LUTO

Ministro aposentado do STJ, Paulo Medina morre aos 79 anos

Com vasto currículo público, Medina já foi vereador, advogado, juiz e professor

postado em 04/04/2021 14:24 / atualizado em 04/04/2021 14:26
 (crédito: Divulgação/STJ )
(crédito: Divulgação/STJ )

Mais um autoridade faleceu vítima da covid-19. Neste sábado (3), em Belo Horizonte (MG), o ministro aposentado do Supremo Tribunal de Justiça (STJ), Paulo Medina morreu aos 79 anos. Ele se tornou ministro em 2001, cargo que exerceu até aposentar-se em 2010.

“O Superior Tribunal de Justiça presta suas condolências à família do ministro Paulo Medina, que atuou no tribunal por nove anos. Que Deus, em sua infinita misericórdia, console a todos pela inestimável perda”, declarou o ministro Humberto Martins, presidente do STJ, em nome da Corte.

Madina nasceu na cidade de Rochedo de Minas e foi vereador do município de 1961 a 1965. Bacharel em Direito pela Universidade Federal de Juiz de Fora, em 1965, Medina advogou até 1968, quando foi aprovado no concurso para juiz de Direito, atuando em várias comarcas mineiras. Em 1985, tornou-se juiz do Tribunal de Alçada local e, em 1991, desembargador do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG).

Foi presidente da Associação dos Magistrados Mineiros (Amagis), de 1993 a 1995; da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMG), de 1995 a 1997; e da Federação Latino-Americana de Magistrados (FLAM), de 1997 a 1999.

O ministro também exerceu a função de docente nas faculdades de Direito da Universidade Federal de Juiz de Fora, Barbacena, Conselheiro Lafaiete e na Pontifícia Universidade Católica, todas em Minas Gerais.

 

 


* Com informações do STJ

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE