Publicidade

Correio Braziliense

Em busca da perfeição

A tradição é um bem precioso para o povo japonês, ao mesmo tempo em que prima pela organização e o bom funcionamento de serviços aos cidadãos. É possível relaxar em ofurôs instalados em modernos hotéis


postado em 27/02/2020 10:00 / atualizado em 26/02/2020 13:49

(foto: Fotos: Fabíola Góis/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Fotos: Fabíola Góis/Esp. CB/D.A Press)


Mesmo com tanta modernidade, o japonês não deixa de lado as tradições, como os banhos de ofurôs. Em praticamente todos os hotéis mais antigos, como em Kyoto, Hakone e Atami, há banheiras — que são verdadeiras piscinas privativas — para homens ou mulheres. No Hakone Sengokuhara Prince Hotel, são águas vulcânicas que aquecem os ofurôs. E o hóspede aprecia a paisagem típica do local. No La Classe de Cienega, em Kyoto, o ofurô tem vista panorâmica.

Para um ocidental, pode parecer estranho tomar banho completamente despido com pessoas desconhecidas, mas a prática é muito comum para os japoneses. O objetivo não é lavar o corpo. Quem entra num ofurô deve lavar-se e enxaguar-se previamente, tomando banho com água fria e, depois, entrar na água quente. O choque térmico abre os poros e permite o relaxamento.

Não há constrangimentos e é proibido entrar na piscina com qualquer roupa de banho. A vontade é de ficar na água por horas, mas a recomendação é de, no máximo, 20 minutos. Mais que isso é arriscado porque a pressão sanguínea pode abaixar repentinamente e a pessoa, passar mal no local.

Os benefícios dos banhos de imersão para a saúde são muito grandes: a par do relaxamento, que alivia estresses de toda natureza, destacam-se limpeza de pele, reequilíbrio hormonal (pelo estímulo glandular causado pela água aquecida) e desintoxicação muscular.


(foto: Fabíola Góis/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Fabíola Góis/Esp. CB/D.A Press)

Nos hotéis mais modernos e luxuosos, como o Grand Nikko Tokyo Hotel, não há ofurôs compartilhados. Cada quarto possui uma banheira e sais de banho para que o hóspede faça o próprio ofurô dentro dele. Ele fica em Daiba, uma área nova e muito badalada de Tokyo, próxima a uma estação de metrô e quatro shoppings. É um local onde há um ponto de entretenimento com uma enorme roda-gigante, salas de concerto, salões de jogos e muitas lojas.

Às margens da Baía de Tóquio, o Grand Nikko em Daiba foi inaugurado em 2016 e é o resort urbano mais próximo do centro de Tóquio, a 20 minutos, de monotrilho ou de trem, da Estação da cidade. O Wi-Fi é gratuito em todos os ambientes. Os quartos são espaçosos, e os andares superiores oferecem vista panorâmica para a Baía de Tóquio, para a Ponte do Arco-Íris e para a Torre que leva o mesmo nome da capital do país.

Em Daiba, há uma estátua gigante de Gundam (robô de desenho animado) que se mexe, a roda-gigante Palette Town e a iluminada Ponte do Arco-Íris.

 

 

Trem ou metrô: cuidado para não se perder  

(foto: Fabíola Góis/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Fabíola Góis/Esp. CB/D.A Press)


O sistema de transporte público é eficiente no Japão. No entanto, não é fácil de entender as linhas do metrô e a dinâmica da integração com outros modais. É importante que o turista preste ainda mais atenção, uma vez que há muitas linhas e quilômetros de trilhos que cortam todo o país.

Em alguns pontos, há paradas com integração tanto para utilizar o Shinkansen (trem-bala), trem elétrico, metrô, monotrilho e ônibus. Táxi é caro e os veículos por aplicativo podem não ser uma boa opção em razão da pouca oferta nas áreas mais distantes do centro.

As estações de trem e metrô possuem caixas automáticos para a compra de bilhetes, que funcionam muito bem sem a ajuda de funcionários. Mas não há avisos, por exemplo, de que moedas de 50 yenes possam ser utilizadas, uma vez que há um furo no meio delas que impede o reconhecimento da máquina. Também há guarda-volumes para os usuários. Basta colocar a moeda e escolher por quanto tempo os objetos ficarão guardados.


Tecnologia de ponta

(foto: Fabíola Góis/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Fabíola Góis/Esp. CB/D.A Press)

No Japão, tudo funciona com perfeição. A internet banda larga com fibra óptica garante eficiência na oferta do serviço e permite que 77,9% das residências tenham acesso à banda larga. Destas, 52,2% por meio de fibra, segundo informações do site da Embaixada do Japão. É um serviço de baixo custo.

É mais barato comprar eletrônicos no Japão do que no Brasil e isso é um fator de atração para o turista. O paraíso das compras fica em Shinjuku, uma região com lojas da Apple, Bic Camera, Sony, entre outras. Com relação a aparelhos celulares, no entanto, é preciso ficar atento ao tipo de serviço. Nem todas as marcas possuem compatibilidade com o sistema de telefonia brasileiro.

Até mesmo os produtos das lojas de 100 yenes (pouco mais de um dólar), um paraíso para quem quer comprar lembrancinhas, são de excelente qualidade.

(foto: Fabíola Góis/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Fabíola Góis/Esp. CB/D.A Press)

Asakusa, um bairro histórico de Tokyo, também tem boas lojas de compras de souvenir, além de ter atrações como o templo budista Senso-ji e a rua Nakamise. É cortado pelo Rio Sumida, onde é possível fazer passeio de barco. Na primavera, às margens do rio, pessoas fazem piquenique sob a copa das cerejeiras.Foi nesse bairro onde nasceu Mokiti Okada, líder espiritual que criou a Igreja Messiânica Mundial do Brasil.

As atrações no Japão são variadas e é preciso se planejar bem para não pagar muito caro. As melhores opções para se chegar lá são por meio de pacotes de viagem. Se for com um grupo grande de pessoas, as empresas conseguem diárias mais em conta nos hotéis. O que não pode é não ir. Conhecer o Japão vale muito a pena.

 

Para saber mais 

 Totós: segurança na hora do aperto


Um ponto curioso no Japão são as privadas inteligentes, conhecidas por Totó (nome da marca). Elas possuem recursos que aliam conforto, descarte adequado de resíduos e controle de odores. As mais modernas levantam a tampa no momento em que o usuário se aproxima dela. Em seguida, é liberado um produto sem cheiro que neutraliza odores. A tampa é aquecida. Ao final das necessidades fisiológicas, é possível escolher, entre alguns botões, jatos de limpeza com controle de intensidade da água. Seja em locais públicos, como shoppings e aeroportos, ou até mesmo nas estações de Metrô, os banheiros são extremamente limpos e com tecnologia moderna. 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade