Publicidade

Correio Braziliense VIAGENS

De Brasília para o mundo, saídas da capital para o exterior devem aumentar

Os moradores da capital têm poucas opções de voos diretos para cidades do exterior, embora o aeroporto da cidade tenha condições de operar mais destinos. Decreto pode incentivar abertura de novas rotas


postado em 28/06/2018 10:00

(foto: Minervino Junior/CB/D.A Press - 9/3/18)
(foto: Minervino Junior/CB/D.A Press - 9/3/18)

Os brasileiros da capital do país são os mais dispostos quando se trata de viajar para o exterior. De acordo com a Sondagem do consumidor sobre a intenção de viagem, pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundação Getúlio Vargas com o Ministério do Turismo (Mtur) em novembro do ano passado, 6,8% dos entrevistados pretendem conhecer outros países. É um número expressivo, principalmente diante das dificuldades encontradas pelo turista brasiliense, que tem à diposição apenas cinco destinos internacionais partindo diretamente da cidade — Lisboa, Miami, Panamá, Punta Cana e Buenos Aires.

Planejar uma viagem internacional pode ser cansativo. A quantidade de conexões e escalas, as horas de espera — sem contar as possibilidades de atraso —, além do tempo de voo dependendo da distância até o destino, faz com que os turistas percam tempo e, principalmente, reduzam o período da viagem. Segundo  Jorge Arruda, presidente da Inframerica, empresa concessionária do Aeroporto de Brasília, 36% dos passageiros que saem do aeroporto Juscelino Kubitscheck têm como destino as cidades de São Paulo ou Rio de Janeiro para, dali, embarcarem em voos com destino ao exterior.

 

Sonho de turistas

Michelle Braz viaja anualmente e gostaria de ter mais opções(foto: Arquivo Pessoal)
Michelle Braz viaja anualmente e gostaria de ter mais opções (foto: Arquivo Pessoal)

 

A servidora pública Michelle Braz de Queiroz Araujo, 39 anos, viajou para Miami com a irmã em março deste ano. Moradora de Águas Claras, ela é uma das turistas que gostariam ter mais opções de voos internacionais diretos. “Viajo pelo menos uma vez ao ano, geralmente em época de férias escolares por conta da minha filha. Costumamos ir para locais que possuem praia, preferência de todos da nossa família.”

Segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), o Brasil possui cerca de 2.463 aeroportos, públicos e privados. O Aeroporto Internacional de Brasília é o terceiro maior do Brasil em movimentação internacional de passageiros e o maior hub doméstico do país, além de ser o  único do continente a operar pistas paralelas simultâneas, de acordo com a Inframérica. Os usuários aprovaram a expansão e reforma efetuadas no terminal há cinco anos, mas avaliam que o potencial do aeroporto da capital não é bem aproveitado.

 

Flávia Monteiro acredita que o aeroporto tem ótimas condições(foto: Arquivo Pessoal)
Flávia Monteiro acredita que o aeroporto tem ótimas condições (foto: Arquivo Pessoal)
 

 

"Tem ótimas condições para operar voos com destino ao exterior, no entanto o freeshop poderia ser ampliado e estar aberto durante o período de chegada dos voos diretos e de origem internacional”, observa Flávia Monteiro de Castro Campos, 55 anos, servidora pública moradora da Asa Sul, que viajou recentemente para a Alemanha a trabalho. “Tenho viajado para fora do país, a passeio, a cada dois anos. Amo Nova York e Londres. Quero conhecer Portugal e Espanha, e também Chicago, nos EUA”, afirmou.

 

De acordo com Roberto Luiz, gerente de negócios aéreos da Inframerica, o terminal brasiliense tem vocação para atuar como centro logístico de conexões (hub) aéreas principalmente pela posição geográfica (centro do país). A Inframérica informou que o Aeroporto de Brasília terá novos voos para Miami e Orlando que começarão a operar em novembro deste ano. Em março passado, a Avianca anunciou a segunda frequência diária e direta para Miami, diurna. A companhia adiantou que abrirá a terceira frequência diária para Santiago, que começará a operar em junho.

 

Para voar mais

De acordo com a Inframérica, 36% dos passageiros saem da capital para embarcar em voos internacionais(foto: Ed Alves/CB/D.A Press - 25/5/18)
De acordo com a Inframérica, 36% dos passageiros saem da capital para embarcar em voos internacionais (foto: Ed Alves/CB/D.A Press - 25/5/18)
 

 

A partir do próximo ano, as empresas de aviação que oferecerem novas rotas entre Brasília e cidades no exterior ganharão incentivo econômico, de acordo com um Decreto publicado no último dia 15 pelo Governo do Distrito Federal. O texto garante incentivo fiscal no percentual do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) que incide sobre o querosene de aviação.

Na prática, as companhias aéreas brasileiras que operarem mais voos internacionais no Aeroporto de Brasília receberão maior desconto no ICMS que incide sobre o combustível nos voos nacionais, já que os voos internacionais, sejam de companhias brasileiras ou sejam de estrangeiras, são isentos da cobrança do tributo. O decretopermite a redução de 12% para até 7% na alíquota do tributo. Considerando-se que, segundo as aéreas, 30% do custo das empresas é decorrente dos valores do combustível, trata-se de um incentivo importante.

O objetivo é incentivar a criação de destinos internacionais com decolagens a partir do Juscelino Kubitscheck. O GDF avalia que há ganhos para todos — passageiros, empresas aéreas, operação aeroportuária e governo, que poderá arrecadar mais com o crescimento da oferta. O gerente de negócios aéreos da Inframérica Roberto Luiz afirmou que a medida é “acertada e estratégica”. Segundo ele, “as companhias aéreas buscam a todo momento a inclusão de novas rotas e destinos.”

O presidente da Inframerica, Jorge Arruda, se mostrou estusiasmado com o incentivo e acrescentou que as mudanças feitas pela concessionária no aeroporto tinham o objetivo de tornar o terminal “um hub estratégico que sirva não apenas o Brasil, mas toda a América Latina. A centralidade geográfica do Distrito Federal dá ao Aeroporto essa vocação natural e estamos investindo para tornar esse projeto uma realidade”. Ele adiantou que em novembro deste ano, a GOL iniciará dois voos com frequências diárias para Miami e Orlando.

 

JK em números

12.385
pousos e decolagens por mês, uma média de 412 por dia

148.619
movimentações no ano

46 mil

passageiros/dia em média; embarques (27,8%), desembarques (28,2%) e conexões (44%)

466 mil
passageiros internacionais no ano

7,1 milhões

de passageiros em conexão

17 milhões
de passageiros no total


Fonte: Inframérica (2017)
 

 

» Colaborou Marcos Prudencio, estagiário sob supervisão de Taís Braga

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade