Tragédia

Bebê recém-nascido escapa por milagre de acidente que matou cinco pessoas

Batida envolveu carreta e dois carros pequenos na cidade de Grão Mogo, Norte de Minas. Criança com apenas dois dias de vida foi encontrada em meio as ferragens

Luiz Ribeiro - Estado de Minas
postado em 16/08/2021 16:01
 (crédito: Corpo de Bombeiros/Divulgação)
(crédito: Corpo de Bombeiros/Divulgação)

Cinco pessoas morreram em uma batida envolvendo uma carreta e dois carros pequenos na MG-307, estrada entre a BR-251 e Grão Mogol, no Norte de Minas, na noite desse domingo (15/8). Um recém-nascido, Henry Mateus Alves Nogueira, de apenas dois dias de vida, estava em um dos veículos e foi resgatado sem ferimentos.

"Foi um milagre em meio a uma tragédia", considerou a equipe do Corpo de Bombeiros, que atendeu a ocorrência.

O acidente aconteceu na comunidade de Tabocas, no municíopio de Grão Mogol, a 37 quilômetros da área urbana.

A carreta, que estava carregada de toras de eucalipto, viajava no sentido Grão Mogol/BR-251 e parou em L no meio da pista. Na sequência, um Fiat Uno (com dois ocupantes) e um Renault Kwid (com cinco pessoas), que seguiam em sentido contrário, bateram violentamente no veículo de carga.

No Renault - veículo da Secretaria Municipal de Saúde de Botumirim, na mesma região, viajavam cinco pessoas, das quais quatro morreram, tendo a criança recém-nascida como única sobrevivente. Um morador de Grão Mogol, um dos dois ocupantes do Fiat Uno, também morreu.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, no momento que os militares retiravam os corpos das ferragens dos veículos, foi ouvido um choro de uma criança. Era o menino Henry, de apenas dois dias de vida, que se encontrava em um bebê conforto.

A criança apresentava no pezinho esquerdo a identificação da maternidade de hospital de Montes Claros, onde nasceu.

O recém-nascido viajava em companhia da mãe, Fernanda Caroline Alves Ferreira, de 23 anos, que morreu no acidente. Ela retornava para casa, no distrito de Adão Colares, no município de Botumirim, após dar a luz em Montes Claros.

O bebê foi socorrido pelos bombeiros e levado Hospital Municipal de Grão Mogol. Depois, foi transferido pela equipe Serviço de Atendimento Médico de Urgência e Emergência (Samu) para Francisco Sá e, por último, para a Santa Casa de Montes Claros.

A criança, que apresentava hipoglicemia (baixo nível de glicose), foi medicada pelos profissionais. Ela continua na Santa Casa de Montes Claros, onde passa bem.

"Creio que foi Deus que colocou as mãos (sobre a criança). Quem viu o estado que ficaram os veículos e as outras vitimas nunca imaginaria que um ser tão frágil como aquele recém-nascido poderia sobreviver, ainda mais sem apresentar lesões", declara, muito emocionado, o sargento do Corpo de Bombeiros Layon Freitas Pereira, da equipe que atendeu a ocorrência.

"Foi uma situaçao muito surpreendente. A gente não esperava isso (encontrar a criança com vida). Quando a gente constatou o choro e tinha a criança recém-nascida (entre a ferragens), a gente imaginava que não fosse possivel fazer a retirada dela sem lesão, sem nenhum ferimento grave, pelo estado do carro e das outras vítimas", afirma.

"A gente teve a preocupação de levar o bebê logo para o hospital porque ele poderia ter sofrido uma hemorragia interna ou qualquer outra situação (ferimento) que comprometesse (a sua vida)", informa o bombeiro, destacando também o apoio da Polícia Militar para o socorro rápido do recém-nascido.

Conforme a secretária municipal de Saúde de Botumirim, Jéssica Oliva Carvalho, além da mãe da criança, viajavam no Renault e morreram na tragédia o motorista da prefeitura Eliomar Célio Pereira dos Santos, de 47, e os passageiros Sebastião Pereira dos Santos, de 50, e Samara de Jesus dos Santos (filha de Sebastião, de 18.

Por causa da tragédia, a Prefeitura de Botumirim decretou luto oficial no município por três dias. O sobrevivente do Fiat Uno, um homem de 30 anos, sofreu com escoriações na face e suspeita de fratura no tornozelo. O condutor da carreta nada sofreu.

Os cinco corpos das vítimas da tragédia foram encaminhados para o Instituto Médico Legal (IML) de Montes Claros. Até o início da tarde desta segunda (16/8), três corpos haviam sido liberados.

Quatro corpos serão sepultados em Botumirim. A mãe da criança, Fernanda Caroline Alves Ferreira, e o motorista Eliomar Célio Pereira dos Santos serão velados e sepultados em Adão Colares.

Os corpos das vitímas Sebastião dos Santos e da filha, Samara, serão enterrados na sede Botumirim. O sepultamento da quinta vitima acontecerá em Grão Mogol.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE