Pandemia

Anvisa interrompe testes da vacina produzida pela Johnson & Johnson  

A decisão ocorreu após a empresa informar sobre paralisação dos estudos devido a reações adversas apresentadas por um voluntário. No mês passado, o imunizante produzido pela universidade de Oxford também sofreu uma interrupção, que durou cerca de uma semana

Bruna Lima
postado em 13/10/2020 15:42
 (crédito: Chaideer MAHYUDDIN/ AFP)
(crédito: Chaideer MAHYUDDIN/ AFP)

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) interrompeu, nesta terça-feira (13/10), os estudos da vacina contra a covid-19 da Janssen-Cilag Farmacêutica Ltda, divisão da Johnson & Johnson. A paralisação dos testes foi anunciada pela própria empresa por causa de uma reação adversa grave ocorrida em um voluntário no exterior.


Segundo a Anvisa, o estudo permanecerá suspenso até que haja investigação pelo Comitê Independente de Segurança sobre o que causou as reações no paciente testado. Os detalhes não foram divulgados e devem permanecer em sigilo.


No Brasil, a inclusão do primeiro voluntário no estudo ocorreu em 9 de outubro. “Novas inclusões só poderão ocorrer quando houver autorização da Anvisa, que procederá com a análise dos dados da investigação e decidirá pela continuidade ou interrupção permanente do estudo clínico, com base nos dados de segurança e avaliação risco/benefício”, afirma a agência, por meio de nota oficial.


Esta é a segunda vez que estudos de potenciais vacinas contra o novo coronavírus são interrompidos no país por reações adversas apresentadas pelos participantes. Em 8 de setembro, a farmacêutica AstraZeneca decidiu paralisar os testes do imunizante preparado em parceria com a Universidade de Oxford. Na semana seguinte, no entanto, as atividades foram retomadas após serem concluídas as revisões necessárias.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação