RIO DE JANEIRO

Entidades e artistas pedem justiça após morte de grávida em tiroteio

Kathlen Romeu morreu aos 24 anos. A designer de interiores e vendedora estava grávida de 4 meses

Ronayre Nunes
postado em 08/06/2021 23:45 / atualizado em 08/06/2021 23:45
 (crédito: Reprodução/ Instagram)
(crédito: Reprodução/ Instagram)

Entidades e celebridades estão indo a público pedir justiça e responsabilização dos envolvidos na morte de Kathlen Romeu, 24 anos, nesta terça-feira (8/6), durante uma ação da Polícia Militar do Rio de Janeiro. A designer de interiores e vendedora foi atingida por uma bala perdida no bairro Lins de Vasconcelos, Zona Norte da capital carioca.

Kathlen estava grávida de 4 meses. A Polícia Civil vai tentar identificar o autor do tiro que atingiu a mulher.

Segundo nota da Polícia Militar, policiais foram atacados a tiros por criminosos quando passavam pela localidade conhecida como Beco do 14. Ali começou um confronto, com troca de tiros. A PM informou que, depois do tiroteio, Kathlen foi encontrada ferida e levada ao hospital municipal Salgado Filho, no Méier (zona norte), onde chegou morta.

Horas antes de ser atingida, a grávida havia publicado em seu perfil no Instagram uma foto com a legenda "Bom dia, neném". A operação policial resultou na apreensão de um carregador de fuzil, munições de calibre 9mm e drogas.

Reação

Pelas redes sociais, celebridades lamentaram a morte de Kathlen e fizeram coro por justiça no caso.

O ator Ícaro Silva usou o Instagram para manifestar sua indignação com a morte da carioca: “Kathlen Romeu, 24 anos, grávida de 4 meses, morta durante operação policial no Rio de Janeiro. Uma notícia que se repete com tanta frequência que dá náusea. Inocentes. Pretos. Mortos. Operação policial. O Estado brasileiro não está em guerra contra as drogas. Está, desde sua formação, servindo ao extermínio da população preta e periférica. Não dá mais pra fingir que não. Luz e amor para a família e os amigos de Kathlen. Vidas Negras Importam. E é um absurdo e um inferno ter que dizer isso”.

O rapper Emicida também foi a público comentar o caso: “Esse lugar precisa de muito pra um dia sonhar em ser um país”.

O humorista Paulinho Serra também lamentou a morte da jovem: “Todo amor e carinho nesse momento da passagem de KATHLEN e para todos os seus familiares”.

Sobre um tuíte da Favela em Pauta, o apresentador Marcelo Adnet também se manifestou: “Justiça para Kathleen Romeu e sua filha”.

A Coalizão Negra divulgou na redes sociais uma imagem pedindo a responsabilização pela morte de Kathlen: “A Coalizão Negra exige a responsabilização do governo, do estado e do comando da PM do Rio de Janeiro pela morte da jovem negra, baleada em mais uma operação criminosa”.

O Instituto Marielle Franco também se pronunciou: “Matam nossos filhos, matam nossas mães! Kathlen Romeu, moradora do complexo do Lins e grávida de 13 semanas, foi fuzilada durante uma operação policial hoje. O Estado retirou mais uma vida negra e favelada que estava gestando outra vida. Investigação urgente! #VidasNegrasImportam”.

O Instituto Fogo Cruzado apresentou dados para comentar o caso: “Kathlen Romeu, grávida morta a tiros no Lins (RJ) aos 24 anos, não é exceção. Desde 2017, 15 grávidas foram baleadas no Grande Rio - 8 delas morreram. Do total, 4 foram baleadas em meio a ações policiais”.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE