Publicidade

Correio Braziliense JOGOS

Façam suas apostas. Descubra os melhores cassinos

Nas máquinas ou no salão, as possibilidades de jogar em cassinos se espalham por diversas cidades do mundo. Las Vegas é o local mais conhecido e exemplo de como experimentar a sorte


postado em 06/02/2019 15:00 / atualizado em 06/02/2019 14:09

(foto: Wikimedia Commons/Reprodução)
(foto: Wikimedia Commons/Reprodução)


O clima é tenso, mas há alegria no ar. O ambiente sofisticado, a música alta, o tilintar característico das máquinas, o som das roletas e as batidas secas dos apetrechos dos jogos de mesa, as comemorações e até mesmo os lamentos fazem dos cassinos locais de aura misteriosa e empolgante. Basta entrar  e perde-se a noção do tempo. Não à toa, é quase sempre viciante. Pensar em cassino é lembrar da cidade de Las vegas, nos Estados Unidos, conhecida por seus hotéis luxuosos e casas de jogos. Lá, a regra de ouro é “o que acontece em Las Vegas, fica em Las Vegas.”

O mundo descobriu o glamour dos jogos, e empresários de diversos países investiram em grandes, chiques e bem-estruturados cassinos que prometem e entregam tanto quanto (ou até mais que) Las Vegas. Se você vai viajar e pensar em investir na sorte, conheça alguns lugares que fazem a diversão dos jogadores.

Hotel Conrad - Punta del Este, Uruguai
(foto: Conrad Punta del Este/Divulgação)
(foto: Conrad Punta del Este/Divulgação)

Um dos pontos mais conhecidos de Punta del Este é o Hotel Conrad. Festas luxuosas com convidados famosos ocorrem ali, além, é claro, das apostas no cassino, o número 1 da América Latina, no estilo de Las Vegas. São cerca de 75 mesas e 550 slots que divertem os hóspedes e turistas curiosos, já que não é necessário se hospedar no hotel para conhecer o local. Para quem quer curtir a noite sem abusar da sorte, o Blend Bar é uma opção para assistir a shows ao vivo e experimentar drinks feitos por barmans internacionais.

Para relaxar após uma noite recheada de jogos e diversão, o Conrad oferece um spa de 1200 metros quadrados com diversos tratamentos para o corpo e o rosto, um fitness center, salão de beleza e piscina indoor. A uma hora e meia de Montevidéu, Punta del Este agrada pelas opções de diversão. As praias de águas calmas, como José Ignacio, são ideais para as crianças, mas La Barra, La Brava e La Mansa são points para o agito. As lojas de grifes e galerias encantam os amantes de moda, e os calçadões e vias de pedestres são um belo passeio. Quem quer ir para a cidade conhecida como “a pérola do Uruguai” precisa se programar: a cidade é cara, principalmente durante o verão sul-americano.


Monte Carlo - Monte Carlo, Mônaco
(foto: Mayfair Casinos/Divulgação)
(foto: Mayfair Casinos/Divulgação)

Um dos cassinos mais tradicionais do mundo é o de Monte Carlo, no principado de Mônaco. Aberto no século 19, é procurado pelos amantes de jogos, que ficam encantados com os vitrais, esculturas e pinturas artísticas. O arquiteto que projetou o cassino criou a Ópera de Paris. Luxo é a palavra que define a construção tradicional, que se transformou em ponto turístico mesmo visto apenas por fora. Iluminado, faz parte da beleza noturna da cidade. É proibido, nos salões comuns, usar bermudas, minissaias ou shorts. Em alguns salões, é obrigatório o uso de traje fino. Os visitantes e apostadores devem ter mais de 18 anos.

Depois do Vaticano, Mônaco é o menor país do mundo, e, como a moradia do papa, tem várias opções turísticas para aproveitar a viagem. O país é a nação com a maior proporção de milionários: as esplendorosas residências e os caros automóveis, além dos iates atracados nas marinas, impressionam. Curiosamente, ao contrário do Brasil, onde ficam as favelas, os mais ricos moram no alto. As casas e prédios são suspensos, construídos sobre formações rochosas. No topo de um rochedo fica a sede do governo, Monaco Ville. Um bom passeio é caminhar pelas ruas medievais e assistir à troca da guarda real, que ocorre todos os dias, às 11h55, em frente ao Palais Princier, que pode ser visitado durante a primavera e o verão. Lá, os turistas podem conhecer um museu de lembranças e arquivos históricos. A Catedral de Mônaco, onde a atriz Grace Kelly e o príncipe Rainier se casaram, também é um belo ponto turístico. Quem visita o país precisa ficar de olho no figurino: muitos restaurantes e até mesmo cafés exigem trajes finos para entrar.

 

Venetian Macau - Macau, China

(foto: Inventa International/Divulgação)
(foto: Inventa International/Divulgação)

Com arquitetura que homenageia Veneza, incluindo canais pelos quais se pode passear em gôndolas, o Venetian Macau é um cassino e resort de  propriedade da multinacional Las Vegas Sands. São 40 andares rodeados por sete resorts, sendo a maior estrutura hoteleira da Ásia e o terceiro maior edifício do mundo. O cassino tem 51 mil m² de salas de jogos com 3.400 máquinas e 800 mesas, além de uma arena com 15 mil lugares para espetáculos e eventos desportivos. Lojas como Coach, Calvin Klein e Tiffany estão instaladas no local.


Antiga colônia comercial portuguesa, Macau tem placas em português, além de azulejos, calçadas em mosaico e fachadas coloniais. A presença dos nossos colonizadores, porém, é cada vez menos sentida nesse cantinho chinês. Macau vive quase exclusivamente da exploração de jogos de azar. Além do Venetian, o cassino Sands também é um ponto turístico e opções para os apostadores. Em termos de faturamento e lucratividade, Macau já ultrapassou a grande Las Vegas. O negócio não se limita aos jogos.  Shows bem produzidos, hotéis, restaurantes e eventos são geradores de renda.

As ilhas de Taipa e Coloane são, para quem cansar das cartas e roletas, uma opção de fuga. O Museu de Macau e o centro histórico, que é Patrimônio da Humanidade pela Unesco, também são paradas obrigatórias para quem gosta de história. A herança cultural portuguesa está presente nas ruínas da igreja de São Paulo e o Largo do Senado, além de deliciosos pratos com bacalhau.

Marina Bay Sands Casino - Cingapura
(foto: Wikimedia Commons/Reprodução)
(foto: Wikimedia Commons/Reprodução)

O mais caro hotel construído no mundo, no valor de US$ 5 bilhões, o Marina Bay Sands Casino tem 2561 suítes, centro de convenções para até 11 mil pessoas, dois anfiteatros, shopping, pista de patinação no gelo, museu e uma impressionante piscina de borda infinita. O cassino tem 15 mil metros quadrados em quatro níveis, com 600 mesas, 30 salas de jogos e 1.500 máquinas de slots. O visitante pode escolher entre 250 títulos. A entrada do cassino demonstra que o local é acima da média: o visitante é recebido por um lustre de 13.000 cristais Swarovsky, um dos maiores e mais pesados do mundo. Aberto 24 horas por dia, o cassino exige que os visitantes usem roupas formais, sendo proibido usar chinelos, slippers, shorts e blusas sem manga.

A cidade-estado de Cingapura é bem diferente do restante do sudeste asiático. Uma das mais modernas nações do continente, o país é completamente tecnológico. As ruas são limpas e organizadas com transporte eficiente, shopping centers que se comparam aos de cidades grandes como Nova York e Tóquio. Ali, convivem pacificamente chineses, malaios e indianos, mas suas diferenças culturais são evidentes. Tudo no país é muito regulado e multas podem ser aplicadas por atos que, para nós brasileiros, são banais, como atravessar fora da faixa ou jogar chiclete na rua. As melhores opções de restaurantes e vida noturna estão em Clarke Quay. Com o conceito de eliminar as jaulas dos animais, o Singapure Zoo está entre um dos melhores do mundo e é um dos principais pontos turísticos da cidade.


Winstar World Casino - Oklahoma, Estados Unidos
(foto: Prism Eletric/Divulgação)
(foto: Prism Eletric/Divulgação)

Com mais de 48 mil metros quadrados de espaço para diversos jogos, o Winstar World Casino é o segundo maior cassino do mundo, incluindo 7.400 máquinas slots e 55 salas particulares de poker, além de 99 mesas, entre diversos outros atributos. O hotel tem 1.000 quartos, spa, centro de convenções, academia e campo de golf. Artistas, como Jay Leno, Adam Lambert, Lil Wayne e Maroon 5 foram atrações recebidas pelo centro de eventos do hotel.

Oklahoma é o estado dos EUA onde vivem mais índios nativos norte-americanos, sendo o lar de 39 tribos. Para descobrir essa rica herança, visitar o Cherokee Heritage Center e o Red Earth Center são boas opções. A cultura cowboy é marcante nesse estado e para conhecer a tradição, é possível se hospedar em um autêntico rancho de gado em atividade, assistir a um rodeio, além de ouvir música country ao vivo todos os dias da semana.

Além dos índios, uma rodovia, a Rota 66 atrai a atenção dos turistas para o estado americano. À beira da estrada, encontram-se marcos icônicos como uma enorme baleia-azul, um grande celeiro redondo, um parque de totens tribais, espetáculos de variedades do Coleman Theatre e a Golden Driller, uma estátua com 23 metros de altura adotada como monumento do estado em 1979.

 

* Estagiária sob supervisão de Taís Braga

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade