Atlas do Desenvolvimento Humano

Taxa de crianças nascidas abaixo do peso se manteve estável em 2017

De 2016 para 2017 16 estados tiveram um aumento na taxa de crianças nascidas abaixo do peso. Por outro lado, 11 tiveram uma queda nessa porcentagem

Renata Rios
postado em 29/09/2020 18:15

A partir dos dados do Atlas do Desenvolvimento Humano, divulgado nesta terça-feira (29/9), é possível ver a evolução do Brasil em relação à taxa de crianças que nascem com baixo peso. De acordo com os dados, o Brasil teve um leve recuo em 2014, mas voltou a crescer e se manteve estável em 2017.

Esses medidores dizem respeito aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) 2: “Acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e a melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável”. Entre o período de 2013 e 2017, 16 estados brasileiros tiveram um aumento na taxa de crianças nascidas abaixo do peso. Por outro lado, 11 tiveram uma queda nessa porcentagem.

O percentual de nascidos vivos abaixo do peso, comparado entre meninas e meninos, mostra que elas apresentam porcentagem maior, 9,22%, contra 7,79% entre eles. O sudeste foi a região que apresentou maior incidência de baixo peso em relação aos meninos, 4,85% e 4,28%, respectivamente. No norte foi registrada a menor diferença, 3,96%, entre meninas, e 3,53%, entre os meninos. 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação