Publicidade

Correio Braziliense ILHAS MAURÍCIO

Ilhas Maurício oferecem praias para todos os gostos

O arquipélago exibe paisagens que convidam ao relaxamento e, paradoxalmente, ao desejo de explorar e de se aventurar. Maurício é uma grande e bela mistura de sensações e experiências


postado em 21/08/2018 10:00 / atualizado em 28/08/2018 16:57

(foto: Juliana A. Saad/Esp.CB/D.A Press)
(foto: Juliana A. Saad/Esp.CB/D.A Press)


O mar de Maurício, sempre deslumbrante e com uma miríade de tons que vão do azul profundo ao verde-claro, é super procurado por mergulhadores e amantes dos esportes aquáticos. A barreira de corais em Blue Bay (o único parque marinho da ilha) e também as ilhas de Deux Cocos e Ile Aux Cerfs, na costa leste do país, além de Flic-en-Flac, do outro lado, são destinos quentes para mergulhadores.

A sudoeste da África, Maurício fica a 870km de Madagascar e a 3.522km de Johanesburgo, na África do Sul (parada obrigatória para quem vai à ilha desde o Brasil). Seus vizinhos mais próximos são as ilhas de Reunião a oeste e Seychelles ao norte. Junto a Maurício (1.860km²), a ilha de Rodrigues (110km²) e as ilhotas de Agalega e Cargados formam a República de Maurício, daí a confusão: ilha ou ilhas Maurício? No caso da República, o plural; da ilha, vale o singular.

Maurício é a mais visitada delas — foram cerca de 950 mil turistas no ano passado. Trata-se de um país múltiplo na costa africana, onde a mão de tráfego é inglesa, as línguas oficiais são o créole, o inglês e o francês, além de híndi, chinês e outros idiomas.

Na região de Grand Bassim, imagens do deus indiano Shiva(foto: Juliana A. Saad/Esp.CB/D.A Press)
Na região de Grand Bassim, imagens do deus indiano Shiva (foto: Juliana A. Saad/Esp.CB/D.A Press)

A mescla de religiões e culturas convive pacificamente, como demonstram as enormes estátuas de 33 metros do deus indiano Shiva e da deusa Durga que dominam a paisagem da região de Grand Bassin, e muitos templos hindus que coexistem com mesquitas muçulmanas, igrejas católicas e pagodes chineses.

 

O templo Ganga Talao reúne os fiéis. Culturas e religiões em harmonia (foto: Juliana A. Saad/Esp.CB/D.A Press)
O templo Ganga Talao reúne os fiéis. Culturas e religiões em harmonia (foto: Juliana A. Saad/Esp.CB/D.A Press)


O país ganhou o nome do príncipe holandês Maurício de Nassau e a capital recebeu o nome do rei francês Louis XV. Mix total! Africanos, árabes, indianos, portugueses, holandeses, franceses, ingleses e chineses formam o caldo créole mauricienne. A Sega é a dança nacional e expressão musical de Maurício. As dançarinas com saias coloridas utilizam graciosos movimentos do braço enquanto giram os pés pelo chão. A intensidade e ritmo dos instrumentistas interagindo com a dança é hipnotizante.

 

Fique atento

Moeda
A moeda local é a rúpia (Rs), que  tem câmbio que gira em torno de R$ 1 = R$ 9. Dólares podem ser trocados no aeroporto. Cartões de crédito são aceitos na maioria dos lugares.

Idiomas
Francês, crioulo, inglês.

Fuso

 

+7 horas

Entrada

Passaporte válido e a passagem aérea de regresso são obrigatórios. Não é necessário visto para brasileiros.

Vacina
Sem o documento que comprova a vacinação contra a febre amarela não se embarca para o país ou para a África do Sul. A vacina deve ser tomada pelo menos 10 dias antes da viagem.

 

Mar nos quatro "cantos" da ilha 

Norte

(foto: Na região de Grand Bassim, imagens da deusa indiana Shiva)
(foto: Na região de Grand Bassim, imagens da deusa indiana Shiva)


A região da Rivière du Rempart, Pamplemousses e Rivière Noire é onde se concentra o maior número de resorts. A costa norte da ilha é o lugar mais desenvolvido e agitado. Grand Baie tem uma abundância de restaurantes e casas noturnas. Se você gosta de balada, vai encontrar muitas opções. Quando o assunto é praia, algumas das melhores da ilha estão aqui, como a deslumbrante Trou aux Biches, à sombra de árvores, ou Mont Choisy, que vai de Trou aux Biches à Grand Baie, na linda enseada de Péreybère.

Leste

(foto: Juliana A. Saad/Esp.CB/D.A Press)
(foto: Juliana A. Saad/Esp.CB/D.A Press)


Tida como “a joia da coroa de Maurício”, essa parte da costa é formada por enseadas e lagunas cor de esmeralda. Situada entre as montanhas e o mar, ali ficam algumas das melhores praias do país, como Belle Mare, de areia muito clara pontilhada por árvores em uma dezena de quilômetros; Blue Bay e Pont d´Esny, ideais para surfe, vela e mergulho rápido e também outra preciosidade da região, a charmosa Île Aux Cerfs, a 30 minutos de barco de Pointe Maurice, com palmeiras, areia claríssima e lagunas. Restaurantes à beira d´água completam as atrações da ilha.

Oeste  

(foto: Juliana A. Saad/Esp.CB/D.A Press)
(foto: Juliana A. Saad/Esp.CB/D.A Press)


Saindo de Tamarin Bay ou Flic en Flac, em direção à Île aux Benitiers, pode-se avistar os golfinhos que passeiam pelas águas da região. Le Morne, a montanha basáltica com 556 m acima da península de mesmo nome, foi usada como refúgio por escravos fugitivos e é considerada Patrimônio Histórico Mundial devido aos seus laços históricos com a escravidão. A região também abriga alguns bons hotéis, conhecidos por oferecer grande variedade de esportes aquáticos.

Sul  

(foto: Juliana A. Saad/Esp.CB/D.A Press)
(foto: Juliana A. Saad/Esp.CB/D.A Press)


Revela uma paisagem muito diferente do resto da ilha, pois é mais selvagem e intocada. A barreira de recifes de coral que protege esse ponto da costa é caracterizada por suas lagoas de água salgada e as altas falésias, que emprestam uma beleza incrível à região. As praias mais procuradas são Saint-Félix, Rivière des Galets e Gris Gris.


Ilha luxuriante

(foto: Juliana A. Saad/Esp.CB/D.A Press)
(foto: Juliana A. Saad/Esp.CB/D.A Press)

 

Embarcamos para procurar, observar e mergulhar com golfinhos nas águas azuis. Outros barcos navegam macio fazendo espuma em busca de cardumes brincalhões. Uma vez localizados, snorkel no rosto e tchibum na água. A sensação é uma das melhores: nadar lado a lado, livres. De volta a bordo, é hora de ver as ilhotas flutuantes, observar as piscinas naturais formadas pelos recifes de coral e nadar, feliz. Na hora da fome, um piquenique a bordo agrada em cheio. E nesse momento, você sente que está realmente em um lugar especial. (Juliana A. Saad)

Onde ficar  

» Em meio a uma ampla oferta de hospedagem na ilha, a rede Beachcomber Resorts & Hotels se destaca pela exclusividade e infraestrutura privilegiada (suítes, apartamentos e vilas) somadas a muitas opções de lazer, esportes náuticos inclusos, gastronomia requintada em  restaurantes e bares espetaculares (um melhor que o outro) e serviço gentil. Genuinamente mauriciano, o grupo de resorts e hotéis tem oito propriedades nos pontos mais sensacionais da ilha — de hotéis fincados em penínsulas e praias particulares a vilas em meio a jardins tropicais, com piscinas e o mar.

» O Cannonier Golf Resort & Spa, um dos hotéis mais bonitos do portfolio Beachcomber tem até mesmo um spa dentro de uma figueira centenária, um farol e canhões para enfeitar. Coquetel hour pé na areia e jantar no restaurante Le Navigator. Onde? Em uma península privé com vistas que se perdem sobre ilhotas e o mar, com garden lounges e tochas que iluminam a praia, piscinas, riachos e cascata.

» Já os restaurantes (como o indiano Mahiya, com sabor e primor em cada detalhe: dos pratos à cítara ao vivo, passando pelo décor e arquitetura), imensos jardins, campos de golfe e vilas à beira-mar agradaram tanto o ator Matthew McConaughey e sua esposa brasileira, Camila Alves, que os dois estenderam a estadia no hotel Trou aux Biches durante a filmagem de “Serenity”, o mais novo filme do astro. E têm opções para todos os gostos e bolsos. Do ótimo all-inclusive Shandrani ao Paradis Beachcomber, dos deliciosos Cannonier e Trou Aux Biches aos exclusivos Dinarobim e Royal Palm Luxury, em todos os Beachcomber Resorts & Hotels a vida vai parecer mais doce. www.beachcomber-hotels.com/pt

Embarque


» A South African Airways (SAA) tem voos diretos de São Paulo para Johanesburgo e conexões diárias para Maurício a bordo de aeronaves como os novíssimos A330-300, com conforto e serviço gentil. Para chegar, a conexão é direta. Como na volta não há conexão, pernoita-se em Joburg e o ideal é emendar uma estadia sul-africana.

» Dica esperta: você pode fazer o upgrade da sua passagem direto no site da SAA. Basta escolher o valor que está disposto a pagar no Step Up Program. Como funciona? Nesse programa da SAA, você oferta um valor para seu upgrade e o sistema valida conforme a ocupação do voo e a disponibilidade — 24 horas antes do embarque um e-mail confirma ou não a oferta. Vale tentar. www.flysaa.com/br

Quem leva

» Teresa Perez Tours Brasília - Viagens sob medida para casais, famílias e grupos. www.teresaperez.com.br info@teresaperez.com.br

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade