Turismo

Covid-19: França anuncia plano de 18 bilhões de euros para resgatar turismo

O governo começou a suspender gradualmente as medidas de contenção na segunda-feira, após quase dois meses de quarentena

Agência France-Presse
postado em 14/05/2020 10:20
As pessoas tomam bebidas em frente à basílica de Le Sacre-Coeur, em Paris, em 13 de maio de 2020, como um levantamento parcial das restrições introduzidas há dois meses para combater a propagação da pandemia de Covid-19 causada pelo novo coronavírus. O primeiro-ministro francês, Edouard Philippe, anunciou nesta quinta-feira (14) um plano "sem precedentes" de 18 bilhões de euros (US$ 19,4 bilhões) para resgatar o turismo, fortemente abalado pela pandemia da covid-19.

"O que atinge o turismo obviamente atinge o coração da França", disse Philippe, ao divulgar a medida.

O plano inclui 1,3 bilhão de euros em investimentos públicos diretos, além de empréstimos garantidos pelo governo e a ampliação do acesso a um "fundo de solidariedade", detalhou o chefe de governo.

A França recebeu quase 90 milhões de turistas estrangeiros no ano passado, segundo Philippe. Com a chegada do novo coronavírus, porém, 95% dos hotéis do país estão fechados desde meados de março.

O governo começou a suspender gradualmente as medidas de contenção na segunda-feira, após quase dois meses de quarentena. Muitos franceses conseguiram voltar ao trabalho, mas restaurantes, cafés, bares, hotéis e principais museus ainda estão fechados.

"Não há muita certeza sobre o tema, dado o que não sabemos sobre a evolução do vírus, mas devemos definir um caminho e abrir horizontes", afirmou Philippe.

Cafés e restaurantes das regiões francesas classificadas como "verdes", isto é, onde o vírus não está circulando ativamente, poderão reabrir suas portas a partir de 2 de junho, anunciou ele, desde que não haja aumento no número de casos.

Philippe também disse que os franceses poderão tirar férias de verão em julho e agosto, mas apenas na França metropolitana e em seus departamentos ultramarinos.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação