Seca

Entidades ambientalistas pedem manutenção de decreto para proteger Cantareira

O Cantareira entrou neste ano no período de seca com um nível menor de água devido ao baixo volume de chuvas nos últimos meses

Agência Estado
postado em 24/05/2021 11:56
 (crédito: Governo do Estado de São Paulo/Divulgação)
(crédito: Governo do Estado de São Paulo/Divulgação)
Mais de 100 entidades ambientalistas entregaram nesta segunda-feira, 24, um abaixo assinado ao governador de São Paulo, João Doria (PSDB), solicitando a manutenção integral do Decreto 65.244/2020, que garante a proteção ambiental dos mananciais do Sistema Cantareira. O Cantareira entrou neste ano no período de seca com um nível menor de água devido ao baixo volume de chuvas nos últimos meses.
Em outubro de 2020, foi aprovado o decreto que estabeleceu o plano de manejo da Área de Proteção Ambiental (APA) do Sistema Cantareira. O decreto restringe o desmatamento e a ocupação imobiliária nas áreas de mananciais nos municípios paulistas de Bragança Paulista, Joanópolis, Mairiporã, Vargem, Nazaré Paulista, Piracaia e Atibaia. No entanto, em 19 de fevereiro de 2021, os prefeitos das cidades solicitaram a Doria a retirada do decreto.
Para Carlos Bocuhy, presidente do Instituto Brasileiro de Proteção Ambiental (Proam), a sobrevivência hídrica de São Paulo depende da manutenção do Sistema Cantareira, que também abastece toda a região da Bacia Hidrográfica dos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí.
O Sistema Cantareira é responsável pelo abastecimento de 9 milhões de habitantes da capital paulista. Desde a maior crise de abastecimento da história, de 2014 a 2016, o Cantareira tem tido dificuldades em se recuperar.
 

CONTINUE LENDO SOBRE