Publicidade

Correio Braziliense SÉRVIA

No campo adversário, brasileiros que vivem em Belgrado

Morar fora do Brasil é o sonho de muita gente. brasileiros moradores da capital da Sérvia, aprenderam a gostar do país, mas na disputa pelo futebol, o coração é verde e amarelo


postado em 17/05/2018 10:00 / atualizado em 17/05/2018 14:56

(foto: Wikipedia Commons/Divulgação)
(foto: Wikipedia Commons/Divulgação)

 

Thiago Ferreira, 26, e Roger Vagliano, 29, deixaram o Rio de Janeiro e Minas Gerais, respectivamente, para se mudar para a Sérvia. Com pensamentos parecidos, os jovens se conheceram no país, quando se identificaram não apenas pelo amor à Sérvia, mas como pela paixão que sentiam por duas moças do país europeu, motivo inicial pelo qual se mudaram. Hoje, os amigos administram a agência turística Talas Travel, e as redes sociais do Bem Vindo à Sérvia, onde compartilham informações sobre o país, no que chamam de turismo receptivo.

Roger, que era servidor público e graduando em direito no Brasil, decidiu largar tudo e mudar de vida. Envolvido com organizações de intercâmbio desde 2010, ele disponibilizava um cômodo de sua casa, em Minas Gerais, para intercambistas. “Entre as pessoas que hospedei, estavam três meninas sérvias. Nos tornamos amigos e os relatos delas sobre o país atiçaram minha curiosidade sobre a Sérvia.” Movido pela curiosidade e pela paixonite por uma dessas meninas, Roger decidiu conhecer o país. “Fui para lá em 2013 pela primeira vez e mais uma vez após isso. Na terceira vez, decidi largar tudo e mudar de vez.” Hoje após três anos morando no país, Roger relata estar muito feliz. “A Sérvia me surpreendeu muito, não apenas pela estrutura como também pelo povo, que é extremamente aberto e caloroso. Estou muito feliz e não me arrependi.”

Thiago e Roger têm histórias semelhantes: se apaixonaram por jovens sérvias e pelo país(foto: Thiago Ferreira/Arquivo Pessoal)
Thiago e Roger têm histórias semelhantes: se apaixonaram por jovens sérvias e pelo país (foto: Thiago Ferreira/Arquivo Pessoal)


Já Thiago viajou para o país pela primeira em 2010. “Conheci uma moça sérvia através do meu canal no Youtube, e após quase dois anos, resolvi viajar para conhecê-la.” Chegando na Sérvia, Thiago se apaixonou tanto pela moça, quanto pelo país. Um ano depois, percebendo a falta de informações sobre o país, iniciou o blog Bem Vindo à Sérvia, onde escrevia sobre sua experiência. Em 2012, Tiago resolveu mudar-se para Belgrado. “No fim do mesmo ano comecei a organizar grupos de brasileiros para viajar dentro da Sérvia, com o intuito de conhecer o país. Mais tarde, em 2014, abrimos oficialmente a Talas Travel, para que brasileiros e pessoas do mundo inteiro possam conhecer a Sérvia e se apaixonar como nós nos apaixonamos” conta.

Segundo eles, a viagem é autêntica e cheia de surpresas. “Ninguém sabe exatamente o que esperar da Sérvia.” conta Tiago, que enxerga a Sérvia como um país em expansão. “A economia ainda está se recuperando do período de guerras nos anos 90, mas que está num caminho rumo à prosperidade. É um país que vem chamando a atenção no mapa dos destinos turísticos mundiais por sua autenticidade e por ser um destino seguro e novo.” Para ele, a Sérvia não é igual aos países clichês que todos estão acostumados a ver na Europa. “É um país legal para se visitar agora, porque daqui a alguns anos já vai estar dominado pelo turismo de massa” conta.

 

Descoberta de sabores 

 

Parte do processo de fabricação da rakija (foto: brankomaster/Flickr)
Parte do processo de fabricação da rakija (foto: brankomaster/Flickr)


A gastronomia sérvia é uma experiência que o turista não pode deixar de ter. Apesar de nomes impronunciáveis, os ingredientes lembram alguns quitutes da cozinha brasileira e mundial.

Quando se trata da culinária sérvia, alguns itens são lembrados, como a pljeskavica, uma espécie de hambúrguer. O burek, uma massa recheada. A palacinka, que se parece com uma panqueca doce e o ajvar, que é uma pasta apimentada. Mas, o que existe de mais tradicional é a  rakija, um tipo de conhaque, que é a bebida oficial da península balcânica.

A palavra rakija vem de do árabe “al-rak”, que significa transpiração. Levada para a Sérvia pelos turcos, inicialmente essa bebida era consumida para fins terapêuticos, mas quando o país enfrentou um problema com a produção de vinho, ela passou a ser utilizada para outros fins.

A rakija é uma bebida tradicional sérvia, feita com frutas e geralmente destilada em casa(foto: Nerid Solórzano/Flickr)
A rakija é uma bebida tradicional sérvia, feita com frutas e geralmente destilada em casa (foto: Nerid Solórzano/Flickr)


A bebida é produzida a partir de diversas frutas, principalmente ameixa, e costuma ser destilada em casa, contendo 40% de teor alcoólico. Comum nas residências sérvias, ela pode conter variações de acordo com a família que o fabrica, podendo ser batizada com canela ou outras especiarias, detalhes que a torna única.


Torcida organizada
Em decorrência da Copa do Mundo, o número de viagens para a Rússia cresce, sendo o destino no exterior mais reservado por brasileiros. Segundo uma pesquisa realizada pelo buscado de viagens Brooking, o Brasil ocupa o terceiro lugar entre as nacionalidades que visitarão o país de junho a julho.



Serviço

 
* Estagiária sob supervisão de Taís Braga 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade