Virada do ano

Governo estuda fechar Copacabana no réveillon para evitar aglomerações

Cláudio Castro, governador em exercício no Rio de Janeiro, propõe regras mais rígidas de acesso a praia de Copacabana na noite do réveillon. A tradicional festa no local já havia sido cancelada em setembro

Correio Braziliense
postado em 23/12/2020 14:30 / atualizado em 23/12/2020 14:30
 (crédito: Fernando Maia/Riotur
)
(crédito: Fernando Maia/Riotur )

O governador em exercício do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PSC), deve propor ao prefeito em exercício, Jorge Felippe (DEM), que Copacabana seja fechada somente para moradores na noite de réveillon. A informação foi dada por Castro ao jornalista Edimilson Ávila, da TV Globo, nesta quarta-feira (23/12). Governador e prefeito se reúnem no Palácio Guanabara, sede do governo do Rio.

A proposta de Castro inclui o fechamento de quatro quadras ao longo da orla, além da estação do metrô que fica no bairro. Evitar o trânsito de pessoas no local seria uma maneira de diminuir a aglomeração na praia de Copacabana.

O réveillon da praia de Copacabana, que costuma reunir mais de 2 milhões de pessoas, foi cancelado pela Prefeitura em setembro. A princípio, as festas particulares e em quiosques estavam liberadas. Mas o governo municipal também voltou atrás na decisão e anunciou que a venda de ingressos para comemorações na orla estavam proibidas.

O governo do Estado do Rio de Janeiro determinou no início do mês que o Corpo de Bombeiros atue na fiscalização do cumprimento das medidas de prevenção à covid-19 no estado. 

Até a terça-feira (23/12), o estado do Rio de Janeiro registrava 24.594 mortes por coronavírus e 411.369 casos da doença, segundo balanço divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde. A média móvel de casos está em 2860, uma alta de 20% em comparação a duas semanas.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE