Covid-19

Estudo da CoronaVac atinge mínimo de infectados e entra na fase final

Segundo governo de São Paulo e Instituto Butantan, análise dos casos já começou e resultado é aguardado para primeira semana de dezembro

Maria Eduarda Cardim
postado em 23/11/2020 15:20 / atualizado em 23/11/2020 15:22
 (crédito: SILVIO AVILA / AFP )
(crédito: SILVIO AVILA / AFP )

O governo do estado de São Paulo anunciou nesta segunda-feira (23/11) que o estudo clínico da vacina CoronaVac, produzida pela empresa chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, chegou à fase final. Os resultados devem sair na primeira semana de dezembro.

De acordo com o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, o estudo atingiu o número mínimo de 61 infectados pelo novo coronavírus, necessário para avaliar a eficácia do imunizante. Ao todo, 74 casos de covid-19 foram identificados entre os voluntários que receberam a dose da vacina ou o placebo.

"A análise dos casos já se iniciou e, portanto, rapidamente na primeira semana de dezembro, teremos o resultado dessas análises", indicou Covas.

Após isso, os resultados serão enviados ao Comitê Internacional Independente para que valide o resultado e produza o relatório que será encaminhado à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Eficácia

Dimas Covas relatou que mais de 10 mil voluntários foram vacinados. Metade recebeu placebo e metade recebeu a vacina. "Nesse conjunto de pessoas apareceram 74 casos de covid-19 e, agora, o que as equipes realizam é a identificação dos casos para ver se eles apareceram em quem recebeu o placebo ou a vacina. Se todos os casos apareceram em quem recebeu o placebo, isto significaria que a eficácia é de 100%", indicou.

O secretário de Estado da Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, celebrou a celeridade do estudo. "Só com a vacina, viveremos o nosso normal. Até então, precisamos lembrar que estamos em quarentena e todo comportamento deve ser responsável, mantendo todas as regras sanitárias, distanciamento social e utilizando máscaras", afirmou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE