Publicidade

Correio Braziliense COSTA RICA

Rica e bela, descubra a exuberante Costa Rica

A Costa Rica é a segunda seleção concorrente do Brasil na Copa do Mundo de 2018. Além de suas belezas naturais, confira um roteiro cultural para conhecer melhor o país


postado em 27/04/2018 10:00 / atualizado em 25/04/2018 17:26

(foto: Panegyrics of Granovetter/Flickr )
(foto: Panegyrics of Granovetter/Flickr )


Quando falamos sobre a Costa Rica, a palavra adequada é diversidade. Paraíso natural, lar de vulcões, cordilheiras, praias, corredeiras e florestas tropicais, esse pequeno país da América Central abriga 5% de toda a biodiversidade do planeta, fato que é orgulhosamente resguardado por sua população. Liderando o ranking que mede o Índice de Desempenho Ambiental entre os países da América Latina, 24% do território costarriquense se encontra protegido, são 29 parques nacionais, 19 refúgios de vida silvestre e 8 reservas biológicas. Por esse motivo a Costa Rica se destaca pelo ecoturismo, sendo um dos principais destinos tanto entre os países americanos quanto a nível mundial, recebendo mais de dois milhões de visitas anuais. Hoje o país trabalha para se tornar a primeira nação carbon free, que de maneira simplificada, significa não emitir mais carbono do que é capaz de neutralizar.


História    

Ex-colônia, a Costa Rica, que se estende desde o oceano pacífico até o mar do Caribe nasceu de uma mistura entre espanhóis, índios e jamaicanos. Em 1502, segundo histórias, Cristóvão Colombo chega a Puerto Limon e batiza a terra de Costa Rica. Surpreendidos pela feroz resistência indígena, os invasores espanhóis sucumbem a doenças tropicais. Mais tarde, em 1561, o território começa a ser colonizado por Juan Cavallon. Um ano depois Cartago é fundada, em 1737 nasce San José, Alajuela surge em 1782. A população indígena é praticamente dizimada por doenças europeias, os colonos não possuem capital suficiente para utilizar a mão de obra escrava, então trazem apenas algumas centenas da Jamaica.

Isolada do restante da América Latina e da coroa espanhola, a Costa Rica foi declarada independente em 1821, e anexada imediatamente ao reino Mexicano. Um ano depois se juntou à República Federal da América Central e, em 1838, sob o governo de Bráulio Carrilho, a Costa Rica se tornou soberana e independente.

Hoje, com 96% de sua população alfabetizada e ocupando a sétima posição entre os melhores índices de desenvolvimento humano entre os países latinos, a Costa Rica segue a tradição diplomática de nossos adversários suíços, sendo o único país da América Latina a integrar a lista de democracias mais antigas do mundo. Sede da elaboração da Convenção Americana dos Direitos Humanos e da Corte Interamericana de Direitos Humanos, o país aboliu o exército em 1948 e hoje conta apenas com o apoio da Força Nacional.

Comece a treinar seu espanhol e aproveite as vantagens desse país exuberante. Brasileiros não precisam de visto para permanecer até 90 dias e o clima tropical torna o turismo ideal em qualquer época do ano. Confira agora um roteiro que passeia pelas principais províncias e cidades.

 

Passeios culturais  

 

Mosaico cultural, a Costa Rica é o resultado da miscigenação entre a cultura indígena guaymi, etnia que habitava o país, a cultura africana trazida pelos escravos, a caribenha própria de seu território geográfico, a espanhola fomentada pelos colonizadores e a jamaicana procedente da emigração.


San José

(foto: Anthony International/Flickr )
(foto: Anthony International/Flickr )

Capital e cidade mais populosa da Costa Rica, San José é com frequência subestimada pelos turistas. Fundada na primeira metade do século XVIII, a cidade foi nomeada em homenagem a seu santo padroeiro, São José, antes disso o local era conhecido como “A Boca do Monte”.

Hoje, uma metrópole vibrante, San José é um local de convergência entre pessoas de todo o mundo. Rica em cultura e história, é cheia de bares, hotéis, teatros e parques. Uma vez na cidade, os visitantes podem escolher entre dezenas de passeios para os lugares naturais mais famosos, dentro e fora do Vale Central, além de ter acesso a uma grande variedade de aventuras esportivas, é uma das áreas mais acessíveis, que  pode ser percorrida a pé. 

Teatro Nacional
(foto: racefoto/Flickr )
(foto: racefoto/Flickr )

Monumento mais importante e símbolo da cidade, o Teatro Nacional foi construído em 1890. Feito em pedra, granito e mármore, seu exterior exibe alegorias de dança, música e teatro. Há também esculturas de artistas renomados, como os italianos Pietro Bulgarelli, Adriatico Froli e Pietro Capurro. O interior exibe pinturas valiosas de Paolo Serra, Juigi Vignani, Roberto Fontana, José Villa e Tomas Povedano. No entanto, sua maior riqueza provém dos espetáculos. Em seu palco, apresenta-se balé, ópera, peças teatrais e concertos da Orquestra Sinfônica Nacional. Localizado na segunda avenida, o Teatro funciona das 9h às 16h de segunda a sábado.

Praça da Cultura
(foto: Trans Costa Rica Tours/Flickr )
(foto: Trans Costa Rica Tours/Flickr )

Com o objetivo de criar um espaço para atividades artísticas, literárias e científicas, nasceu a Praça da Cultura. Inaugurada em 1982, as principais áreas são ocupadas pelo Museu de Ouro pré-colombiano, o Museu da Coleção de Moedas do Banco Central, uma biblioteca, um auditório e áreas abertas para exposições temporárias e outros eventos.

Museu de Jade

(foto: Richard Boudreau/Flickr )
(foto: Richard Boudreau/Flickr )

Com instalações inauguradas em 2014, o Museu Del Jade exibe a maior coleção de pedras pré-colombianas das Américas, além de preservar e exibir artefatos em cerâmica, ossos, pedra, cascas de árvores e outros, em modernas salas de exibição. Localizado na Rua 13, o Museu funciona de segunda a domingo, das 10h às 17h.

 

Outras sugestões de passeios: Edifício Nossa Senhora de Sion, o Castelo Azul, Assembléia Legislativa, Museu Nacional da Costa Rica, Praça da Democracia, Igreja Nossa Senhora da Solidão, Teatro de Variedades, As Arcadas, Catedral Metropolitana, Estátua do Papa João Paulo II, Parque Central, Teatro Popular Melico Salazar, Mercado Central.


Cartago

(foto: Zakaria Sayed/Flickr )
(foto: Zakaria Sayed/Flickr )

Em 1536, o conquistador espanhol Juan Vázquez de Coronado estabeleceu fronteiras entre os rios Coris e Purires, local que mais tarde seria conhecido como a cidade de Cartago. Antiga capital do país, Cartago é uma cidade relativamente pequena e talvez a mais importante da Costa Rica em matéria de arte colonial. Ladeada por cadeias de montanhas, Cartago é uma terra de tradições e religiões. Lá é possível admirar o monumento nacional de Guayabo, nos arredores da cidade de Turrialba. Em Guayabo, os visitantes podem também admirar construções enigmáticas em uma das maiores áreas arqueológicas descobertas no país. Sua maior atração no entanto é o vulcão Irazú, que permanece ativo.

Igreja Maria Auxiliadora
Originalmente uma capela, a igreja que pode ser vista hoje foi construída após um terremoto em 1910. Um dos poucos exemplos da arquitetura neogótica em Cartago. Declarada Patrimônio Nacional Arquitetônico em 1999, as paredes externas da igreja foram renovadas, incluindo a fachada, a torre do sino, os pináculos e as paredes laterais. A estrutura também foi pintada de vermelho, que teria sido a cor original do templo.

 

Anfiteatro Municipal de Cartago

(foto: wikimedia commons/Divulgação )
(foto: wikimedia commons/Divulgação )

Importante polo cultural da cidade, o anfiteatro fica ao lado da Igreja Maria Auxiliadora. Com capacidade para 400 pessoas, lá visitantes desfrutam de teatro, dança, música e exposições, entre outros eventos culturais.

Basílica da Nossa Senhora dos Anjos
(foto: Zakaria Sayed/Flickr )
(foto: Zakaria Sayed/Flickr )

Construída entre 1912 e 1930, o edifício em estilo bizantino foi projetado pelo arquiteto Luis Llach. Patrimônio histórico e arquitetônico da Costa Rica desde 1999, a Basílica foi construída em honra da aparição da Virgem dos Anjos em 1635, padroeira do país. No dia 2 de agosto, ocorre a peregrinação à Basílica, assistida por milhões de fiéis.

Outras sugestões de passeios: Monumento à Virgem de Los Angeles, Cemitério de Cartago, Edifício Pirie, Santiago da Catedral do Apóstolo, Catedral Diocese de Santiago, Clube Social Cartago, Cartago Plaza Mayor, Palácio Municipal, Mercado da cidade de Cartago, Jesus Jimenez Park,

Alajuela
(foto: Rod Priel/Flickr )
(foto: Rod Priel/Flickr )

Há 20km de San José fica Alajuela, conhecida como a terra das mangas. Fundada em 1782, é hoje a segunda maior cidade do país. Dona de uma riqueza natural invejável, os turistas podem visitar dois vulcões ativos, o vulcão Arenal, na cidade de San Carlos, e o vulcão Poás, na Cordilheira Vulcânica Central. Muitos dos hotéis da região oferecem uma vista panorâmica do vulcão Arenal e seu show noturno, onde erupções podem ser observadas.

Galeria Municipal Antiga Estação
Nos dias de hoje uma galeria de arte, mas no passado essa estrutura construída no século XX serviu de lar para uma estação ferroviária. Declarada Patrimônio Histórico e Arquitetônico em 1997, o local foi remodelado para abrigar a galeria.

Monumento Juan Santamaria

(foto: Wikimedia Commons/Flickr )
(foto: Wikimedia Commons/Flickr )

Localizado na Juan Santamaria Plaza, o monumento é um ícone para a comunidade local. A estátua de bronze é dedicada à memória de um dos heróis nacionais, Juan Santamaria, que perdeu a vida na Campanha Nacional contra o Filibuster.

Tomas Guardia Central Park

Patrimônio histórico, o Parque tem sido um dos principais pontos de encontro da cidade, desde 1890. Palco de eventos artísticos e culturais, o parque possui extensas áreas verdes com designer renascentista, além de uma fonte importada da Escócia.

 

Centro Cultural de Alajuela

(foto: Rodrigo Fernández/Flickr )
(foto: Rodrigo Fernández/Flickr )

Patrimônio histórico desde 1979, o edifício fica onde antigamente se encontrava o Palácio Municipal. Aberto ao público, o Centro desempenhou um papel fundamental no desenvolvimento cultural e artístico na cidade. No local também funcionam o Arquivo Municipal, do Conservatório Municipal de Música, do Escritório de Promoção Esportiva e do escritório regional do departamento de Cultura de Alajuela.

 

Teatro Municipal
(foto: Rodrigo Fernández/Flickr )
(foto: Rodrigo Fernández/Flickr )

Construído em 1956, o Teatro se destaca por ser um exemplo de Art Deco e do movimento neocolonial na Costa Rica. Patrimônio histórico e arquitetônico, o teatro é o terceiro mais importante do país.

 

Limón

(foto: ReggaeWorld CostaRica/Flickr )
(foto: ReggaeWorld CostaRica/Flickr )

Província caribenha, Limón foi utilizada como porto por muitos anos. No século 20, a cidade se desenvolveu em uma área diversificada e multilíngue, cercada por selvas, montanhas e praias, grande parte de seu território se encontra protegido. Dona de uma arquitetura única, conhecida como Caribbean Vitoriano, a cidade é uma combinação interessante e multiétnica.

Cariari Hotel

A construção britânica e neoclássica, construída em 1910 em concreto e tijolo, foi inicialmente projetada para ser um banco do capital inglês. Posteriormente utilizada como embaixada dos EUA na segunda guerra mundial e também como farmácia, passou a ser utilizada como moradia anos mais tarde. Hoje, permanece como hotel e é um importante marco arquitetônico da cidade.

 

Monumento a Pablo Presbere
Pablo Presbere é conhecido como um dos mais temidos guerreiros de Talamanca, por ter se rebelado contra os colonizadores espanhóis em 1709 e unido os povos indígenas que viviam na região. Hoje, uma estátua de bronze com 8 metros de altura reside nos jardins de Limón para homenageá-lo.

Palácio Municipal

Idealizado por dois dos profissionais mais prestigiados dos anos 40, Rogelio Pardo e José Maria Barrantos Monte, o palácio em estilo neoclássico foi feito  a partir de tijolos em formato de U. O edifício cheio de galerias, janelas e jardins foi declarado patrimônio histórico e arquitetônico em 2002.  

 

Outras sugestões de passeios: Parque Vargas, Monumento Balvanero Vargas Molina, Autoridade Portuária, Pensão Costa Rica, Edifício dos Correios e Telégrafos, Mercado da Cidade, Casa da Cultura e Quebra Mar. 

 

* Estagiária sob supervisão de Taís Braga

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade