Violência

Jovem é suspeito de matar padrasto em BH

Crime teria ocorrido após rapaz de 19 anos intervir em uma briga do casal

Cristiane Silva - Estado de Minas
postado em 07/06/2021 15:56
 (crédito: Pixabay)
(crédito: Pixabay)

Um jovem de 19 anos é apontado como o principal suspeito do assassinato do padrasto, de 53 anos, ocorrido dentro de um apartamento no início da noite desse domingo (6/6) em Rio Acima, Região Metropolitana de Belo Horizonte. O crime teria ocorrido após o homem discutir com a mãe do suspeito.

De acordo com a Polícia Militar (PM), o crime ocorreu em um conjunto habitacional no Bairro Jatobá. Acionados por vizinhos, eles entraram no imóvel, que estava aberto, e encontraram o homem sobre a cama, com um cobertor da cintura para baixo.

A equipe médica do serviço de saúde da cidade foi acionada e confirmou a morte. Ele tinha uma perfuração do lado esquerdo do corpo, perto das costelas.

A PM apurou no local que a mãe do suspeito, que era namorada da vítima há cerca de um ano, chamou uma vizinha para tentar socorrê-lo e, naqueles instantes, ela teria dito 'não fui eu, foi meu filho que fez isso'. O casal teria brigado por conta de uma mensagem que a mulher recebeu pelo celular. Crianças que estavam lá teriam presenciado a discussão.

Ao ver o tumulto, o rapaz de 19 anos teria pegado uma faca e colocado sobre a mesa para ameaçar a vítima. Depois, ele teria ido para cima do padrasto com o objeto. A mãe teria mandado ele sair do apartamento com uma das crianças. Nem ele e nem a mulher foram localizados durante o registro da ocorrência.

Ainda de acordo com a PM, o filho do homem assassinado esteve no apartamento e, exaltado, disse que a situação 'não ficaria assim' caso ele descobrisse quem seria o responsável pelo crime. O corpo da vítima foi levado ao Instituto Médico Legal (IML).

Também segundo a polícia, algumas pessoas disseram que o casal havia bebido e usado drogas durante toda a manhã e que as brigas eram constantes. Celulares encontrados na casa foram apreendidos. O caso será repassado à Polícia Civil.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE