Carreta de etanol no fundo de rio em MG desafia bombeiros e meio ambiente

Remoção do veículo-tanque com capacidade para 70 mil litros leva mais tempo do que o previsto devido às condições do Rio Grande e à complexidade da operação que envolve mergulhadores e maquinário pesado

Mateus Parreiras - Estado de Minas
postado em 23/08/2020 12:44 / atualizado em 23/08/2020 12:46
Mergulhadores ancoram os tanques da carreta e os preparam para ser arrastados -  (foto: Divulgação/CBMMG)
Mergulhadores ancoram os tanques da carreta e os preparam para ser arrastados - (foto: Divulgação/CBMMG)

A remoção dos tanques de uma carreta bitrem carregada de etanol do fundo do rio Grande, em Conceição das Alagoas, no Triângulo, tem se provado um grande desafio para o Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais (CBMMG) e a Polícia Militar. O veículo caiu de uma ponte na divisa com São paulo, na quarta-feira (19) e deveria ter sido retirada no sábado (22). Barreiras flutuantes são usadas para evitar que vazamentos poluam as águas.

Mergulhadores e maquinários pesados estão sendo empregados para ancorar os tanques e abrir rampas do leito no rio sobre, nas margens e até a beira da Rodovia MG-427. Uma equipe do Pelotão de produtos químicos, biológicos, radioativos e nucleares também está no local apoiando a operação e o transbordo da carga que será feito quando a carreta estiver na margem.

A carreta, com placa de Paulínea (SP) caiu no Rio Grande depois de ter perdido o controle sobre a ponte que liga MG a SP, na madrugada de quarta-feira. O motorista Geraldo dos Santos Nascimento, de 59 anos, morreu no acidente e seu corpo foi retirado por pescadores que estavam no local e posteriormente encaminhado para o Instituto Médico Legal.

 

Rampas precisaram ser abertas do Rio Grande até a terra para arrastar os tanques da carreta
Rampas precisaram ser abertas do Rio Grande até a terra para arrastar os tanques da carreta (foto: Divulgação/CBMMG)

 

O veículo tanque estava carregado de etanol e tinha capacidade total de 70 mil litros. Há indícios que que cerca de 1 mil litros do diesel do tanque do veículo tenha vazado na água. Segundo os Bombeiros, a correnteza estava forte e dificultou os trabalhos de resgate. Um dos tanques do bitrem chegou a se soltar e descer cerca de 50 metros em direção ao fundo do rio.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação