Publicidade

Correio Braziliense ESPÍRITO SANTO

Agroturismo que é atração, conheça fazendas de flores e plantas

A terra boa produz o que se planta e atrai um novo perfil de turista, que conhece o trabalho e valoriza o produto


postado em 02/07/2018 17:00

No alto da montanha é possível ver parte da Rota do Lagarto. Trilha de média dificuldade é ideal para os aventureiros(foto: Parque Pedra Azul/Divulgação)
No alto da montanha é possível ver parte da Rota do Lagarto. Trilha de média dificuldade é ideal para os aventureiros (foto: Parque Pedra Azul/Divulgação)
 

Com mais de 10 anos de produção e uma proposta de contemplação, o orquidário Caliman (nome da família de imigrantes italianos) é um dos diversos pontos de produção de orquídeas de Venda Nova do Imigrante. Além do estudo genético das espécies e do desenvolvimento de exemplares híbridos, o local serve de parada para os amantes da orquidofilia. “O bom da vida não está no plano cartesiano”, atenta um dos responsáveis pelo orquidário sobre a recusa em ser um local para venda das espécies: “Não temos o objetivo de ganhar dinheiro aqui”, dispara.

No Sítio Lourenção, de uma família de italianos que veio de navio para Vitória, em 1885, fomos recebido por dona Bernadete e seu Máximo, que mostraram o processo de cura do socol, embutido de carne de porco de receita italiana. “Muitos turistas passam por aqui só para comprar o nosso socol e outros antepastos”, conta Bernadete Lourenção, que ainda destacou a procura por brócolis, lichia, licor Limoncello e pitaia. “Adoramos receber as pessoas e passar a tarde tomando vinho e conversando no quintal”, convida.

A região também atrai estrangeiros e muitos brasileiros de outros estados interessados em fixar moradia e empreender por ali, dada a riqueza da terra. É o caso da agricultora Eliana Brum, dona do Sítio de Saron Hidroponia. “Há 12 anos faço o meu ponto por aqui e tenho sorte. O turista, depois que vem a primeira vez, faz daqui sua parada obrigatória”, conta a mineira de Ipatinga, no Vale do Aço, que se apaixonou pelas montanhas capixabas. No sítio, são vendidos alface em diversas espécies, brócolis, rúcula, mostarda inglesa, chicória, acelga e agrião, entre outros.

 

O Caliman é parada obrigatória para os amantes das orquídeas(foto: Orquidário Caliman/Divulgação)
O Caliman é parada obrigatória para os amantes das orquídeas (foto: Orquidário Caliman/Divulgação)

 

O holandês Arno Wieringa, de 53 anos, que veio para a região em 2000, criou o Apiário Florin, localizado às margens da rodovia ES-165, em Domingos Martins, e tem público cativo a cada dia da semana. Filho de apicultor, ele reconhece que a cada dia o movimento aumenta e se queixa de que, mesmo morando em plena natureza, não tem tempo para tirar férias. “Nossos clientes ficam de férias, mas nós não”, confessa Arno, que realiza 30% de sua venda on-line. “É preciso prever os períodos de baixa temporada e combinar um mercado com o outro”, finaliza.

Parque estadual

Para quem gosta de ecoturismo, as trilhas do Parque Estadual da Pedra Azul, localizado no distrito de Aracê, reservam bela paisagem para o visitante que se aventurar pelos 3,5 quilômetros de caminhos auto-guiáveis. Na entrada da trilha, instruções importantes são passadas pelo funcionário José Belon, de 55, mais conhecido como Guarda Belo, em uma alusão ao personagem do desenho da série animada Manda Chuva. “Tire somente fotos, deixe somente pegadas, queime somente calorias e leve somente lembranças”, recita Belon, que trabalha na reserva há 33 anos e chega a receber 480 visitantes em uma semana.

Depois do primeiro mirante, caminhada que dura 10 minutos, de onde se tem uma vista panorâmica de parte da Rota do Lagarto, há a trilha para a subida até as piscinas naturais, escalando-se parte da montanha por cabos de aço ancorados pelos guardas do parque. O passeio é de média dificuldade, mas quem quiser subir por um caminho mais tranquilo, pode seguir trilha inaugurada recentemente para esse fim. Na vista do alto, as piscinas naturais aos pés dos 1.822 metros do Pico do Lagarto são a recompensa para o aventureiro, que pode se banhar nas águas geladas das nascentes do Rio Jucu, que abastece 70% do consumo de água na Grande Vitória.

 

A família Lourenção é descendente de italianos: amor ao visitante(foto: Prefeitura de Venda Nova do Imigrante/Divulgação)
A família Lourenção é descendente de italianos: amor ao visitante (foto: Prefeitura de Venda Nova do Imigrante/Divulgação)
 

 

Os passeios, gratuitos, ocorrem de terça-feira a domingo e devem ser agendados com um dia de antecedência pelo site do Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema) (www.iema.es.gov.br/pepaz). É aconselhável que o visitante esteja trajando roupas leves e confortáveis e calçados fechados, como tênis ou botas (sem salto), com boa aderência ao solo.

Para saber mais

Pedra multicor

A montanha da Pedra Azul tem esse nome devido a incidência da luz solar, que pode mudar a cor da rocha, ficando azul ou verde e até mesmo avermelhada. Entretanto, a maior parte do tempo é branca acinzentada. Estima-se, de acordo com o quadro do parque, que a Pedra Azul mude de cor 36 vezes por dia. Localizada no município de Domingos Martins (ES), a Reserva Florestal de Pedra Azul foi criada por decreto, em 31 de outubro de 1960.

 

* O repórter viajou a convite da Pousada Rabo do Lagarto

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade