VIDA NOVA

Menina de 10 anos que engravidou após estupro tem alta do hospital

Segundo o médico que atendeu a criança, ela voltou a sorrir, ganhou brinquedos, tablets e pediu para realizar o sonho de comer um sanduíche do McDonald's

Hellen Leite
postado em 19/08/2020 11:22 / atualizado em 19/08/2020 14:10
 (foto: Leandro de Santana/Esp. DP)
(foto: Leandro de Santana/Esp. DP)

A criança de 10 anos que foi submetida a um procedimento de interrupção da gravidez após ser estuprada pelo tio teve alta do hospital nesta quarta-feira (19/8). A menina, natural do Espírito Santo, estava internada desde domingo (16/8) no Centro Integrado de Saúde Amaury de Medeiros (Cisam), em Recife (PE).

A alta médica foi confirmada ao Correio pelo médico que atendeu a criança, Olímpio Barbosa de Morais Filho. "Ela já deve estar no Espírito Santo, está bem e voltou a sorrir", comentou o médico, que chegou a ser hostilizado por um grupo religioso no fim de semana.

Antes de voltar para casa, a criança ganhou presentes, recebeu cartas, jogos eletrônicos, tablets e realizou um sonho, comer um sanduíche do McDonald's. "No final, ela pediu para comer esse sanduíche, disse que era o sonho dela. Ela finalmente está segura e sinto que fiz o meu papel como profissional da saúde, que é atenuar o sofrimento das pessoas e não julgar ou maltratar ninguém", afirmou o médico

A menina tem um histórico de vida marcado pela violência. Ela está sob a guarda dos avós porque a mãe morreu e o pai está preso. "Acredito que é um novo nascimento, até agora ela só teve sofrimento na vida. Vai depender do povo capixaba ajudar que ela tenha uma nova vida, sem sofrimento e passar uma borracha por cima de tudo o que aconteceu", finalizou Moraes.


Tio preso

O tio, de 33 anos, suspeito de abusar sexualmente da menina confessou aos policiais que abusava da criança. Ele foi preso na madrugada de terça-feira, (18/8), em Betim (MG).

O homem estava escondido na casa de parentes, não resistiu à prisão e foi indiciado por estupro de vulnerável e ameaça. Ele já tinha passagem criminal por tráfico de drogas e esteve preso entre 2011 e 2018, mas em 2017 ganhou direito ao regime semiaberto, foi nessa época que os estupros teriam começado, de acordo com a polícia.

Segundo a Polícia Civil, ele disse que tinha um "relacionamento" com a criança, mas, pela idade da vítima, não existe consentimento. "Isso não justifica, porque ela é menor e não tem nenhuma capacidade de entender o que estava acontecendo", disse o delegado-chefe da Polícia Civil do Espírito Santo, José Darcy Arruda, em entrevista coletiva sobre o caso.

O suspeito morava na mesma casa que a garota e, nesse contexto, cometia os estupros. Ele chegou a dizer aos policiais que o pai e o avô da criança também a estupravam. A hipótese será investigada, mas a princípio a polícia acredita que o suspeito seja o único estuprador.

“Esse homem é um monstro e está muito claro que ele tem que ficar enjaulado e não tem condições de viver em sociedade”, disse o coronel da Polícia Militar Alexandre Ofranti Ramalho, secretário de Segurança Pública do Espírito Santo.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação