Prisão

Prefeito de São Mateus (ES) é preso em operação que investiga organização criminosa

O político foi encontrado com mais de R$ 400 mil dentro de casa. As irregularidades começaram ainda no primeiro mandato

*Gabriela Chabalgoity
postado em 28/09/2021 20:41
 (crédito: Divulgação/Prefeitura de São Mateus)
(crédito: Divulgação/Prefeitura de São Mateus)

O prefeito de São Mateus (ES), Daniel Santana (sem partido), foi preso durante uma operação policial na manhã desta terça-feira (28/9). Ele foi  encontrado com R$ 437.135 em espécie na casa onde vive com a família. A Operação Minucius, deflagrada pela da Polícia Federal, investiga uma organização criminosa que atua na região norte do Espírito Santo. 


A PF apontou irregularidades desde o primeiro mandato do prefeito, entre 2017 e 2020, até o atual, que começou no início deste ano. Segundo provas obtidas, Daniel Açaí, como era conhecido, organizou um modelo criminoso dentro da administração municipal para cometer vários crimes, como o direcionamento fraudulento de licitações, que consiste em colocar no edital cláusulas que beneficiem ou restrinjam a participação de determinadas empresas no processo licitatório. O valor dos contratos chega à aproximadamente R$ 50 mil. Mais R$ 299.910 mil foram encontrados em uma empresa de Daniel e R$ 56.250,00 estavam na casa de uma servidora pública.


Foram realizados ainda, sete mandados de prisão temporária e 25 de busca e apreensão em residências e empresas dos municípios capixabas de São Mateus (19 mandados), Linhares (6) e Vila Velha (1).

O início das investigações se deu por denúncias sobre dispensa ilegal de licitações com a exigência de percentual de propina sobre o valor das contratações públicas. Além disso, foi constatado que o esquema distribuía cestas básicas como forma de distrair e apaziguar a população dos atos cometidos. De acordo com a PF, verbas federais de algumas dessas licitações deveriam ter sido aplicadas no combate à covid-19.


De acordo com a PF, a operação contou com a participação de aproximadamente 85 policiais federais vindos de outras unidades do país, além da presença do procurador Regional da República e de servidores da Controladoria-Geral da União (CGU), em razão da grande quantidade de mandados a serem cumpridos.


Além do prefeito, foram presos ainda João de Castro Moreira, apontado pela investigação como operador do prefeito, os empresários Edivaldo Rossi da Silva, Yosho Santos, Gustavo Nunes Massete e Caio Faria Donatelli, e a controladora municipal e chefe de gabinete, Luana Zordan Palombo.


Histórico


O prefeito de São Mateus já foi cassado por abuso do poder econômico, durante o  primeiro mandato, em função da distribuição de água mineral no município durante o período eleitoral. Em 2019, ele foi absolvido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

* Estagiária sob supervisão do subeditor Pedro Grigori

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE