PAULISTÃO

Final é o tira-teima para disputa particular

Correio Braziliense
postado em 08/08/2020 01:18
 (foto: Nelson Almeida/AFP - 23/5/19)
(foto: Nelson Almeida/AFP - 23/5/19)

O vazio Allianz Parque será o local, hoje, a partir das 16h30, de um grande tira-teima para Palmeiras e Corinthians no Campeonato Paulista. A primeira decisão da história do torneio a ser disputada com os portões fechados vai indicar qual rival ficará à frente do adversário no retrospecto de confrontos diretos em decisões estaduais. O placar atual está em 3 x 3.
Em 11 ocasiões passadas, as duas equipes ocuparam as duas primeiras posições da classificação final do Campeonato Paulista. Mas, em cinco delas, o título foi definido por pontos corridos e sem ter, portanto, os dois times se confrontado diretamente pela taça (1942, 1947, 1951, 1954 e 1966). Se levada em consideração somente as finais de campeonato, o retrospecto histórico dos 103 anos de rivalidade voltará a ter um time dominante logo mais.
Curiosamente, o Palmeiras levou a melhor sobre o Corinthians nas três primeiras finais entre as equipes. Ainda com o nome de Palestra Itália, garantiu o título em 1936. Anos mais tarde, em 1974, a geração da Segunda Academia conquistou a taça. A última vitória alviverde veio em 1993, sob o comando justamente de Vanderlei Luxemburgo. A conquista encerrou o jejum do clube de 16 anos sem ganhar taça.
A reação do Corinthians veio anos depois. Nas três finais seguintes, foram três vitórias sobre o rival. Em 1995, em decisão disputada em Ribeirão Preto, o título veio na prorrogação. Quatro anos depois, em jogo marcado por confusão após as embaixadinhas de Edílson, a equipe levantou a taça em 1999. O último encontro foi em 2018, no Allianz Parque, com vitória corintiana no tempo normal e nos pênaltis.
A expectativa pelo tira-teima histórico ajuda a compensar a final sem público. O cenário contribui, também, para criar uma expectativa melhor para o confronto após a partida de ida, na quarta-feira, ter ficado no empate sem gols e um jogo de poucas emoções. Em caso de nova igualdade, aliás, a decisão do título será nos pênaltis.
Fora o inédito fator de uma pandemia forçar o jogo a ter portões fechados, uma outra novidade envolve esta decisão. Será a primeira final da história disputada em piso sintético. O Corinthians jogará pela primeira vez no novo gramado. Desde a inauguração do campo, em fevereiro, o Palmeiras disputou no local sete partidas. Ganhou seis e empatou uma.
Palmeiras –– Weverton, Marcos Rocha, Luan (Felipe Melo), Gómez e Viña; Patrick de Paula, Ramires e Gabriel Menino; Zé Rafael (Willian), Rony e Luiz Adriano. Corinthians –– Cássio, Fagner, Gil, Danilo Avelar e Carlos Augusto; Gabriel, Éderson (Cantillo), Ramiro, Luan e Mateus Vital; Jô.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação