kebabs (em média, R$ 5) também são bastante populares na ilha e as pessoas costumam fazer filas nas barraquinhas. Mas para quem prefere o conforto de se sentar a uma mesa e comer tranquilamente, a ilha oferece muitas opções de bons restaurantes com preços bem acessíveis.

 

 Profundeza cristalina 

 

(foto: @mundoparaduas/Divulgação)
(foto: @mundoparaduas/Divulgação)


Não é à toa que Koh Tao é o lugar preferido dos mergulhadores na Tailândia. Primeiro porque água cristalina permite uma visibilidade de até 30 metros, segundo instrutores. Em segundo lugar, vem a diversidade biológica da ilha, que conta com milhares de espécies, incluindo o raro tubarão-baleia. Terceiro ponto: a água é morna e o mar praticamente não tem correnteza, o que traz conforto e segurança aos mergulhadores, principalmente os iniciantes. Para completar a lista de vantagens, vêm os preços, bem abaixo dos praticados na maioria dos points de mergulho mundiais (em média, R$ 100 um mergulho com cilindro. Preços variam de acordo com o número de mergulhos e com o tamanho do grupo — ou se é individual).

Koh Tao tem mais de sessenta escolas para mergulhadores iniciantes. Para escolher uma, é importante fazer uma boa pesquisa e optar por aquelas que têm instrutores qualificados, com certificados emitidos pela Associação Profissional de Instrutores de Mergulho. Na lista das mais recomendadas pelos viajantes, estão a Davy Jones’ Locker Diving, a Ban’s Divers e a Roctopus Dive. O interessante é que algumas oferecem acomodação gratuita quando o aluno fecha um curso de mergulho. Os interessados passam por uma aula teórica e uma prática na piscina antes de colocar o cilindro nas costas e pular no mar, onde descem a uma profundidade de até quinze metros. Uma experiência única. 

 

Koh nang-Yuan, o cartão-postal 

 

(foto: @mundoparaduas/Divulgação)
(foto: @mundoparaduas/Divulgação)


Bem perto de Koh Tao, fica Koh Nang-Yuan, uma ilha ainda menor e menos movimentada, onde as opções de acomodação são raras, por se tratar de um lugar paradisíaco e de acesso controlado. É fácil chegar até lá, basta pegar um taxi-boat (cerca de cinco dólares por pessoa, incluindo ida e volta. A “viagem” dura dez minutos). Difícil é querer sair de lá. O mar tem várias tonalidades, um misto de turquesa, um verde bem claro e um tom mais escuro de azul. A água morna é um convite para passar horas boiando e aproveitando as marolas de um mar que parece artificial, de tão tranquilo e deslumbrante. Bancos de areia estreitos dividem Nang-Yuan em três praias grudadas umas às outras, e os visitantes podem “passear” dentro do mar, indo de uma praia à outra.

E a melhor parte: tudo isso pode ser visto de cima, no mirante conhecido como o mais bonito da Tailândia. A trilha até lá é de intensidade moderada: cerca de  vinte minutos de caminhada, seguida de uma leve escalada até chegar ao topo da montanha. Parece muito esforço, mas a recompensa da vista faz esquecer todo o calor e cansaço causados pela trilha. A dica é subir assim que chegar à ilha, admirar a paisagem até cansar (se é que isso é possível) e depois relaxar nas barraquinhas na beira da praia e se refrescar no mar — afinal, o calor é intenso.

O último taxi-boat sai de Ko Nang-Yuan às 17h, então, o ideal é acordar cedo e aproveitar a ilha ao máximo. Uma taxa de 100 bahts (cerca de R$ 10) é cobrada ao chegar e não é permitido entrar com garrafas — uma política ecológica para evitar a poluição, uma atitude consciente e necessária na Tailândia, já que muitas praias do país, infelizmente, são cheias de lixo. Mas esse não é o caso de Nang-Yuan, uma ilha totalmente preservada e limpa.

Fica a dica 

 

Onde se hospedar
As opções de hospedagem em Koh Tao são variadas. É possível ficar em hostel (muito procurados por mochileiros), bangalôs na beira da praia, hotéis convencionais e grandes resorts. Em geral, os preços na Tailândia são mais baratos do que no Brasil. Uma diária em hostel (cama em dormitório compartilhado) custa a partir de R$ 27. A variação de preços de hotéis e guesthouses é grande, com diárias entre R$ 40 e R$ 800 (geralmente grandes resorts à beira-mar). A maioria das acomodações fica em Sairee Beach, a parte mais movimentada da ilha.

Quando ir
Na tropical Koh Tao, a temperatura não varia muito durante o ano, com clima sempre quente, mesmo no inverno. A melhor época para visitar a ilha é entre janeiro e maio, quando o clima é seco e a possibilidade de dias ensolarados é bastante alta. De maio a agosto, as chuvas também são raras, mas é alta temporada por causa das férias na Europa, então a ilha fica cheia e os preços, inflacionados. Melhor evitar o período entre setembro e dezembro, época de chuvas e monções.

Como chegar

Brasileiros geralmente chegam à Tailândia por Bangkok, a capital do país. O aeroporto mais perto de Koh Tao fica em Koh Samui, uma outra ilha distante 70 km. Diversos voos partem diariamente de Bangkok até Koh Samui. Depois, basta pegar uma balsa até Koh Tao (cerca de duas horas de viagem).

Visto
Brasileiros podem ficar até três meses na Tailândia sem visto. No entanto, trabalho não é permitido durante esse período. O país exige certificado internacional de vacinação conta febre amarela, emitido pelo posto da Anvisa no Aeroporto Internacional de Brasília. É só agendar o atendimento pelo site www.anvisa.gov.br/viajante e comparecer ao posto no dia escolhido, com passaporte e cartão de vacinação. O serviço é gratuito.

Serviços

Apesar de ser uma pequena ilha, Koh Tao é bem desenvolvida e conta com bancos, casas de câmbio, caixas eletrônicos, mercados e postos de saúde preparados para atender os turistas, com funcionários fluentes em inglês. 



* A jornalista Luiza Machado e a fotógrafa Tatiana de Moraes são duas mochileiras colaboradoras do caderno Turismo. Na estrada desde novembro, elas visitaram seis países e não têm data para voltar a Brasília, onde moram. Enquanto descobrem lugares incríveis, a aventura das duas pode ser acompanhada no perfil de Instagram @mundoparaduas.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade