Empresas aéreas, voos, aeroporto

Empresas aéreas retomam agenda de voos

Voos comerciais começam a aumentar neste de mês de outubro

Edis Henrique Peres*
postado em 29/09/2020 20:29

A Associação Brasileira das Empresas Aéreas (ABEAR) disse que malha de voos previstos na segunda semana de outubro ultrapassam a marca de 1.000 voos diários, alcançado 51,8% do cenário base já ao fim mês. A Companhia Azul declarou que tem previsto 505 decolagens diárias em outubro para 89 destinos. A capacidade doméstica prevista pela empresa é de 60% da operação em relação ao mesmo período do ano passado.


A Latam também divulgou sua malha para o próximo mês, com fortalecimento dos centros de conexão em Guarulhos (SP) e Brasília (DF). A empresa disse que seguirá retomando suas operações já estabelecidas para 44 destinos, com a marca de 274 voos diários no país. O crescimento de outubro para a Latam é de 42% em relação ao mês anterior.


A Gol também anunciou um aumento em sua malha de voos para outubro, um aumento de 49% na oferta de operações, com 400 voos diários previstos. A companhia vai alcançar 95% dos destinos do período pré-pandemia. Brasília, um dos principais pontos de conexão da Gol, ganha em outubro dois novos destinos: Londrina (PR) e Navegantes (SC), com isto a companhia terá 42 destinos atendidos a partir de capital do país.


As empresas de voos explicam que estão adotando as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e diversas outras medidas, desde a possibilidade de realização do check-in on-line, higienização das aeronaves, distanciamento social nos saguões de espera e equipes com máscaras, além da diminuição do contato direto dos profissionais com os passageiros e disponibilidade de álcool em gel nos aviões e locais de atendimentos.


As empresas explicaram que os aviões possuem o sistema de filtro de alta eficiência HEPA, que renovam o ar de toda a cabine a cada três minutos. Segundo as empresas esse sistema é capaz de filtrar 99,97% das partículas nocivas, como vírus e bactérias. Outro aspecto ressaltado é que a circulação do ar ocorre de cima para baixo, o que torna menos provável o movimento de ar fluir entre os passageiros. As empresas também declararam que as cabines são divididas em segmentos de ventilação, o que significa que o ar respirado por cada segmento não flui por toda a aeronave.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação