Publicidade

Correio Braziliense

Viena em sete notas

Capital da música clássica, a cidade austríaca se prepara para celebrar este ano o 150º aniversário da inauguração da casa de ópera, ainda hoje uma das mais importantes do mundo


postado em 22/03/2019 10:00

Centro moderno antigo em Viena (foto: pxhere/CB/Reprodução/D.A Press)
Centro moderno antigo em Viena (foto: pxhere/CB/Reprodução/D.A Press)
 

Desde o final do século 19, a Áustria e, principalmente, Viena, se tornou a capital mundial da música. A abertura da casa de ópera, que completou 150 anos, representou o apogeu desse reinado que se mantém até hoje. Viena continua sendo o epicentro mundial dos melómanos, inclusive dos que vão além do estilo clássico.

Como se não bastasse, no ano que vem, é celebrado o 150º aniversário de Beethoven, músico alemão que fez da cidade o seu principal local de trabalho. A capital austríaca oferece, mais do que nunca, uma ampla oferta que combina música, glamour e história com as outras artes.

Aqui, um olhar em sete notas por esta Viena que se veste de gala e continua abrindo o telão da sua Ópera um século e meio depois.


Ópera de Viena

 

 

Ópera de Viena, na Áustria(foto: Nuno Simões/Wikipedia)
Ópera de Viena, na Áustria (foto: Nuno Simões/Wikipedia)
 

 

É uma visita obrigatória para qualquer viajante que vá pela primeira vez à capital austríaca. Mais ainda quando, neste ano, se completam 150 anos desde que, em maio de 1869, albergou sua primeira representação.

Esse templo do canto conta com uma das mais extensas temporadas do mundo. Abre durante 300 dias ao longo de 12 meses, exceto no verão, e no seu repertório se incluem pelo menos 70 óperas. É possível conhecer o interior, incluindo o pátio e o backstage nas visitas guiadas, que custam 8,5 euros por dia e são traduzidas também em espanhol.

Os interessados em conhecer a história e desfrutar de um dos espetáculos apresentados na ópera, devem comprar os bilhetes com vários meses de antecedência. Os ingressos variam entre 3 e 285 euros para os melhores lugares da plateia. As apresentações costumam receber uma grande audiência — em média, um comparecimento de 99,2%. Por isso, para o turista que classificou a ópera como uma das prioridades da viagem, é importante comprar as passagens aéreas depois de comprar os tíquetes para o espetáculo. Para os visitantes de última hora, ou que não desejam gastar tanto, a cada dia, a partir das 15h, são colocados à venda ingressos em pé a partir de 3 euros, mas só é possível comprar um ingresso por pessoa. (www.wiener-staatsoper.at/en/)

RÉ         
Musik Verein

 

 

Musik Verein, sede da Orquestra sinfônica de Viena (foto: SebastianStiphout/viena@info)
Musik Verein, sede da Orquestra sinfônica de Viena (foto: SebastianStiphout/viena@info)

 


Sede da tradicional Orquestra Sinfônica de Viena, cujo concerto mais famoso é, sem dúvida, o do ano-novo, transmitido da sala dourada para mais de 180 países. O edifício pode ser visitado de segunda a sábado em visitas guiadas com duração de 40 minutos, em inglês e alemão, por 7 euros, e percorre as salas de metal, a de cristal e as douradas. Há uma agenda muito ampla de concertos, e os preços dependem do nível dos musicais, mas, em qualquer caso, é sempre muito alto para qualquer fã médio de música clássica. O calendário e a venda de ingressos podem ser consultados em www.musikverein.at/.

MI
Haus der musik-Sound Museum

 

A poucos metros da Ópera e da Sinfônica, está o Haus der Musik ou SoundMuseum, museu interativo para todos os públicos, desde crianças até os mais velhos, sem importar o nível de cultura musical. Em três andares, os visitantes conhecem os grandes maestros da música ou a história da Sinfônica de Viena.

Mas é o terceiro piso, chamado Sonosfera, que se destaca do restante. O percurso começa numa sala que reproduz os sons que podem ser ouvidos por um feto durante a gravidez, para depois ir descobrindo os elementos biológicos e físicos da música e terminar com a possibilidade de compor com cinco elementos pré-gravados (sons de cidades, do corpo humano, do espaço exterior, de objetos físicos e da voz do visitante) um tema de três minutos, que se pode gravar e levar para casa.

Na área da Sinfônica, por exemplo, um elemento multimídia permite entender como se compõem as valsas, e cada visitante pode criar uma valsa pessoal cujo pentagrama pode imprimir e levar de recordação. A criançada pode brincar de ser maestro. Uma visita que não se deve perder. O ingresso custa 13 euros, mas o preço cai para metade (6,5 euros) todos os dias a partir das 20h (fecha às 22h).


Casas de Mozart e dos grandes músicos

 

 

Casa do compositor Mozart, em Viena, Áustria(foto: foto@austria.info)
Casa do compositor Mozart, em Viena, Áustria (foto: foto@austria.info)
 

 


A casa de Mozart e sua família entre 1784 e 1878, quando escreveu As bodas de Fígaro pode ser visitada no centro de Viena tal como foi na sua época. Há a opção de comprar um ingresso combinado do Haus der musik e esta casa por 18 euros (12 para estudante e 8 para crianças). Uma economia de 6 euros. A casa abre das 10h às 19h. Os fãs mais apaixonados podem conhecer a intimidade de artistas como  Haydn, Beethoven, Schuber ou Strauss, cujos apartamentos estão instalados na capital austríaca. Mais informações em www.wien.info/en/music-stage-shows/city-of-music/musicians-memorial.

SOL
Curso rápido de valsa

 

 

Academia de dança Elmayer- aula de valsa, em Viena. (foto: wikipedia)
Academia de dança Elmayer- aula de valsa, em Viena. (foto: wikipedia)
 

 


Também conhecida como berço da valsa, Viena oferece possibilidades de viver a música na cadência elegante. Todos os sábados, das 16h às 17h, a conhecida academia de valsa Elmayer Dance School oferece aulas para aprender a dançar o típico passo. Os interessados apenas devem se aproximar do local e pagar 50 euros por casal. (https://elmayer.at/en/dance-classes/waltz-at-elmayer/)


Concertos de Strauss e Mozart no Palácio de Schonbrunn

 

 

Palácio de Schonbrunn, Áustria(foto: foto@austria.info)
Palácio de Schonbrunn, Áustria (foto: foto@austria.info)
 

 


Num cenário incrível, o pavilhão de L’orangerie do maior palácio barroco da Europa, são oferecidos concertos em combinação com jantar (opcional) ou visita ao palácio a partir de 99 euros. São representações musicais destinadas ao turismo com as obras mais populares dos músicos austríacos, como Mozart ou Strauss, que são muito vistosas para o público em geral. (www.civitatis.com/es/viena/schonbrunn-cena-concierto/)

SI
Música tecno

 

 

Wiener Sound, Tecno de Viena(foto: WienTourismus/David Auner)
Wiener Sound, Tecno de Viena (foto: WienTourismus/David Auner)
 


E à noite? O cenário musical de Viena também tem espaço para o mais moderno, como a música techno. Quando o telão da ópera se fecha, abrem-se as portas dos clubes. Nos anos 1990, um grupo de DJs criou o “Wiener Sound” ou tecno de Viena. Hoje, os clubes mais famosos da cidade são o Flex, situado numa antiga estação de metrô, conta com um dos melhores sistemas de som entre toda a Europa, e na Pratersauna. Os DJs do momento no cenário musical costumam passar por Grelle Forelle em Spittelauer Lände.

Outro local é o Donau, que não tem nem placa na rua e é conhecido como o mais “undergroun” da cidade, aberto sete dias por semana. Para saber a programação, visite a página no Facebook: (www.facebook.com/DONAUTECHNOCOM-332005333529959/)

Fica a dica

A oferta hoteleira em Viena é superampla. Segundo a www.trabber.br, os preços para maio, no centro da cidade, começam nos 65 euros para os hotéis de três estrelas, 92 euros para os de quatro estrelas ou 139 euros para os cinco estrelas, para duas pessoas e sem café da manhã. Uma noite no Hotel Sacher, do lado da Ópera, começa em torno aos 500 euros por noite.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade