Publicidade

Correio Braziliense FLORIANÓPOLIS

Mistérios seculares

Em Santo Antônio de Lisboa, a influência da cultura açoreana está em cada recanto


postado em 23/08/2019 16:45 / atualizado em 23/08/2019 16:35

Uma Floripa que encanta além das praias como a de Santo Antônio de Lisboa(foto: Caio Vilela/MTur)
Uma Floripa que encanta além das praias como a de Santo Antônio de Lisboa (foto: Caio Vilela/MTur)


A parada seguinte descobre os mistérios de Santo Antônio de Lisboa. Com arquitetura também influenciada pelo Arquipélago de Açores, o bairro tem origem no século 17, quando foram distribuídas as primeiras sesmarias da terra ao padre Matheus de Leão e a famílias portuguesas. Os açorianos ocuparam o lugar em grandes fluxos de imigração a partir de 1748. O local foi elevado à categoria de freguesia em abril de 1750, tendo recebido como nome de batismo Nossa Senhora das Necessidades da Praia Comprida.

O nome atual do bairro foi adotado em 1948. De pé, com toda a sua graça, a Igreja Nossa Senhora das Necessidades protege, além do povo do lugar e dos turistas, um centro pequeno, quando comparado à exuberância das cidades históricas de Minas Gerais, mas que abriga patrimônio importante. A Praça Roldão da Rocha Pires é referência da primeira rua calçada de Santa Catarina, construída em homenagem a Dom Pedro II.

O imperador visitou a freguesia de Santo Antônio de Lisboa em meados do século 19. O casario colonial se tornou abrigo de oficinas de arte e do comércio de mosaicos, roupas, bijuterias, artesanato, objetos de madeira e peças feitas com renda de bilro, também expostos na Feira das Alfaias, a Feirinha de Santo Antônio de Lisboa. (MV)

*Estagiária sob supervisão de Taís Braga

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade