Publicidade

Correio Braziliense VIENA

Saiba mais sobre a famosa cidade do tempo, a capital austríaca

Passado e futuro se unem ao longo do Danúbio. A capital da Áustria é a terra dos castelos, da história, da cultura e da modernidade. Um lugar para não deixar de conhecer


postado em 25/04/2018 20:00 / atualizado em 25/04/2018 14:51

(foto: pxhere/Reprodução)
(foto: pxhere/Reprodução)


Clássica e moderna. Assim é Viena, cidade com mais de 1,6 milhão de habitantes. A capital da Áustria atrai mais de 12 milhões de turistas por ano e faz questão de mostrar aos visitantes sua reverência ao passado. É com orgulho e um forte nacionalismo que os habitantes da cidade contam a história do reinado dos Habsburgos (que governaram Viena por mais de 600 anos), a vida das imperatrizes Maria Theresa e Sissi, do imperador Francisco José, e das suas maiores referências: Strauss e Mozart, na música, e Sigmund Freud na psicanálise. Não se esqueça também da importância da princesa Leopoldina, a primeira imperatriz brasileira Maria Leopoldina, que deixou Viena para se casar com Pedro I e teve participação decisiva na independência do país.

Viena é uma cidade com elevada qualidade de vida e considerada uma das mais ricas do mundo. Oferece bons hotéis, restaurantes, cafés e lojas. A cidade, que teve parte destruída pela guerra, recuperou-se completamente e hoje respira arte e cultura. Teatros famosos e casas de ópera têm apresentações frequentes de música clássica.

Cortada ao norte pelo Rio Danúbio, tem vários palácios, como o de Schönbrunn, reconhecido pela Unesco como patrimônio da humanidade, o Hofburg e o Belvedere. São todas construções imponentes e não podem deixar de ser visitadas.

O Tiegarten Schönbrunn, o mais antigo zoológico do mundo, oferece boa estrutura(foto: pxhere/Reprodução)
O Tiegarten Schönbrunn, o mais antigo zoológico do mundo, oferece boa estrutura (foto: pxhere/Reprodução)


No local, duas atrações se destacam: a Gloriette, construção que fica no alto de uma colina, onde o imperador Francisco José I fazia suas refeições e também assistia a concertos de ópera. Lá de cima, além de apreciar o palácio, é possível ver toda a cidade de Viena e depois fazer uma parada no restaurante para descansar e provar as iguarias da gastronomia local.

É um lugar deslumbrante, ainda mais no inverno, com a neve recobrindo todo o jardim e suas belas esculturas. Mas é no verão que o jardim encanta com suas flores e plantas, ao estilo do Palácio de Versailles, na França. Neste ano, estão programadas para o fim de maio apresentações da Orquestra Filarmônica de Viena ao ar livre, no Palácio de Schönbrunn.

Para quem viaja com crianças no verão, um labirinto formado por folhagens torna-se espaço para brincadeiras. A outra atração é o Tiegarten Schönbrunn, o mais antigo zoológico do mundo. Fundado em 1752, abriga ursos-polares, pandas, zebras, pinguins, pacas, macacos, leões, peixes e outras espécies. A estrutura é fantástica, com inúmeros quiosques, banheiros, bares, restaurantes e, como em todos os lugares, não podia faltar a lojinha de suvenires.

 

Todos os estilos 

 

No centro histórico da cidade, edificações exibem o luxo da arquitetura(foto: Alessandro Caproni/Reprodução - 20/5/12)
No centro histórico da cidade, edificações exibem o luxo da arquitetura (foto: Alessandro Caproni/Reprodução - 20/5/12)


O art nouveau também marcou a arquitetura vienense. O edifício da Secessão, de 1898, é um dos mais famosos exemplos desse estilo arquitetônico de Viena. De todos os arquitetos influentes que trabalharam naquela época, Otto Wagner foi o que mais contribuiu para moldar o estilo da capital austríaca. Fora do art nouveau, o arquiteto Adolf Loos se destacou ao optar por um estilo funcional, com fachadas completamente simples.

O final do século 19 na cidade austríaca marca o Modernismo vienense, movimento que teve grandes expoentes como o próprio Otto Wagner, Gustav Klimt, Egon Schiele, Koloman Moser, Sigmund Freud e Karl Kraus, entre outros, com grandes contribuições à história e à cultura da Áustria. Este ano, em que se completam 100 anos da morte de quatro de seus maiores protagonistas: Klimt, Schiele, Wagner e Moser, a cidade promove diversas exposições em mais de 25 museus, galerias e outros espaços para mostrar o legado desses que eram considerados gênios do Modernismo vienense.

A gastronomia vienense é também reconhecida mundialmente. Além de restaurantes de fama internacional, barraquinhas de salsichas propiciam novas experiências. Uma iguaria típica da cidade é o bife de vitela à milanesa, bem como panquecas doces com uvas-passas. Os mercados vienenses, como o Naschmarkt, oferecem petiscos exóticos. E o café vienense é patrimônio imaterial da Unesco. Os vários bares, cafés e restaurantes oferecem opções gastronômicas que aguçam os sentidos e fazem da viagem uma experiência inesquecível. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade