Publicidade

Correio Braziliense SÉRVIA

Conheça a terceira seleção adversária do Brasil na primeira fase da Copa

A Sérvia, país do sudeste europeu, ainda é pouco conhecido pelos brasileiros, apesar das semelhanças entre os povos: alegres, acolhedores e, como nós, cumprimentam com dois beijinhos! A natureza foi generosa com a terra que ficou historicamente conhecida pelos conflitos e integrou a antiga Iugoslávia. Banhada pelo rio Danúbio, tem clima mediterrâneo, com as estações bem marcadas e belezas históricas como a capital Belgrado. Faça frio ou calor, você certamente não esquecerá os encantos que ela guarda.


postado em 16/05/2018 20:00 / atualizado em 17/05/2018 14:52

(foto: Byron Howes/Flickr)
(foto: Byron Howes/Flickr)


Destino ainda pouco conhecido pelos brasileiros, esse país do sudeste europeu fez parte da antiga Iugoslávia. Juntamente com a Bósnia-Herzegovina, Croácia, Eslovênia, Macedônia e Montenegro, a Sérvia integrou a Iugoslávia até 2003. Com uma história marcada por conflitos e tentativas de emancipação, o país que já esteve nos holofotes mundiais e ainda carrega cicatrizes provenientes das guerras, hoje constrói uma nova imagem.

País de ares rústicos e cortado pelo extenso Rio Danúbio, a Sérvia é o resultado de combinações únicas. Elo entre o ocidente europeu e o oriente, o país exibe um índice de desenvolvimento humano consideravelmente elevado. Seu clima é mediterrâneo e as estações do ano costumam ser bem marcadas. Neva no inverno, quando os turistas correm para estações de esqui, e no verão as temperaturas chegam a  28°C, quando os sérvios se banham nas praias fluviais do Danúbio.

Uma mistura de eslavos, turcos, árabes e italianos, o povo sérvio é outra riqueza do país. Bastante hospitaleiros e acolhedores, são chamados, às vezes, de “brasileiros da europa”. Eles adoram receber turistas e, assim como nós, se cumprimentam com beijinhos no rosto.

Apesar de a língua oficial do país ser o sérvio, a maior parte da população fala inglês sem grande dificuldade. Sua localização privilegiada na Península Balcânica facilita para que o turista conheça também os países vizinhos. O Turismo mostra um pouco do  terceiro e último adversário da primeira fase da disputado Mundial de Futebol, a Sérvia.

 

Belgrado 

(foto: Matvey Smychkov/Flickr)
(foto: Matvey Smychkov/Flickr)

 

Capital do país e principal destino turístico, Belgrado é uma cidade autêntica. Com cerca de dois milhões de habitantes, é também a maior do país, ganhou a  reputação de cidade que nunca dorme por causa das várias opções de lazer noturno.

Além disso, Belgrado também respira história, já que é uma das mais antigas cidades européias. Com mais de 7 mil anos de história para contar, em Belgrado residem várias atrações como sítios arqueológicos, fortalezas e construções medievais.

Fortaleza Kalemegdan

(foto: Serzhile/Flickr)
(foto: Serzhile/Flickr)


Símbolo de Belgrado, a Fortaleza está de pé há dois mil anos. Considerada por muitos o coração de Belgrado, suas paredes guardam a história da cidade. Ao longo dos anos, a fortaleza teve vários nomes, hoje chamada de Kalemegdan é apelidada pelos moradores de Kalis. O complexo arquitetônico é marcado pela influência dos povos romanos, bizantinos, sérvios, húngaros e otomanos. Possui câmaras subterrâneas que fazem parte do Museu Nacional, que exibe sarcófagos romanos, altares e lápides. Existem também torres, outros monumentos e o Museu Militar.

Praia Ada Ciganlija
(foto: Ivan Spasenovic/Flickr )
(foto: Ivan Spasenovic/Flickr )


Conhecida como o mar de Belgrado, a Ada, como é chamada pelos locais, é uma ilha artificial criada a partir do rio Sava durante os anos 60. Com pontos para banho e prática de esportes náuticos, é um dos locais mais populares de Belgrado.

 

Catedral de São Sava 

(foto: Wikimedia Commons/Domínio Público)
(foto: Wikimedia Commons/Domínio Público)

 

Construída em homenagem ao arcebispo São Sava, a Catedral é o segundo maior templo ortodoxo do mundo, com capacidade para acomodar mais de 10 mil pessoas. Construída em estilo sérvio-bizantino, sua edificação levou mais de 1 século para ser concluída e, hoje, atrai fiéis e apreciadores de arquitetura.

Catedral de São Miguel

(foto: Tore & Mary-Ann/Flickr)
(foto: Tore & Mary-Ann/Flickr)

 

Construída entre 1837 e 1840 em estilo barroco, a Catedral de São Miguel reside em cima das ruínas de uma outra igreja mais antiga. Planejada pelo arquiteto de Pancevo AF Kverfeld, além de exibir a belíssima arquitetura, tem também uma coleção de obras de arte em filigrana e pintura.

Rua Skadarlija

(foto: I.C. Photo/Flickr)
(foto: I.C. Photo/Flickr)

 

Para quem procura desfrutar a vida noturna de Belgrado, a famosa Rua Skadarlija, que ganhou popularidade no século 20, após passar a ser frequentada por celebridades, é uma excelente opção. Além de bairro histórico, é também a principal rua do ponto boêmio da capital, cheio de restaurantes e bares, chamados de kafanas.

Novi Sad

(foto: Ivan Stankovic/Flickr)
(foto: Ivan Stankovic/Flickr)

 

Considerada por muitos turistas ainda mais bonita que Belgrado, Novi Sad é uma cidade charmosa, com forte influência da arquitetura austro-húngara. Fundada no século 17, a capital da província de Vojvodina, Novi Sad é cercada por planícies, pelo Rio Danúbio, e pela montanha Fruska Gora.

Hoje, segunda maior cidade sérvia, além de seu centro histórico e seu peso cultural, a cidade possui também uma animada vida noturna, cheia de festivais, cafés e clubes. Caso a data de sua visita coincida com o festival EXIT, não deixe de conferir. É um dos mais prestigiados festivais de música alternativa na Europa.

Praia Strand

(foto: Marco Verch/Flickr)
(foto: Marco Verch/Flickr)


A Strand Beach é uma das praias fluviais do Rio Danúbio. Rodeada por uma área verde e com vista para a Ponte da Liberdade, a praia é perfeita para aproveitar os dias quentes.

Ruas Jmaj Jovina e Dunavska

(foto: Aleksandar Milutinovi/Flickr )
(foto: Aleksandar Milutinovi/Flickr )


A caminho da Fortaleza de Petrovaradin, você irá cruzar essas duas ruas pitorescas, cheia de restaurantes, cafés e lojas. Dunavska é também a rua mais antiga de Novi Sad.

 

A fortaleza de  Petrovaradin

(foto: Eddy BERTHIER/Flickr)
(foto: Eddy BERTHIER/Flickr)

 

No passado, a fortaleza foi a maior fortificação da Europa e também palco para uma das principais batalhas enfrentadas no país. Hoje, é um símbolo da cidade. De arquitetura monumental, recheada por túneis, galerias subterrâneas, labirintos, o complexo abriga também uma galeria de arte, o planetário e o museu da cidade. Para visitá-la é necessário subir os 200 degraus de entrada, que é recompensada pela vista panorâmica da cidade.


Abaixo da fortaleza está a cidade Petrovaradiana, que abriga em meio a suas construções barrocas, o Mosteiro de São Juraj, o Portão de Belgrado, a Igreja de São Pedro e São Paulo, a Prefeitura, o Hospital Militar, a casa onde nasceu o conde e general austríaco Josip Jelai.

Mediana

(foto: Wikimedia Commons/Domínio Público)
(foto: Wikimedia Commons/Domínio Público)

 

Um dos principais e mais bem preservados sítios arqueológicos locais, Mediana abriga as ruínas de uma grande construção imperial romana. As escavações revelaram várias instalações, entre elas um celeiro e uma torre d’água.

Museu de Vojvodina

(foto: Bill Kralovec/Flickr)
(foto: Bill Kralovec/Flickr)

 

O Museu de Vojvodina é um passeio ideal para contextualizar e aprender mais sobre a história local desde os tempos neolíticos até a era moderna. Entre as atrações estão expostos capacetes de ouro intactos pertencentes a soldados romanos e uma coleção de roupas do século 19, além de ossos e utensílios pré-históricos.

Montanha Fruska Gora

(foto: Aleksandar Milutinovi?/Flickr)
(foto: Aleksandar Milutinovi?/Flickr)

 

Chamada de montanha mágica, Fruska Gora fica no coração das planícies de Vojvodina. Transformada em parque nacional nos anos 60, foi também o primeiro parque do país. Em suas encostas existem vários vinhedos, e espalhados pela montanha estão mosteiros e monumentos culturais. Visitantes podem fazer atividades como caminhadas e degustação de vinhos.

Campo da Cruz Vermelha

(foto: MagalieL'Abbe/Flickr )
(foto: MagalieL'Abbe/Flickr )

 

Aqui fica o campo de concentração nazista usado para prender cerca de 30 mil judeus sérvios durante a Segunda Guerra Mundial. É possível visitar as instalações e ver como os prisioneiros viviam, as imagens são fortes, mas, a visita é interessante para relembrar fatos históricos.

Fortaleza de Nis

(foto: Guillaume Speurt/Flickr)
(foto: Guillaume Speurt/Flickr)


O complexo arquitetônico às margens do Rio Sava é a fortaleza turca mais bem preservada de toda a região balcânica. Construída em 1723, hoje abriga parques públicos e uma impressionante coleção de tumbas romanas com mais de 2 mil anos de idade e de diferentes tempos históricos.

Torre da caveira

(foto: Wouter Tyteca/Flickr)
(foto: Wouter Tyteca/Flickr)


A Torre da caveira é uma estrutura de pedra incrustada com crânios humanos, construída há 200 anos, com o objetivo de assustar os cristãos residentes na área. Feita pelos otomanos após a batalha de Cegar, a torre foi construída com mais de 950 crânios pertencentes aos sérvios derrotados. Para os sérvios, a torre é um símbolo de luta pela liberdade.

Niš

(foto: Aleksandar Grasic/Flickr )
(foto: Aleksandar Grasic/Flickr )


Uma das cidades mais antigas da península balcânica, como é chamada a região do sudeste europeu, Niš é a capital do distrito de Nišava. Rodeada por cadeias de montanhas, Niš já foi uma cidade romana, proveniente de um assentamento celta e local de nascimento de Constantino, o Grande. Conquistada e destruída por diversas vezes pelos húngaros, búlgaros, bizantinos e turcos, hoje Nis é um importante centro administrativo, cultural, econômico, comercial e universitário sérvio.

 

Fique ligado

Brasil x Sérvia 

27 de junho às 15h (horário de Brasília).

 

 

*Estagiária sob supervisão de Taís Braga 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade