Publicidade

Correio Braziliense

Viagem em 2020? Veja 9 dicas para economizar sem abrir mão do que deseja

Para ajudar quem deseja fazer a viagem dos sonhos 2020, especialistas mostram como ter uma experiência inesquecível e gastar o mínimo possível


postado em 13/01/2020 13:57 / atualizado em 13/01/2020 13:59

(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
Planejar, pesquisar, usar planilhas e aplicativos: tudo isso pode ajudar na hora de economizar em uma viagem. Para quem deseja aproveitar os vários feriados prolongados de 2020 ou juntou um dinheiro extra para viajar neste ano, algumas dicas podem ajudar a deixar a diversão dentro do orçamento, sem prejudicar as contas. 

 

Para Leonardo Cossel, economista do site Melhores Destinos, planejamento é a chave de tudo. "Percebemos que quem se planejou pode ter uma economia de até 50% em relação a quem deixou para a última hora", garante. 

 

Confira a seguir 10 dicas que podem tornar a viagem mais legal e, ao mesmo tempo, mais barata!

1. Escolha da data 

Esse é o maior segredo para quem quer economizar. O ideal é fugir das altas temporadas: julho, dezembro e janeiro. Isso porque não apenas a passagem fica mais cara nessas épocas, mas também a hospedagem e a alimentação sobem de preço. E mesmo quem tem filhos e, por conta das férias escolares, precisa viajar nesses meses pode verificar se a passagem não fica mais barata alguns dias antes ou depois da data prevista.

2. Sem rigidez quanto ao destino

Para Cossel, outra dica é manter a mente aberta quanto ao destino. "Às vezes, uma cidade oferece a mesma experiência que o viajante quer, como praias, montanhas etc., e está mais barata do que a pensada inicialmente", afirma o economista.

Ele dá um exemplo: uma viagem para Fernando de Noronha sai mais cara do que ir para Jericoacoara; e Aruba, às vezes, sai mais em conta do que ir para Cancun. "Quando a pessoa abre a mente para novos destinos, em vez de ficar presa ao que pensou anteriormente, acaba aproveitando a oportunidade de conhecer uma cidade que ainda lhe  rende uma boa economia."

3. Quando comprar a passagem

Primeiro, a resposta de uma dúvida muito comum: existe melhor dia da semana ou horário para comprar passagens aéreas? Infelizmente, não. Segundo especialistas ouvidos pelo Correio, isso é um mito. De acordo com Amanda Santiago, editora do site Quanto Custa Viajar?,  o que acontece é que algumas companhias aéreas, às vezes, fazem um feirão de madrugada. "E aí as pessoas dizem que comprar na madrugada é mais barato, mas isso é um mito. Esses feirões não ocorrem sempre, só em datas específicas", afirma.

A forma mais segura de economizar é comprar com antecedência. A pessoa pode até dar sorte e conseguir uma promoção em cima da hora, mas, via de regra, quanto mais em cima da hora se compra, mais caro se paga. 


Para Amanda Santiago, o ideal é comprar as passagens com seis meses de antecedência em casos em viagens internacionais e com dois a três meses para destinos nacionais. Já para Cossel, o ideal é 60 dias antes em casos internacionais e 45 dias antes de nacionais. Sendo que para o período de férias ou feriados prolongados, o ideal é dobrar esse prazo. 

E para quem quer ficar de olho em promoções, a dica é usar aplicativos que alertem quando o preço da passagem variar.

4. A escolha da hospedagem

Quem quer se hospedar em um bom hotel e por um preço em conta pode usar as avaliações dos sites de hospedagem como referência. Neles, é possível ver se os usuários que já se hospedaram em tal lugar gostaram da experiência ou não. Com isso, o usuário pode encontrar hotéis pouco conhecidos que têm boas avaliações.

Outra dica é se hospedar em algum lugar com uma boa localização e economizar no transporte. Para quem vai para fora do Brasil, há outra sugestão: entrar no site do hotel e fazer o pré-pagamento da hospedagem em real — ação disponível em alguns sites. "Aí você não depende da variação do dólar ou do euro e também não paga IOF. Ou seja, só aí você já economiza 6,38%", comenta Cossel.

5. Alimentação pode ser mais barata também 

Segundo Amanda, uma dica para economizar na alimentação é deixar a dieta um pouco de lado e apostar em fast foods ou comidas de rua, que são mais baratas e podem saciar. "Você também pode pegar um hostel ou hotel onde há cozinha. Assim você pode ir ao mercado, comprar ingredientes e fazer sua própria janta. Isso dá uma grande economia", disse. 

 

Já Cossel sugere pesquisar restaurantes locais na internet. Assim, é possível fugir de lugares turísticos e mais caros. "É só escolher onde as pessoas que moram lá geralmente comem, e não um restaurante que só vive de turista. Isso também faz uma grande diferença", argumentou.

6. Passeios previamente planejados 

O planejamento não vale só para a passagem e a hospedagem. Com planejamento, é possível economizar também em passeios e atrações a serem visitadas. Para museus, peças e shows, uma dica é comprar os ingressos antes de viajar, pela internet. "Percebemos que a economia de pagar pela internet antecipadamente pode variar de 15% a 30%", comenta Santiago. 

 

Outra estratégia é ver a diferença do custo da atração desejada por dia da semana. Algumas vezes, a atração é gratuita em alguns dias, algo muito comum em museus. Assim, é só escolher a melhor data para ir.

7. Locomovendo-se no destino

O ideal é usar e abusar dos transportes públicos, principalmente em cidades com boa estrutura de mobilidade. "Se você optar por transporte público, vai sempre pagar mais barato. Em destinos como Estados Unidos, Europa e Japão, o sistema de metrô é abrangente e de ótima qualidade", comenta Santiago. 

 

Para Cossel, quem busca maior economia na hora de deslocamentos e vai usar um carro, deve usar os aplicativos de transporte, como Uber. Isso porque táxis em outros países podem ser mais caro do que os aplicativos. "No Brasil, também há o 99pop. Na Ásia, é o Grab", diz.

8. Atenção ao câmbio  

Quem vai viajar para fora tem que levar em conta a compra da moeda estrangeira. Ambos os especialistas recomendam que a compra de moeda estrangeira seja feita de forma parcelada e antecipada, ou seja, comece, meses antes, a comprar dólar ou euro aos pouquinhos. 
Para Cossel, a grande vantagem de comprar parcelado é que a cotação fica média. "Não é a mais barata, mas também não é a mais cara."

Segundo Amanda Santiago, deve-se fugir do cartão de crédito, porque o dólar no dia da compra pode ser diferente da cotação na hora do pagamento, o que pode fazer a conta subir muito. Quem não quer andar com muito dinheiro no exteriorpode usar um cartão de viagem, pré-pago. "Você carrega o cartão com uma quantia e pode usar na viagem", explica.

9. Aplicativos pode ser aliados 

Entre os aplicativos, estão os sites de viagens como o próprio Melhores Destinos e Quanto Custa Viajar para ajudar a conseguir economizar em gastos. Além disso, vale a pena usar Google Flights, Melhor Câmbio, que mostra em qual casa de câmbio é mais barato comprar na sua cidade; Booking para reserva de hotéis; TripAdvisor; Hostel World, e claro: a velha e amiga planilha de gastos. 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade