Publicidade

Correio Braziliense AQUI PERTO

A tranquilidade nas montanhas da Serra do Caraça, em Minas Geais

Parque Natural do Caraça abriga diversos picos, grutas, cascatas e cachoeiras e uma flora e fauna de tirar o fôlego, entre eles a maior gruta de quartzito do mundo


postado em 09/10/2018 09:00 / atualizado em 05/10/2018 15:35

Ver galeria . 3 Fotos Tina Coelho/CB/D.A Press - 15/2/09
(foto: Tina Coelho/CB/D.A Press - 15/2/09 )


Já dizia dom Pedro II em sua viagem a Minas Gerais: “Só o Caraça paga toda a viagem a Minas”. Situada nos municípios de Catas Altas e Santa Bárbara, com 11.233 hectares, a Serra do Caraça, que fica a cerca de 850km de Brasília, seguindo pela BR-040, impressiona. Quem olha de longe pode confundir a silhueta da serra com um grande rosto de perfil de um gigante, mas o sentinela de pedra esconde um dos maiores biomas do estado.

No local está o Parque Natural do Caraça, que abriga diversos picos, grutas, cascatas e cachoeiras, extensa flora e fauna e a maior gruta de quartzito do mundo. Composto de mata atlântica, campos rupestres e cerrado, com diversas trilhas, desde as mais curtas até as que levam horas de caminhadas, passando por belíssimas cachoeiras, o santuário tem mais de 380 espécies de aves, algumas existentes só naquela região e com risco de extinção. Além de saguis, quatis, raposas, antas e o conhecido lobo-guará. Para quem gosta de uma boa aventura, a serra é um lugar ideal para esse tipo de turismo.

A chegada até o Pico do Inficionado exige um pouco de paciência e bastante preparo. São 9,5 quilômetros de caminhada entre pedras e subidas íngremes, o que pode demandar um bom condicionamento físico para quem não é muito fã de caminhadas. Porém, ao chegar ao cume de 2.068m de altitude, todo o esforço é compensado com a vista da região, de tirar o fôlego. O pico guarda a Gruta do Centenário, a maior e mais profunda caverna de quartzito do mundo, com 500 metros. O acesso às galerias e picos por visitantes deve ser acompanhado por um guia experiente em exploração.

Outra trilha que também exige um bom preparo físico é a ida até o Pico do Sol, o mais alto da região. São cerca de 10 quilômetros até o ponto mais alto, a 2,072m de altitude. Lá de cima é possível ver boa parte da Serra do Espinhaço e observar a junção da mata atlântica e do cerrado. Há outros cinco picos no Caraça: Canjerana, Verruguinha, Três Irmãos ou Trindade, Conceição e Carapuça.

Em meio a tantos cumes de distâncias e dificuldades variadas, a recompensa pode estar nas várias cachoeiras e piscinas naturais, entre elas a Cascatona. São cerca de seis quilômetros de caminhada partindo do colégio do Caraça até chegar na cachoeira, com 70m de altura e uma piscina natural perfeita para se refrescar.

A Cascatinha fica a aproximadamente dois quilômetros da igreja do parque e é um dos lugares prediletos dos visitantes para banho. São várias quedas formando piscinas naturais de extrema beleza. Sua água, como de toda a região, é espumante e amarelada devido à presença do minério de ferro contido nas rochas e pela ação da matéria orgânica que desce da serra.

Outra dica é o Banho do Belchior, uma corredeira de água que cai entre as rochas fazendo várias piscinas naturais, a dois quilômetros do Centro Histórico. Apresenta uma trilha de fácil acesso, sem maiores dificuldades ou pontos íngremes.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade