Não está correto ficar em casa até passar mal com falta de ar, diz Pazuello

Ministro interino da Saúde reforça necessidade de diagnóstico precoce para evitar mortes pela covid-19

Maria Eduarda Cardim
postado em 10/08/2020 12:09 / atualizado em 10/08/2020 13:51
 (foto: Reprodução)
(foto: Reprodução)

Presente na cerimônia de início das operações da Unidade de Apoio ao Diagnóstico da covid-19, localizada na sede da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro, nesta segunda-feira (10/8), o ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, reforçou a necessidade do diagnóstico precoce e tratamento de pacientes infectados pelo novo coronavírus. De acordo com ele, só dessa maneira o Brasil conseguirá impedir mais perdas. O país já acumula 101.049 vítimas da doença, de acordo com o Ministério da Saúde.

“Preciso que todos compreendam o que tem que ser feito para que nós possamos parar o sangramento e parar as perdas. A gente precisa compreender como parar o sangramento e parar o sangramento é diagnóstico precoce, tratamento imediato, compreensão do suporte ventilatório antes da UTI”, declarou no discurso feito durante a cerimônia.

O ministro interino reforçou a necessidade de procurar unidades de saúde ao primeiro sintoma notado pelo paciente. “Não está correto ficar em casa doente com sintomas até passar mal com falta de ar. Isso não funciona, não funcionou e deu no que deu. Nós há dois meses já mudamos esse protocolo”, indicou

Pazuello reforçou, ainda, que esse diagnóstico pode ser feito de diversas maneira e não somente pelo testes laboratoriais. “Qualquer sintoma procure imediatamente um médico e esse médico tem todo o poder soberano de diagnosticar, de forma clínica, clínica-epidemiológica, laboratorial, com exames de imagens e testes”, ressaltou.

Outras metodologias

Desde 24 de junho, o Ministério da Saúde possibilitou que os casos da covid-19 sejam confirmados também por meio de outras metodologias além do teste, por exemplo pelo critério clínico-imagem e pelo critério clínico.

Segundo o general, a partir do diagnóstico precoce e tratamento correto o risco de morte diminui. “Brasileiro que for diagnosticado pelo médico, receba a prescrição dos medicamentos, tome os remédios e se trate. Com isso, não vai ficar agravado, não agravando não vai precisar de UTI e o risco de morrer aí é muito pequeno”, disse.

Pazuello reforçou que todos os dias a pasta comandada por ele revê os protocolos de enfrentamento à covid-19 para procurar o que tem de melhor e alterar aquilo que não está dando certo. “Não existe neste momento diferenças partidárias e ou ideológicas. Nós somos todos brasileiros, combatendo dia a dia da melhor forma, nos dedicando para que não haja mais mortos no nosso país”, declarou.

Testagem

A Unidade de Apoio ao Diagnóstico da covid-19 é uma iniciativa para dar suporte aos Laboratórios Centrais de Saúde Pública (LACEN). De acordo com a Fiocruz, a unidade poder processar diariamente até 15 mil testes moleculares, conhecidos como RT-PCR, padrão ouro para diagnosticar a covid-19. A estrutura e equipamentos foram financiados pelo programa Todos Pela Saúde, do Itaú Unibanco, e o Ministério da Saúde custeará a operação.

“Sabemos que entre as estratégias para o enfrentamento a esta pandemia a política e a capacidade de testagem são fundamentais hoje e em todas as etapas”, destacou a presidente da Fiocruz, Nísia Trindade Lima.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação