Publicidade

Correio Braziliense RELIGIÃO

Fátima sem segredo. A fé portuguesa que atrai milhões de turistas

Neste ano completam-se 100 anos da construção da Capelinha das Aparições, erguida no exato local onde Nossa Senhora de Fátima surgiu para três crianças no local conhecido como Cova da Iria


postado em 24/04/2019 11:10 / atualizado em 24/04/2019 11:03

(foto: dynamosquito/Wikipedia)
(foto: dynamosquito/Wikipedia)


É na fé diante da promessa que muitas vezes os obstáculos são vencidos. Diz-se mover montanhas, curar enfermos, salvar aflitos. Berço de fiéis, Fátima, em Portugal, atrai turistas do mundo  durante todo o ano, tornando-se rota religiosa. Província da Beira Litoral, é famosa por concentrar relatos de aparições da Virgem Maria. No ano de 2018, a cidade recebeu mais de 7 milhões de peregrinos, destes, 60% eram visitantes de 79 países. Distante aproximadamente 130 quilômetros da capital Lisboa, o refúgio cristão é destino certo para todos os meses do ano, mas é em maio que as capelas e praças santuárias agregam milhões de religiosos.

Segundo a fé católic, foi no mês de maio de 1917 que se iniciaram as aparições de Nossa Senhora de Fátima a três crianças pastorinhas, no local conhecido como Cova da Iria. Ali ficava uma azinheira (árvore) na qual a Santa apareceu.  Neste ano, a capelinha das aparições completa 100 anos desde a sua construção. “Quero dizer-te que façam aqui uma capela em minha honra, que sou a Senhora do Rosário”. O pedido da santa foi concretizado, e a Capelinha das Aparições, erguida em 1919, passou a acolher quem busca a presença divina. Missas são realizadas em horários e dias especiais. A imagem de Nossa Senhora de Fátima que é exposta no complexo marca o local exato onde ela apareceu à época.

Na capelinha, missas diárias(foto: Luís Tajes/CB/D.A Press - 5/10/09 )
Na capelinha, missas diárias (foto: Luís Tajes/CB/D.A Press - 5/10/09 )

Como o afluxo de visitantes crescia a cada ano, surgiu a necessidade de ampliar as instalações para acolher os peregrinos e foi construída, em 1953, a Basílica de Nossa Senhora do Rosário, onde estão sepultados os pastorinhos Lúcia de Jesus, Francisco Marto e Jacinta Marto, e pode ser visitada a pé. Próximo dali, a Colunata esbanja beleza e lembra as construções feitas por romanos. Ela é um conjunto de 200 colunas inteiras e meias que fazem parte da via-sacra. Nelas estão17 imagens, entre santos que se fizeram presentes em Fátima e os que foram apóstolos marianos. No recinto de oração, uma grande esplanada é cercada por árvores. É o lugar onde são celebradas assembleias.

No espaço, uma das construções com reforma mais recente é a da Basílica da Santíssima Trindade. O lugar é dedicado às aparições do Anjo da Paz, às palavras de João Paulo II ditas na Capelinha mencionando a Santíssima Trindade. A basílica, em frente à do Rosário, foi inaugurada em 2007 e recebe os fiéis nos dias de hoje.

A primeira visita em Fátima gerou bons frutos à professora, Claudia Leal, 54 anos. Em 2011, esteve pela primeira vez na cidade. “Encontrei em Fátima uma fé que não presenciei em Roma. Lugar onde o amor está no ar, a fé e os milagres. Fui lá e vou voltar quantas vezes tiver oportunidade”. Devota de Nossa Senhora, ela afirma que “ir a azinheira onde aconteceu a aparição e assistir à missa é maravilhoso”.

Simplicidade

Gabriel Alves foi uma vez à Basílica, mas gostaria de voltar muitas vezes(foto: Arquivo Pessoal)
Gabriel Alves foi uma vez à Basílica, mas gostaria de voltar muitas vezes (foto: Arquivo Pessoal)

O professor Gabriel Alves, 27, foi a primeira vez à cidade com o intuito de cumprir uma promessa e comemorar a celebração de um ano de matrimônio. “Foi uma experiência incrível a sensação de estar naquele lugar da aparição. Fui só uma vez, mas voltaria muito mais vezes”.

Os visitantes podem aprofundar os conhecimentos cristãos seguindo um trajeto não tão distante dali. A aproximadamente dois quilômetros da Cova da Iria, Aljustrel faz parte da freguesia de Fátima, onde nasceram e moraram as três crianças pastorinhas. Na pequena aldeia estão as casas onde moravam Lúcia, Jacinto e Marta. A casa dos irmãos foi adquirida pelo Santuário em 1996 e, apesar de ter sido reconstruída, ela ainda retrata a simplicidade de como viviam as duas crianças.

A alguns metros, a casa de Lúcia mostra as marcas da história que viveu. Em seu quintal, as figueiras faziam sombra às brincadeiras dos pequenos e era lugar dos primeiros interrogatórios feitos por peregrinos sobre as aparições que relatavam. A casa também é de posse do Santuário, desde 1986. As residências de Lúcia e dos irmãos Jacinto e Marta ficam abertas ao público diariamente, das 9h às 18h, gratuitamente.

Para quem decidir embarcar nessa busca pela fé, fica a dica: Fátima tem influência marítima, por isso, seu clima é mediterrâneo. No verão, o tempo é quente e seco, com temperaturas que variam entre os 30 °C e os 15 °C. No inverno, a umidade refresca os dias, as temperaturas marcam entre 15 °C e 5 °C.

* Estagiária sob supervisão de Taís Braga

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade