VIOLÊNCIA

Vídeo: Homem é detido ao fazer funcionária da Gol de refém no Aeroporto de Guarulhos

Suspeito afirmou ser policial da PM do Paraná e falou palavras desconexas sobre corrupção. Depois de negociação com a PF, ele se entregou sem ferir a vítima

Renato Souza
postado em 11/04/2021 23:28 / atualizado em 12/04/2021 00:18
 (crédito: reprodução)
(crédito: reprodução)

Um homem foi preso pela Polícia Federal na noite deste domingo (11) ao fazer uma funcionária da Gol de refém no Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo. De acordo com imagens transmitidas ao vivo pelas redes sociais por passageiros, o agressor estava portando uma faca e exigia a presença de policiais que atuam no terminal e o envio das imagens à imprensa.

A mulher, visivelmente abalada, vestia o uniforme da companhia, e foi abordada pelo suspeito em um dos portões de embarque. Testemunhas contaram que o homem tinha passagem comprada para um dos voos que decolariam ainda nesta noite.Durante o ato, ele afirmou ser integrante da Polícia Militar do Paraná, e falou palavras desconexas sobre "corrupção", em referência a governos estaduais.

O acusado afirmou ainda que estava carregando uma bomba na mochila que portava nas costas. No entanto, essa hipótese foi descartada ainda na vistoria realizada pelos policiais após a abordagem. Os agentes da PF negociaram por alguns minutos e ele se rendeu, liberando a refém sem ferimentos. 

A GOL informou ao Correio que está ciente do ocorrido no Aeroporto Internacional de São Paulo (GRU Airport) e está dando todo o suporte necessário à colaboradora, que não sofreu quaisquer ferimentos e encontra-se bem. "A Polícia Federal está no comando das investigações e a Companhia está à disposição para prestar todo o suporte necessário. A ocorrência ficou restrita à sala de embarque do aeroporto e o envolvido no caso não era passageiro da GOL em nenhum dos seus trechos de origem ou destino." 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE