Direito autoral

Polícia tenta localizar músicas inéditas de Renato Russo no Rio

Investigações tiveram início após o filho do cantor denunciar que trabalhos inéditos do artista estariam sendo ocultados. Estúdio de gravação é alvo de operação

Renato Souza
postado em 26/10/2020 12:29
 (crédito: SescDF/Divulgação)
(crédito: SescDF/Divulgação)

A Polícia Civil do Rio de Janeiro deflagrou, na manhã desta segunda-feira (26), uma operação para localizar músicas inéditas do cantor Renato Russo, vocalista da banda Legião Urbana. O artista morreu em 1996, em decorrência da aids.

No entanto, as investigações apontam indícios de que ele teria deixado faixas gravadas em seus últimos dias de vida, e essas músicas estariam em propriedade de empresários que atuam no ramo musical. Entre os endereços alvos de mandados de busca está um estúdio em solo carioca. As ações são realizadas pela Delegacia de Repressão aos Crimes Contra a Propriedade Imaterial ( DRCPIM).

Os mandados foram expedidos pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. O estúdio visitado pelos policiais é um dos últimos frequentado por Renato. As investigações da operação Será, tiveram início há cerca de um ano.

As ações começaram após Giuliano Manfredini, filho de Renato Russo, denunciar que trabalhos inéditos do pai estavam sendo escondidos por empresários. O nome da operação faz referência a música "Será", em que o Legião narra um relacionamento abusivo, no qual o agressor vê o parceiro como sua propriedade.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação