Pandemia

Pernambuco suspende Carnaval devido ao aumento de casos de covid-19

A declaração do secretário foi feita na semana em que o estado atinge a quarta semana consecutiva de aumento no número de casos da doença

Diário de Pernambuco
postado em 17/12/2020 21:21
 (crédito:  Leandro de Santana/ Esp DP)
(crédito: Leandro de Santana/ Esp DP)

O Carnaval de 2021 está oficialmente suspenso em Pernambuco. O anúncio foi feito pelo secretário de Saúde do estado, André Longo, durante uma entrevista coletiva transmitida pela internet nesta quinta-feira (17). "O Carnaval representa muito mais do que uma festa para o povo pernambucano, mas, no atual contexto de pandemia, não há possibilidade de realização de um acontecimento desse porte, que mobiliza multidões e é, pela sua natureza, um momento de encontro, de aglomeração que, por vezes, reúne milhões de pessoas", disse.

A declaração do secretário foi feita na semana em que o estado atinge a quarta semana consecutiva de aumento no número de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave. Na semana epidemiológica 50, houve um novo crescimento, chegando aos 427 casos, o que representa um aumento de 2,5%, em relação à semana 49, e de 9,8% em quinze dias.

Com o aumento, Pernambuco atinge níveis semelhantes aos registrados entre o final de setembro e início de outubro. Em decorrência desse aumento, houve crescimento, também, na taxa de ocupação de leitos hospitalares ao redor do estado. Foram abertos novos 151 novas vagas em hospitais, um aumento de 1% em comparação à semana anterior.

Apesar da suspensão das festas do período carnavalesco em Pernambuco, Longo afirmou que não existe a previsão de um novo lockdown no estado. Contudo, o secretário não descartou que medidas mais severas possam ser aplicadas no futuro. "Neste momento, não há necessidade lockdown, ou de medida mais agressiva, mas, não tenham dúvidas, da mesma forma que nós já fizemos isso outras vezes, é possível, sim, que haja essa necessidade", destacou.

André Longo ressaltou que, quanto à vacinação, o estado vai continuar monitorando os processos de autorização das vacinas, para garantir a imunização aos pernambucanos. "Estamos buscando um diálogo produtivo com o Ministério da Saúde, incluindo reuniões com o ministro. Já foi anunciado que o Recife será uma das sedes para a distribuição da vacina no país, o que nos coloca em papel estratégico no processo de imunização", disse. "Vamos continuar atuando e cobrando atitudes efetivas", garantiu.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE