Operação predador

Homem acusado de cometer estupros em série é preso em Goiás

Segundo a polícia, o homem agia de forma agressiva e atacava mulheres entre 19 e 49 anos; Imagem do acusado foi divulgada no intuito de localizar outras vítimas

Hellen Leite
postado em 17/09/2020 09:19 / atualizado em 17/09/2020 09:23
 (crédito: Polícia Civil de Goiás/Divulgação)
(crédito: Polícia Civil de Goiás/Divulgação)

Um homem de 40 anos acusado de estuprar ao menos seis mulheres foi preso pela Polícia Civil de Goiás nesta semana. Fábio Dias da Silva foi definido pela polícia como "estuprador em série" e identificado após um cruzamento de dados da Polícia Técnico-Científica do estado.

Segundo as investigações, as vítimas têm entre 19 e 49 anos e os estupros ocorreram entre os anos de 2016 e 2019. O homem agia de modo agressivo, sempre por volta das 6h, a bordo de uma motocicleta ou automóvel. Assim, ele interceptava as vítimas que trafegavam em motocicletas, derrubando-as ou as obrigando a parar e descer, sempre sob a ameaça de estar armado.

Após capturar as vítimas, Fábio as levava a matagais onde as estuprava e roubava seus pertences. "Em todos os casos, foi constatado que o perfil genético do autor corresponde ao de um mesmo indivíduo", informou a Polícia Civil.

Segundo o delegado, o autor é "dissimulado" e tem uma extensa ficha criminal. “Já cumpriu pena por roubo, extorsão, diversos crimes”, afirmou.

Operação Predador

Ao perceber que todos os casos tinham sido cometidos pelo mesmo indivíduo, foi criada uma força-tarefa para investigação conjunta, sob a coordenação da Superintendência de Polícia Judiciária (SPJ) da Polícia Civil, com auxílio da Gerência de Operações de Inteligência (GOI) da PCGO, da Superintendência de Combate à Corrupção e ao Crime Organizado da Secretaria de Segurança Pública (SSP) e da Superintendência de Polícia Técnico-Científica.

A investigação culminou na deflagração da Operação Predador, que prendeu o autor dos crimes em Senador Canedo (GO) na última segunda-feira (11).

A Polícia Civil divulgou o nome e imagem do homem no intuito de localizar outras possíveis vítimas de estupro. O perfil genético dele também foi inserido em um banco de dados nacional para possivelmente solucionar casos não concluídos.

Foi instaurado ainda um outro inquérito policial na 2ª Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam) de Goiânia a fim de apurar outro caso de estupro ligado ao suposto autor.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação