SAÚDE

Ministério da Saúde lança mascote "Rarinha" para alertar sobre doenças raras

Segundo a pasta, 13 milhões de brasileiros têm alguma doença rara. Ministério da Saúde oferece capacitação para que profissionais do SUS saibam diagnosticar precocemente essas doenças

Maria Eduarda Cardim
postado em 31/08/2021 15:07
 (crédito: Walterson Rosa/MS)
(crédito: Walterson Rosa/MS)

O Ministério da Saúde apresentou, nesta terça-feira (31/8), a nova mascote da pasta, a "Rarinha", que foi criada para fortalecer o combate e tratamento das doenças raras e ajudar a disseminar informações dos principais sinais de alertas dessas doenças. O lançamento e apresentação da mascote foram feitos durante um evento com a presença do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e da primeira-dama, Michelle Bolsonaro. 

A nova mascote "Rarinha" fará parte do programa de ações de educomunicação em doenças raras da pasta e aparecerá, por exemplo, nas redes sociais do Ministério da Saúde com informações importantes sobre doenças raras.

Segundo o Ministério da Saúde, 13 milhões de brasileiros têm alguma doença rara. Dessa forma, a fim de melhorar a vida e tratamento dessas pessoas, a pasta anunciou também uma capacitação para que todos os profissionais do SUS saibam diagnosticar precocemente essas doenças. A capacitação será feita por meio de um curso on-line com videoaulas, que totalizam 4h35. A inscrição é gratuita.

"Estamos hoje oferecendo ao país, a partir de um pedido muito especial da Michelle Bolsonaro, uma capacitação para que todos os profissionais do SUS possam diagnosticar precocemente e tratar sempre que possível todos os nossos doentes raros", informou a secretária de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, Mayra Pinheiro.

Segundo o Ministério da Saúde, uma doença é considerada rara quando acomete cerca de 65 pessoas a cada 100 mil indivíduos na população. A maioria delas, cerca de 80%, têm origem genética e para 95% das patologias não existe um tratamento específico.

A primeira-dama do Brasil, Michelle Bolsonaro, agradeceu a oportunidade de participar do evento e disse que a promessa dar visibilidade as doenças raras veio antes mesmo de o presidente Jair Bolsonaro ser eleito. "Muito antes do Jair ser eleito, eu fiz um compromisso com Deus que se nós estivéssemos essa oportunidade de estar no poder, nós usaríamos o poder para ajudar aqueles que precisavam", disse. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE