Operação

Polícia Federal desarticula organização que fraudava licitações no Tocantins

Cerca de 45 policiais federais cumprem dez mandados judiciais de busca e apreensão além de três afastamentos de cargos públicos nas cidades de Alvorada, Jaú do Tocantins, Paraíso do Tocantins e Palmas

Agência Brasil
postado em 22/09/2020 12:47 / atualizado em 22/09/2020 12:47
 (crédito: Arquivo/Tânia Rêgo/Agência Brasil)
(crédito: Arquivo/Tânia Rêgo/Agência Brasil)

A Polícia Federal deflagrou hoje (22/9) a Operação Tempos Modernos para desarticular uma organização criminosa envolvida em fraudes a licitação e contratos públicos de pavimentação e abertura de estradas vicinais na região sul do Tocantins.

Cerca de 45 policiais federais cumprem dez mandados judiciais de busca e apreensão, três afastamentos de cargos públicos nas cidades de Alvorada, Jaú do Tocantins, Paraíso do Tocantins e Palmas. As determinações judiciais foram expedidas pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região – TRF1.

Investigações

A investigação teve início após indícios de que as licitações estariam sendo direcionadas a uma empresa que vencia todas as licitações na região. O grupo criminoso atuava por meio de pagamento de propina aos servidores públicos envolvidos no processo de licitação, contratação e fiscalização. 

Segundo a PF, a empresa responsável pelas fraudes subcontratava a execução das obras, que sempre aconteciam em condições inferiores as tipificadas nos contratos. As investigações apontam um prejuízo de aproximadamente R$ 3 milhões aos cofres públicos.

Crimes

Os investigados poderão responder pelos crimes de fraude a licitação, peculato, organização criminosa, corrupção ativa e passiva e lavagem de dinheiro.

De acordo com a PF, o nome da operação, Tempos Modernos, faz uma referência crítica ao mundo capitalista, em que tudo gira em torno do capital e do lucro, e para atingir seus objetivos algumas organizações lançam mão de uma requintada estrutura de corrupção, em detrimento da sociedade e do bem público.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação