SETE MORTES

FAB investiga queda de avião

BERNARDO LIMA*; GABRIELA CHABALGOITY*
postado em 14/09/2021 23:42
 (crédito: Divulgação/CBESP)
(crédito: Divulgação/CBESP)

Sete pessoas morreram após a queda de um avião em Piracicaba (SP) na manhã de ontem. Segundo o Corpo de Bombeiros, estavam na aeronave — modelo King Air 360 — o empresário Celso Silveira Mello, sua esposa e os três filhos, além do piloto e do copiloto.

Celso era irmão do empresário Rubens Ometto, dono do Grupo Cosan, um dos maiores produtores de álcool, açúcar e energia do Brasil, responsável pelas empresas Raízen, Moove, Comgás e Rumo. Celso foi presidente do clube de futebol da cidade, o XV de Novembro. O prefeito de Piracicaba, Luciano Almeida (DEM), decretou luto oficial.

Em nota, a Raízen confirmou as mortes e lamentou o acidente. “Com enorme pesar, a Cosan informa que o empresário Celso Silveira Mello Filho estava com a família na aeronave King Air 360 que caiu hoje (ontem), às 10h, em Piracicaba, causando a morte de todos os ocupantes. Celso era acionista e irmão do presidente do Conselho de Administração da companhia, Rubens Ometto Silveira Mello. Também estavam no avião a esposa de Celso, Maria Luiza Meneghel, seus três filhos, Celso, Fernando e Camila, o piloto Celso Elias Carloni e o copiloto Giovani Gulo”, diz o comunicado.

Após decolar do aeroporto da cidade, por volta das 9h, a aeronave de pequeno porte perdeu altura e se chocou contra o solo, em uma área de vegetação no bairro Santa Rosa. De acordo com o corpo de bombeiros, os sete passageiros foram carbonizados. Por ser uma área afastada, não houve vítimas no solo. A explosão da queda iniciou um incêndio no local, que foi rapidamente controlado.

A Força Aérea Brasileira (FAB) informou, em nota, que o Quarto Serviço Regional do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) foi acionado e já enviou uma equipe de peritos ao local do acidente. “Na ação inicial, os investigadores levantam indícios, fotografam cenas, retiram parte da aeronave para análise, ouvem relatos de testemunhas e reúnem documentos”, explicou a FAB.

Memória

Um acidente de avião parecido com o de Piracicaba aconteceu há cinco anos, em São Paulo, e matou o ex-presidente da Vale Roger Agnelli e sua família, além do piloto. A aeronave caiu na Zona Norte de São Paulo, às 15h20 de 19 de março de 2016, logo após decolar, a cerca de 200 metros da pista do Aeroporto Campo de Marte.

O destino da família era o Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, de onde sairiam para o casamento de um sobrinho do empresário. O avião caiu em cima de uma casa, mas os moradores tiveram apenas ferimentos leves. Todos os integrantes do avião morreram: além do executivo, a esposa, Andrea; os filhos, João e Carolina; a nora; o genro; e o piloto.

* Estagiários sob a supervisão de Odail Figueiredo

Tragédia na rodovia

Um acidente envolvendo dois carros, um caminhão e um ônibus de turismo causou a morte de seis pessoas e deixou outras sete feridas, na manhã de ontem, na Rodovia Presidente Dutra, em São José dos Campos, interior de São Paulo. O engavetamento aconteceu no km 134 da pista sentido São Paulo, da rodovia. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), um caminhão reduziu a velocidade devido a outro acidente, e o carro que seguia logo atrás foi prensado contra o veículo de carga pelo ônibus. Outro carro bateu na traseira do coletivo.

O ônibus retornava de uma unidade prisional de Tremembé, na mesma região, com destino a São Paulo. Segundo a PRF, o ônibus e os dois automóveis pegaram fogo. As seis pessoas que morreram viajavam no carro que foi prensado pelos dois veículos maiores. Elas tiveram os corpos carbonizados. Seis passageiros do ônibus e o motorista do outro carro ficaram feridos, sendo três em estado grave.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE