Publicidade

Correio Braziliense SANTUÁRIO

Caminho divino, a saga para homenagear a Santíssima Trindade

No primeiro domingo de julho é realizada a festa da Trindade. Durante 10 dias, fiéis, carreiros, cavaleiros e visitantes prestam homenagens e participam de diversas atividades


postado em 27/06/2018 12:00

(foto: Gesion Carvalho/Divulgação - 6/7/13)
(foto: Gesion Carvalho/Divulgação - 6/7/13)

Às margens do córrego Barro Preto, Ana Rosa e Constantino Xavier encontraram um medalhão de barro onde estava esculpida a imagem da Santíssima Trindade. Corria o ano de 1840 e aquele achado deu início a uma história de fé que transformou toda a região próxima ao rio. Nascia a cidade de Trindade, a 215km de Brasília.  A relíquia foi guardada em casa e o casal passou a rezar o terço nos fins de semana. Em pouco tempo as graças atribuídas ao medalhão atraíram peregrinos que se transformaram em numerosos devotos, surgindo a necessidade de erguer uma capela para abrigar os fiéis. A primeira foi coberta com folhas de buritis e o primeiro Santuário, erguido em 1912, é, hoje, a paróquia matriz da cidade.

 

Devoção que move pessoas

O pórtico marca o fim do trajeto e abre as portas da cidade(foto: Santuário Basílica Divino Pai Eterno/Divulgação)
O pórtico marca o fim do trajeto e abre as portas da cidade (foto: Santuário Basílica Divino Pai Eterno/Divulgação)
 

 

A fé não mede esforços, não conta as horas, não deixa de seguir em frente. A estrada GO 360 é conhecida como a Rodovia dos Romeiros. São 18 quilômetros que ligam Goiânia a Trindade, cidade com 120 mil habitantes. Foi criada uma via especial para dar mais segurança aos caminhantes. Há barracas ao longo de toda a extensão, onde é possível descansar os pés, comer, tomar água, trocar um dedinho de prosa amiga e ganhar uma força para prosseguir a caminhada.

Os devotos vão chegando aos poucos e logo são muitos. O movimento é intenso. Há quem faça o caminho todos os anos. São brasileiros de todas as regiões e estrangeiros. A estimativa para este ano é de quatro milhões de visitantes durante os 10 dias de festa. Caminham sem pressa, em oração, com alegria e com o coração cheio de esperança, gratidão e admiração. Nas mãos levam velas, imagens, rosários, filhos.

Cada um tem uma história e todas elas levam à Basílica do Divino Pai Eterno. As missas são celebradas de hora em hora, mesmo assim, não há espaço que chegue. Por isso, um novo santuário está sendo construído. Ele abrigará o maior sino de badalo do mundo, que está em processo de fabricação, na Polônia. O carrilhão do campanário terá 74 sinos. Uma grandiosidade somente comparada à fé dos visitantes.

Erguida em 1912, a igreja Matriz foi o primeiro santuário em Trindade(foto: Santuário Basílica Divino Pai Eterno/Divulgação)
Erguida em 1912, a igreja Matriz foi o primeiro santuário em Trindade (foto: Santuário Basílica Divino Pai Eterno/Divulgação)


De acordo com o padre Robson de Oliveira, um dos organizadores da festa, pela caminho passam muitas histórias de vida. “É a fé que move as pessoas. É uma verdadeira experiência espiritual, e até mesmo cultural, ver e presenciar tantas manifestações, testemunhos e cenas fortes que emocionam.”

Festa

O primeiro domingo do mês de julho marca o dia mais importante das comemorações do Divino Pai Eterno. É quando a festa bomba. A programação é intensa. São necessárias duas mil pessoas, entre voluntários e colaboradores, para organizar todas as atividades que vão desde missas a romarias de carros de boi, motociclistas, carreiros, alvorada festiva com fogos e sinos e, claro, procissão.

Neste ano, o tema “Pai eterno, somos teus filhos”, foi escolhido com base na orientação do papa Francisco, que em suas mensagens aponta a necessidade de a Igreja ressignificar a vida pastoral. Dessa forma, o religioso coloca-se como filho na perspectiva de ser um agente transformador da vida da família, da Igreja e da sociedade, de acordo com o documento do temário produzido para a festa de 2018.
 

Para saber mais

Casa do senhor

A imagem de Nossa Senhora é um dos pontos mais visitados(foto: Santuário Basílica Divino Pai Eterno/Divulgação)
A imagem de Nossa Senhora é um dos pontos mais visitados (foto: Santuário Basílica Divino Pai Eterno/Divulgação)


Na antiga Atenas, a residência da autoridade que administrava a justiça era chamada de basiliké, que significa pórtico régio. Era um modelo de casa com espaço para a realização de atividades cívicas, reuniões, assembleias e, por vezes, funcionava com tribunal ou espaço comercial.

O modelo arquitetônico previa uma construção grande — com uma nave central e outras nas laterais — e comprida. Nos antigos registros sobre o cristianismo, a palavra basílica está ligada a um espaço onde ocorre reunião litúrgica. A basílica é definida como a casa do senhor, onde os fiéis se reúnem por ele.

A estrutura da basílica romana foi incorporada ao cristianismo pelas características de grandiosidade e espaço para atividades cristãs. Atualmente, poucas igrejas adotam o modelo arquitetônico das construções antigas. As chamadas basílicas adotam o título por tradição imemorial ou por concessão do papa.

O Santuário Basílica do Divino Pai Eterno é o único do mundo dedicado ao Divino Pai Eterno. Em 4 de abril de 2006, o papa Bento XVI concedeu o título ao santuário e, em 18 de novembro de 2006, se deu a instalação.

 

Programação

(foto: Santuário Basílica Divino Pai Eterno/Divulgação)
(foto: Santuário Basílica Divino Pai Eterno/Divulgação)

 

Quinta-feira (28/06)

  • 5h - Saída da 5ª Romaria da Solidariedade - trevo de Goiânia
  • 9h - Romaria dos carros de boi, com bênção aos carreiros - Praça da Matriz
  • 17h30 - Missa das Obras Sociais Redentoristas - Santuário Basílica
Sexta-feira (29/06)
  • 0h - Missa no Santuário Basílica
  • 2h - Missa no Santuário Basílica
  • 4h - Missa no Santuário Basílica
  • 9h - Desfile dos cavaleiros e muladeiros - praça da matriz
  • 17h30 - Missa com os cavaleiros e muladeiros - Santuário Basílica
  • 20h - Novena solene com participação dos internos da Vila São Cottolengo
Sábado (30/06)
  • 12h - Missa com os foliões - Santuário Basílica
  • 14h - Encontro dos carreiros - Salão paroquial da Igreja Matriz
  • 17h30 - Missa com os carreiros - Praça do Santuário Basílica
Domingo  (01/07)
  • 0h - Missa no Santuário Basílica
  • 2h - Missa no Santuário Basílica
  • 4h - Alvorada festiva com fogos e sinos
  • 4h45 - Procissão da penitência
  • 5h45 - Santa missa na Praça do Santuário Basílica
  • 8h - Missa solene da festa
  • 17h - Procissão luminosa e celebração de encerramento
Segunda-feira (02/07)
  • 5h - Toque de despertar
  • Missas no Santuário Basílica: 5h30, 7h, 10h e 19h30
  • Missas na matriz: 7h, 9h e 19h

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade