MISTÉRIO

Homem é internado em UTI após beber refrigerante supostamente envenenado

O fato, que pode ter sido criminoso, aconteceu em uma distribuidora de bebidas de Uberaba, no Triângulo Mineiro; suspeito não foi identificado

Renato Manfrim - Especial para o Estado de Minas
postado em 24/06/2021 22:29 / atualizado em 24/06/2021 22:29
Conforme relato de médico à PM, os sintomas da vítima caracterizavam possível intoxicação pelo veneno conhecido como chumbinho -  (crédito: Jair Amaral/Em/D.A Press)
Conforme relato de médico à PM, os sintomas da vítima caracterizavam possível intoxicação pelo veneno conhecido como chumbinho - (crédito: Jair Amaral/Em/D.A Press)

O dono de uma distribuidora de bebidas, de 35 anos, foi internado em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Mário Palmério Hospital Universitário (MPHU), em Uberaba, na tarde dessa quarta-feira (23/6), após ter sido supostamente envenenado por ‘chumbinho’. Segundo a assessoria de imprensa do hospital, o seu quadro de saúde é estável.

De acordo com registro da Polícia Militar (PM), o possível envenenamento teria acontecido no momento em que o homem almoçava e atendia a um cliente.

Na ocasião, ele estava bebendo um copo de refrigerante e ao ingerir a bebida sentiu que o gosto estava diferente. Em seguida, cuspiu a bebida e ao ver o interior do copo observou que tinha uma quantidade considerável de uma substância granulada na cor preta, o que supôs ser veneno.

Ele, imediatamente, jogou o restante do refrigerante fora e acionou a sua namorada, que o levou até ao MPHU.

Enfermeiro do hospital contou aos militares que a vítima chegou vomitando muito, com sudorese excessiva, falta de ar e pressão arterial acima do normal.

Conforme relato de médico, os sintomas da vítima caracterizavam possível intoxicação por substância conhecida como "chumbinho".

Segundo relato de testemunhas, o empresário conversou com um homem por cerca de 30 minutos, sendo este o suspeito de ter colocado o veneno no copo.

Imagens de câmeras de segurança da empresa teriam mostrado o suspeito colocando o veneno no copo do empresário.

Mas, segundo registro da PM, não há informações suficientes que identificam o suspeito pelo envenenamento e, desta forma, o caso foi registrado como tentativa de lesão corporal.

A reportagem questionou a assessoria de imprensa da PCMG se já foi iniciada investigação do caso, mas não obteve resposta, até o fechamento desta matéria.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE