INFRAESTRUTURA

Mato Grosso lança edital para construção de ferrovia estadual

Esta é a primeira vez que o estado autoriza a construção de um ramal ferroviário. Governo local prevê investimento de R$ 12 bilhões

Correio Braziliense
postado em 22/07/2021 21:34 / atualizado em 22/07/2021 21:49
 (crédito: Mayke Toscano/Secom-MT)
(crédito: Mayke Toscano/Secom-MT)

O governo do Mato Grosso anunciou nesta semana um projeto para a construção de uma ferrovia estadual. O plano do Executivo local é de implementar duas linhas para o modal, que sairão de um terminal em Rondonópolis, na região sudeste de Mato Grosso. Um dos ramais vai interligar o município com a capital Cuiabá, enquanto o outro seguirá até Nova Mutum e Lucas do Rio Verde. 

A iniciativa de autorizar a construção de uma ferrovia estadual é inédita na história do Mato Grosso. Na segunda-feira (19/7), o governo lançou o edital do chamamento público para que as empresas privadas interessadas no projeto apresentem suas propostas. Pelas regras do Executivo mato-grossense, as empresas terão 45 dias para se manifestar. A estimativa é de um investimento de R$ 12 bilhões.

De acordo com o governo local, a obra será iniciada em até seis meses após a emissão da licença ambiental de instalação. A previsão é que o ramal de Cuiabá seja concluído até o segundo semestre de 2025 e o de Lucas do Rio Verde até o segundo semestre de 2028. A obra terá 700 km de extensão.

Para o governador Mauro Mendes (DEM), as ferrovias impulsionarão o agronegócio da unidade da Federação por facilitarem o transporte de alimentos. Ele lembrou que Mato Grosso é o estado que mais produz commodities agrícolas no Brasil e tem capacidade de crescer essa produção ainda mais nos próximos anos. A partir de 2030, por exemplo, a previsão do governo local é de que o estado seja capaz de produzir pelo menos 120 milhões de toneladas de grãos anualmente .

“Uma ferrovia que sai da região sul do estado e chega à capital Cuiabá e à região central do estado vai melhorar muito a nossa condição logística, a competitividade das nossas empresas e do próprio produtor. Tenho certeza que, com essa melhoria de logística, ele pode ter uma redução no custo do frete”, disse Mendes, ao Correio.

O governador também aposta na geração de novos postos de trabalho com a construção das ferrovias. A estimativa é de que 235 mil pessoas sejam empregadas, direta ou indiretamente, por conta do investimento.

“Estamos dando um passo importante para alavancar o potencial do estado. Vamos acelerar o processo de industrialização do Mato Grosso. Essa ferrovia vai nos conectar aos grandes mercados consumidores do país, em especial o Sudeste, fazendo com que os nossos produtos cheguem lá de forma mais competitiva, e ao Porto de Santos, que é o maior centro de exportação do Brasil. Ela também será importante para trazer algumas matérias primas necessárias para os processos que nós temos aqui”, acrescentou.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE