Publicidade

Correio Braziliense NATAL

Noel pelo mundo, saiba como o mundo enxerga o Papai Noel

A tradição é mundial, apesar de religiões e culturas diferentes, mas o espírito é o mesmo. A figura de olhar doce que encanta crianças - e adultos - representa o que há de melhor do ser humano: a solidariedade, a sinceridade e o amor


postado em 07/12/2018 10:00 / atualizado em 06/12/2018 12:41

(foto: santaclausvillage.info/Divulgação)
(foto: santaclausvillage.info/Divulgação)


Na véspera de Natal, ele viaja por todo o mundo levando presentes ou até mesmo dinheiro àqueles que se comportaram bem durante o ano. A chegada do Papai Noel é esperada ansiosamente por crianças das mais diferentes culturas e nações, porém sua aparência, roupas, nome e história diferem dependendo do local do mundo onde se passa o Natal. Aqui no Brasil, assim como nos Estados Unidos, conhecemos o Papai Noel como um velhinho de barba e cabelos brancos, além das tradicionais roupas vermelhas. Conheça como o senhor mais esperado no Natal é conhecido ao redor do mundo.


Catalunha - Tió de Nadal

(foto: Pau Barrena/AFP - 3/10/17)
(foto: Pau Barrena/AFP - 3/10/17)

 

 

Tió de Nadal é uma das mais curiosas tradições de Natal. Tió significa tronco de árvore ou “toalete” e Nadal significa Natal. Por isso, segundo a tradição, o tronco de árvore tem uma face pintada, duas patas dianteiras e defeca os presentes. Isso mesmo, os catalães ganham de presente aquilo que o Tió evacuou.  As crianças alimentam o tronco, que fica debaixo da árvore de Natal, com nozes e frutas secas e o mantém quentinho debaixo de uma manta. Para estimular o tronco a entregar os presentes, as crianças cantam canções na véspera de Natal.


(foto: Wikimedia Commons/Reprodução)
(foto: Wikimedia Commons/Reprodução)

A capital catalã, Barcelona é associada com praia e vida ao ar livre. Mas o inverno da cidade também é uma boa época para fazer turismo. A temperatura, durante o dia, fica entre 10 e 15 graus e é raro que neve. Um típico dia de inverno em Barcelona tem céu azul e sol. Nessa época, existem menos turistas na cidade, o que significa que as principais atrações estão mais vazias e os preços dos hotéis e voos são mais acessíveis. Museus são uma ótima dica para conhecer a arte, cultura e a história da cidade. Uma boa opção é fazer o roteiro Gaudí, onde pode-se conhecer toda a história do artista. Uma das paradas desse roteiro é o Templo da Sagrada Família (foto), uma grande igreja inacabada que foi começada em 1882, porém Gaudí faleceu antes de ver sua obra terminada. O estilo único impressiona os turistas. 

Em Barcelona, existem belos parques, como o Parc Güell e o Parque de la Ciutadella; ruas e avenidas lindas, como Las Ramblas. Uma dica de atividade para o inverno é fazer degustação de vinhos e de cava, o espumante típico da Catalunha.

Itália - La Befana

(foto: Markus Maeder/Pexels/Reprodução)
(foto: Markus Maeder/Pexels/Reprodução)

 

 

La Befana é uma bruxa boa que faz parte do folclore italiano desde o século VIII. Ela voa pelo país na sua vassoura e cumpre o mesmo papel que o Papai Noel ao entregar presentes para as boas crianças. Diz a lenda que os três reis magos iam para Belém levar presentes para o menino Jesus e, em dúvida sobre qual caminho seguir, pediram informações a uma velha. Ela também não sabia o caminho, mas convidou os visitantes para pernoitar em sua casa. Na manhã seguinte, os magos a convidaram para visitar Jesus, mas ela acabou recusando. Mais tarde, porém, tentou seguir o caminho tomado pelos magos, mas não conseguiu encontrá-los.

Hoje, Befana visita todas as crianças da Itália na noite de 5 para 6 de janeiro na esperança de que uma delas seja o menino Jesus. Befana enche as meias das crianças bem comportadas de caramelos, e de carvão as meias das crianças que foram mal-comportadas. Acredita-se que ela varre o piso antes de sair e recomenda-se que as crianças da casa deixem uma garrafinha de vinho e uma porção de um prato típico para Befana. A senhorinha se veste em longas saias e xales de lã e, normalmente, tem uma verruga no nariz.

(foto: Eleonora Gianinetto/Flickr)
(foto: Eleonora Gianinetto/Flickr)

Veneza no Natal é uma rota de produtos típicos artesanais, degustações, árvores de Natal, concertos, atividades infantis e decorações natalinas de vidro. Em meio às tradicionais luzinhas, corais dão à cidade o clima natalino. De novembro a janeiro, o vento frio pode incomodar e há o risco de ocorrer a chamada aqua alta (inundação), mas nada disso impede de ser um bom destino de fim de ano. A Igreja Santa Maria della Salute (foto) tem suas origens na promessa feita pelos venezianos de construir uma igreja dedicada à Virgem Maria se ela acabasse com a peste que assolava a cidade no século 17. A construção mistura elementos clássicos e barrocos em toda sua majestade e é um belo ponto turístico. Na ilha de Murano, a menos de 2km ao norte de Veneza, os enfeites de cristal encantam os visitantes que podem conhecer de perto a criação dos objetos. Existe até mesmo um museu dedicado aos vidros com mais de 4 mil itens em exposição, o Museo dell’Arte Vetraria.

França - Père Noël

(foto: Erasmus of Paris/Wikimedia Commons)
(foto: Erasmus of Paris/Wikimedia Commons)
 

Apesar da tradução de Père Noel ser “Papai Natal”, o senhor natalino francês tem suas próprias tradições. Ao invés de um terno vermelho, ele usa um manto vermelho longo. As crianças deixam os seus sapatos perto da lareira cheios de cenoura e outras iguarias para Gui, o burrinho do Papai Noel. As crianças que se comportaram bem durante o ano acordam, na manhã de Natal, para ver os sapatos cheios de doces, dinheiro ou pequenos brinquedos.

Passar o Natal em Paris é uma experiência única. Se ela é considerada a cidade-luz durante o ano, nessa época tudo se intensifica. As ruas ficam decoradas com milhares de pontos de luzes e as músicas natalinas tornam o ambiente mais aconchegante. A partir de novembro até a véspera de Natal também acontecem os Mercados de Natal, lugares que vendem guloseimas, presentes, peças de decoração, comidas e bebidas típicas da França, além de um bom chocolate quente para se aquecer, já que é inverno no hemisfério Norte.

(foto: AllEars.net)
(foto: AllEars.net)

O mercado mais famoso é o da Avenida Champs Élysées, que neste  ano vai mudar  para o Jardim das Tullieres, no Museu do Louvre. Também vale a visita os mercados de  Les Halles, Notre-Dame e Champs de Mars, bem como a impressionante Vila natalina em La Défense. Pistas de patinação de gelo são instaladas em vários locais da capital francesa e fazem parte do clima natalino. A mais conhecidas são a da Torre Eiffel (foto) e a do Hotel de Ville. Lá, a entrada é gratuita e os patins podem ser alugados por cinco euros por pessoa.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade