Publicidade

Correio Braziliense BRASIL NA COPA

A bela dos Alpes, descubra os encantos que a Suíça tem a oferecer

Primeira seleção adversária no campeonato mundial, a Suíça é um país que respira história, cultura e bom gosto. Dotada de belas paisagens, tem muito a oferecer aos visitantes que buscam uma experiência de primeiro mundo


postado em 13/04/2018 10:00 / atualizado em 11/04/2018 19:33

(foto: Najeeb Mahmud/Flickr )
(foto: Najeeb Mahmud/Flickr )


A Seleção Brasileira estreia na Copa do Mundo na cidade Rostov, na Rússia, em 17 de junho, quando enfrentará a seleção suíça. O país, classificado entre os mais desenvolvidos do planeta, conhecido  pelos chocolates, relógios e canivetes, abriga inúmeras belezas. Numa extensão de 41.285 km², menor que o estado do Espírito Santo, esse pequeno país europeu  guarda lagos naturais, cidades pitorescas e construções medievais, formando uma paisagem quase homogênea.


Emoldurada pelos Alpes, a Suíça consegue fundir história, cultura, natureza e diplomacia, com o charme do interior e o agito de uma grande metrópole. Multicultural, não se assuste se, ao passear pelo país, escutar conversas em vários idiomas diferentes, pois, além de receber turistas de todo o mundo, o país possui quatro idiomas oficiais, que são herança de sua formação. São eles alemão, francês, italiano e romanche, essa mistura charmosa diferencia até mesmo o nome do país, que passa a ter uma diferente escrita e pronúncia para cada língua.

História

Apesar da pequena extensão, oferece lindas paisagens (foto: Andrey Leontiev/Flickr )
Apesar da pequena extensão, oferece lindas paisagens (foto: Andrey Leontiev/Flickr )

No passado o território hoje conhecido como Suíça era habitado por celtas helvécios, até a chegada dos romanos no século I a.C. O país chegou a integrar o império de Carlos Magno e o Sacro Império Romano até seu declínio, que ocasionou a chegada de tribos germânicas à região. Apenas em 1499 os suíços conquistaram a independência. Dessa data em diante, o país negou o expansionismo, recusando-se a participar de guerras até a Revolução Francesa, quando Napoleão Bonaparte invadiu o país.

Em 1815, o Congresso de Viena restabeleceu a nação e sua neutralidade. Famosa por sua imparcialidade, a Suíça não participou de guerra mundial e não se envolve em conflitos. Hoje um dos países mais ricos e estáveis do mundo, possui uma moeda própria e extremamente sólida. Além disso, o país ostenta um dos melhores índices de desenvolvimento humano, ocupando o 13° lugar no ranking mundial.

Turismo
O país, conhecido pelos chocolates, fica aos pés dos Alpes (foto: Ursula Kuenzle/Flickr )
O país, conhecido pelos chocolates, fica aos pés dos Alpes (foto: Ursula Kuenzle/Flickr )

Apesar de não ser o primeiro destino quando se pensa em conhecer a Europa, a Suíça é cada vez mais procurada por quem quer vivenciar a experiência de estar em um país de primeiro mundo.

A melhor época para visitação é o  verão. Entre abril e setembro, as temperaturas variam entre 18 e 20°C, mas ainda é possível encontrar neve em alguns locais de altitude elevada. Para quem espera desfrutar dos encantos do inverno, os melhores meses são entre dezembro e março.

 

Friburgo 

 

(foto: Sébastien Gasser/Flickr )
(foto: Sébastien Gasser/Flickr )

Às margens do Rio Saarne, o cantão de Friburgo é composto por três partes, a região dos Pré-Alpes, a cidade de Friburgo e a região dos Três Lagos. A cidade de Friburgo é dividida em dois lados multifacetados, conhecidos como cidade alta e cidade baixa.

Fundada pelo Duque Bertoldo IV de Zähringen em 1157, a cidade baixa preservou seu centro, um dos mais belos cenários medievais da Suíça. O local é rico em igrejas e fontes que datam dos séculos 12 e 17, paisagens que arrancam suspiros dos apaixonados pela arquitetura gótica e esculturas renascentistas.

As ruas mais antigas exibem cerca de 200 fachadas góticas, tendo como destaque a Catedral de São Nicolau.  Construído entre 1182 e 1490 em Bourg, o edifício de 74 metros de altura proporciona uma visão incrível e panorâmica do resto da região. Já do outro lado, a cidade alta é uma cidade universitária, agitada e cosmopolitana. Berço do artista contemporâneo Jean Tinguely, outro ponto de parada obrigatório é o museu Espace Jean Tinguely et Niki de Saint Phalle, dedicado à sua memória.

GRUYÈRES

(foto: alesduchac/Flickr )
(foto: alesduchac/Flickr )

Nas proximidades dos Pré-Alpes fica o município de Gruyères, também de ares medievais. Famoso pela quantidade massiva de gerânios vermelhos que enfeitam as sacadas dos habitantes, a vila ganha o título de uma das mais românticas da Europa. Quem sai do centro de Friburgo, viajando de trem, desembarca, em menos de 1 hora, em frente à Maison de Gruyère, estabelecimento que mostra através de um tour, como é fabricado o prestigiado queijo da região.


Château de Gruyères
(foto: Dan/Flickr )
(foto: Dan/Flickr )

A atração turística mais importante da vila está em seu ponto mais alto. O castelo Château de Gruyères, construído no século XIII, é um dos mais ilustres castelos Suíços. Foi habitado por 19 condes desde a sua construção. Após a falência do último proprietário em 1554, serviu de morada para oficiais de Justiça e prefeitos até ser transformado em museu. Hoje, exibe uma impressionante coleção de objetos que datam da idade média. Uma rota interessante para quem deseja conhecer o castelo é através de uma trilha que sai de Charmey e passa pelo Lago Montsalvens. Com duração de três horas, a travessia passa por uma ponte suspensa e pode ser percorrida de março a novembro.

Museu HR Ginger
(foto: Morton THIOKOL/Flickr )
(foto: Morton THIOKOL/Flickr )
  
Outro ponto de parada interessante é o Museu HR Ginger, conhecido como o Museu do Alien. O apelido ganhou fama, pois se trata do museu do criador do filme Alien — o Oitavo Passageiro, ganhador do Oscar nos anos 1980. Ele exibe toda a obra do artista — são pinturas, esculturas e desenhos que misturam surrealismo e ficção científica, criando uma atmosfera sombria e intrigante. Para aproveitar mais, visite também o bar HR Ginger, de temática semelhante. Com alguma disposição, é possível conhecer todo o vilarejo a pé, já que carros não são permitidos de circular.

 

CHARMEY 
(foto: Charmey Tourisme/Flickr )
(foto: Charmey Tourisme/Flickr )

Mais um dos vilarejos alpinos de Friburgo, Charmey é um famoso destino de férias tanto no verão quanto no inverno, quando as temperaturas caem e o local se transforma numa pitoresca estação de esqui. Nesse período,  é possível praticar diversas atividades na neve. Durante muito tempo, a aldeia foi o principal centro de produção do queijo Gruyère, hoje sua economia gira majoritariamente em função do turismo. 

 

Termas de Gruyères

(foto: ClearFrost/Flickr )
(foto: ClearFrost/Flickr )

Outro ponto que faz de Charmey um destino interessante são as  termas de Gruyères, uma espécie de spa, com piscinas aquecidas internas e externas e vista para os alpes. As termas são divididas em áreas nórdica e oriental com várias divisões de sauna, hammam e banho turco, assim como vários espaços para relaxamento do corpo e da mente. Outras propostas incluem sessões de sauna tradicional e aulas de hidroginástica.

Passeios pelas montanhas
(foto: Olivier Bandelier/Flickr )
(foto: Olivier Bandelier/Flickr )

Um dos passeios mais interessantes é a visita à montanha Vounetz. O teleférico panorâmico que leva até o topo proporciona uma vista incrível dos rios, pastos alpinos e cumes da região. De maio a outubro, é possível praticar atividades esportivas de verão no alto da montanha. Saltos, powerfan, quick jump, escalada, arvorismo, tirolesa e caça ao tesouro podem ser praticados por adultos e crianças a partir de 12 anos de idade. No período de inverno, as atividades são voltadas para esqui e trekking, que é um tipo de caminhada pela neve.

 

Brasil x Suíça

  • No dia 17 de junho às 15h, a Seleção Brasileira vai disputar sua primeira partida nos jogos da Copa do Mundo contra a seleção da Suíça, na cidade de Rostov, na Rússia.
  • Mais informações sobre turismo na Suíça: www.myswitzerland.com


* Estagiária sob supervisão de Taís Braga

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade