Publicidade

Correio Braziliense CEARÁ

Um doce viver, se encante com as belezas do litoral cearense

A brisa que sopra do mar e carrega a jangada empurra velas coloridas de equipamentos radicais. Mais forte, ela move os braços dos moinhos que geram energia e mostram uma beleza nova e sustentável


postado em 11/07/2018 17:00 / atualizado em 11/07/2018 19:14

(foto: Murilo Fagundes/Esp.CB/D.A Press)
(foto: Murilo Fagundes/Esp.CB/D.A Press)

 

“...Onde o coqueiro
Tem palma bem verde
Balançando ao vento
Pertinho do céu
E lá nasceu a virgem do poema
A linda Iracema dos lábios de mel...”

(No Ceará é assim, Fagner)

 

Que o Ceará é terra de belezas naturais, cultura única e gastronomia caprichada muitos sabem. Mas, quando passeiam de bugue pela areia fina de Morro Branco, Praia das Fontes e Uruaú ou pela famosa Canoa Quebrada, a 160 km da capital Fortaleza, vários turistas nem percebem que o vento e a brisa são personagens essenciais para as experiências magníficas nas paradisíacas praias cearenses.

De um lado, no meio do mar verde e agitado, os aventureiros se deixam levar pelo impulso do vento e se divertem no kite ou no windsurf, esportes aquáticos que utilizam pipas e pranchas com suporte para os pés. Também no mar, que muitas alegrias traz ao povo cearense, estão as jangadas, movidas unicamente pelo vento, que lhes dá força para velejar mar adentro e levar alimento a diversas famílias.

 

(foto: Arthur Lazarte/ Flickr)
(foto: Arthur Lazarte/ Flickr)
 

 

Na outra direção, longe da simplicidade, os imponentes aerogeradores de energia eólica surpreendem e constroem uma paisagem belíssima, quase como na obra de Miguel de Cervantes, na qual Dom Quixote luta contra moinhos de vento. E, no pôr do sol, que costuma embelezar o céu por volta das 17h30, a paisagem fica ainda mais bonita.

 

Pioneiro em energia eólica no país, o estado cearense, assim como Rio Grande do Norte e Bahia, desponta pelas condições favoráveis de vento para a geração energética. Esse potencial é responsável por abastecer diversas cidades próximas e promover milhares de empregos de forma direta. Por isso, a terra da luz também é a terra do vento, dos mais fortes aos mais fracos, da brisa que acalma os turistas nas cadeiras de praia à ventania que faz os cabelos voarem nos radicais passeios de bugue.

Não tem como fugir. O Ceará é reduto de praias paradisíacas, largas faixas de areia, tempo ameno e brisa suave. Os mares, mesmo que “bravios”, como já dizia o cantor Fagner, encantam os turistas que chegam ao estado nordestino. Confira quatro praias selecionadas pelo Correio na terra de Iracema de José de Alencar, a virgem dos lábios de mel.

 

Praia de Jericoacoara, Jijoca de Jericoacoara

(foto: Wikipedia Commons/ Divulgação)
(foto: Wikipedia Commons/ Divulgação)


Considerado pela revista Forbes um dos melhores lugares para se visitar, o vilarejo de Jericoacoara é o queridinho de turistas do Brasil e do exterior. A região, que fica a 300 km de Fortaleza, não conta com a melhor infraestrutura, até porque esse ar de rusticidade e, ao mesmo tempo, de conforto é um dos encantos do lugar paradisíaco cheio de belezas naturais. Então, os visitantes precisam se adaptar ao local que, por exemplo, não conta com agências bancárias. A lagoa de águas transparentes, a areia fininha, os passeios de bugue, a gastronomia e os esportes radicais, como wind e kitesurf, além da sofisticação misturada com tranquilidade são atrações de tirar o fôlego e explicam a fama de “Jeri”.

 

Praia do Futuro, Fortaleza

 

(foto: Crocobeach/ Divulgação)
(foto: Crocobeach/ Divulgação)


Ocupando oito dos 25 quilômetros da orla da capital, a Praia do Futuro é, talvez, a preferida dos banhistas que vão ao Ceará. Geralmente, praias localizadas nas grandes capitais pecam pela sujeira, mas a Praia do Futuro, que recebeu esse nome devido a uma jogada de marketing imobiliária, é diferente. Definitivamente, a praia não é sinônimo de sossego nem de tranquilidade, mas a estrutura do local chama a atenção dos visitantes, que podem desfrutar diversas barracas enormes e equipadas. É o caso da Crocobeach, com piscina, lounges, sauna e salão de beleza. As noites de quinta-feira  são movimentadas por lá. É quando os turistas e moradores podem aproveitar as famosas caranguejadas da Praia do Futuro, além de shows de forró e humor.

 

Praia de Canoa Quebrada, Aracati  

(foto: Paula Matos/ Divulgação)
(foto: Paula Matos/ Divulgação)

 

Um dos destinos mais populares do Ceará, Canoa Quebrada é um vilarejo do município de Aracati e fica a 160 km da capital Fortaleza. Em Canoa, muitos fatores encantam os turistas: as cores estonteantes tanto do mar quanto da areia, a temperatura média de 25ºC da água, as falésias, onde muitos visitantes param para fotografar o letreiro com o nome da praia, além das aventuras dos passeios de bugue e dos esportes radicais (leia mais na página 4). Além disso, a noite fica por conta da Broadway, rua cheia de bares e restaurantes que encanta os visitantes e moradores. O lugar, que já foi considerado hippie, hoje, fervilha e figura entre os pontos mais movimentados da região. Se for se hospedar em Fortaleza e quiser passar um  dia em Canoa, vale ficar na barraca Chega Mais Beach, referência no estado, construída com madeira de reflorestamento e cheia de programações especiais.

 

Praia de Morro Branco, Beberibe

(foto: Murilo Fagundes/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Murilo Fagundes/Esp. CB/D.A Press)


Os paredões de falésias, também conhecidos como costa alta, são marcas da deslumbrante Praia de Morro Branco, localizada na cidade de Beberibe. A praia se destaca pelas águas morna e ondas fortes, então, não é muito recomendada para crianças. Por lá, o turista encontra mais de 10 cores diferentes de areia. É com essa variedade de cores que se montam as garrafinhas de areia, souvenirs típicos da região. Morro Branco, aliás, faz parte da Rota das Falésias, roteiro que integra 215 km de praias espalhadas em oito cidades ao longo do litoral leste do Ceará e outra parte no Rio Grande do Norte. Na Rota, além das falésias coloridas, o turista pode conhecer dunas de areias brancas e praias com águas mornas e esverdeadas. Vale a pena fazer o passeio de bugue, que custa, em média, 240 reais e inclui Morro Branco, Praia das Fontes e Uruaú, com paradas em pontos estratégicos, como grutas e lagoas.

 

* Estagiário sob supervisão de Taís Braga

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade