Mourão diz que Amazônia ‘não está queimando’ e convida DiCaprio a visitá-la

Vice-presidente afirmou que a região onde há queimadas é uma área "antropizada" e disse que o ator deveria fazer uma caminhada de oito horas com ele no Amazonas

Sarah Teófilo
postado em 19/08/2020 13:20 / atualizado em 19/08/2020 15:09
 (foto: ROMERIO CUNHA/AFP)
(foto: ROMERIO CUNHA/AFP)

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão (PRTB), disse nesta quarta-feira (19/8) que a Amazônia “não está queimando”, e ironizou as críticas feitas pelo ator e ativista ambiental Leonardo DiCaprio. Em transmissão ao vivo promovida pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), Mourão afirmou que os incêndios no bioma são em regiões “antropizadas”.

“[Há] Muita desinformação sobre a Amazônia. Uma primeira coisa que tem que ficar clara: onde ocorre queimada na Amazônia é naquela área humanizada. A floresta não está queimando e, no entanto, a imagem que é passada para o resto do Brasil e para a comunidade internacional é que tem fogo na floresta. E não adianta mostrar o mapa da Nasa, o mapa do Inpe [Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, que a turma não aceita o dado”, afirmou o vice-presidente.

Dados do Inpe apontam aumento do desmatamento e de queimadas na região da Amazônia Legal, que abrange nove estados brasileiros. No mês de julho, por exemplo, foi registrado um aumento de 27,9% na quantidade de focos de incêndio no bioma, se comparado com o mesmo período do ano passado.

O número é também 42% mais elevado que julho de 2018, mas é menor que 2017, que registrou o segundo pior dado da série histórica (desde 1998), com 7.986 focos. Apesar do aumento no mês, observando dados de janeiro a julho deste ano e do ano passado, houve uma redução de 7,6%.

O vice-presidente ainda falou do ator Leonardo DiCaprio, que recentemente criticou o aumento de queimada e desmatamento no país."A Amazônia não é uma coisa única. Existem 22 tipos de florestas diferente aqui dentro. Não é uma floresta única. E muito menos é uma planície. Eu gostaria de convidar o nosso mais recente crítico, nosso ator Leonardo DiCaprio, para ele ir comigo aqui a São Gabriel da Cachoeira (Amazonas) e nós fazermos uma marcha de oito horas pela selva entre o aeroporto de São Gabriel e a estrada de Cucuí. E aí ele vai aprender em cada socavão que ele tiver que passar que a Amazônia não é uma planície. E aí entenderá melhor como funcionam as coisas nessa imensa região", disse Mourão.

Na última semana, DiCaprio publicou no seu Instagram um vídeo do jornal The Guardian trazendo estes dados e afirmando que o presidente Jair Bolsonaro está sob pressão internacional para frear o aumento de queimadas, mas que ele "duvidou publicamente da severidade das queimadas no passado, alegando que oponentes e comunidades indígenas eram os responsáveis".

"Os incêndios florestais na Amazônia no ano passado foram devastadores o suficiente, mas com o clima mais seco este ano, assim como a pandemia do coronavírus que matou mais de 99.000 brasileiros, há uma preocupação crescente de que o desmatamento em curso não esteja recebendo atenção suficiente", escreveu o ativista e ator.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação